Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A filosofia póstuma
José Rony de Andrade Alves

A morte é algo bom ou ruim? Esta fora a pergunta que me tangenciou de modo irresolvível nas últimas décadas até a tão temida morte me abraçar. Eu fui bastante crítico, cético e, por vezes, um verdadeiro objetor de qualquer vida póstuma, a não ser das vidas micro-orgânicas. Busquei a sabedoria por meio dos livros e da meditação. Foi um fastidioso empenho rumando a filosofia da morte, fitando comprovar racionalmente a ausência crua da vida pós-vida. Busquei, por todos os meios possíveis, indícios que me levassem a uma estrutura concreta sobre a evidência da ausência. Abneguei família, triunfos, desejos, virtudes em favor de algo maior: a solução de uma problema simples que necessita de apenas uma simples prova. Entretanto, a simples prova torna-se algo tremendamente difícil de se obter, até porque não existe tecnologia capaz de avaliar a não-existência da alma. A alma é objeta à razão, e essa dicotomia faz com que se torne impossível de equipará-los com métodos racionais, pois, seria avaliar unilateralmente; por exemplo, se avaliássemos uma pintura com olhos daltônicos não iríamos obter a essência expressiva do pintor, caso este seja normal. Foi diante dessa ótica que formulei o gérmen do meu projeto que iria transladar toda a humanidade. Busquei seguir a escrúpulos o método racional e, a posteriori, o método contra-racional. A minha tese foi a negativa da vida; a minha antítese foi a existência da vida e a minha síntese foi: a compartilhação da dualidade. Como assim?Caminhei como um racionalista ferrenho, estudei o máximo que pude, abdiquei de tudo e de todos para tão-somente volver-me ao estudo, a miúdos, das visões: cultural, cética, sábia e, sobretudo, divina. Na penúltima visão acabei endoidando. Triste fim eu tive. Perdi a família, todo o sucesso de um cientista promissor na área da psicanálise, e acima de tudo, perdi aquilo que levei como a única existência: A vida. Ainda não morri por completo, até porque estou escrevendo esta carta neste horrendo hospício. Tresvariei quando estava prestes a concluir o meu projeto; a mentalidade divina decerto não foi cabível para a mentalidade de um homem limitado por dúvidas. A dúvida é tão cruel quanto a certeza. Então, a única certeza que tenho é que não sei de nada e que serei mais um que tentou compreender algo incompreensível. A morte me abraçou, e então, virei um vivo-morto. Matei a mim mesmo e para mim a morte não será mais uma tormenta, pois já morri uma vez, e morrer pela segunda vez será um alívio. Quem sabe quantas vezes irei morrer ainda...
E sobre a morte, se é bom ou ruim, digo-te que um dia saberá; talvez pelo jeito que descobri ou talvez pelo jeito que irei descobrir...


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28598


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas A filosofia póstuma José Rony de Andrade Alves
Contos Iludido por uma estrela José Rony de Andrade Alves
Contos O EX-DEFUNTO! José Rony de Andrade Alves
Contos A Carta Gelada José Rony de Andrade Alves
Poesias AMOR SAFADO! José Rony de Andrade Alves
Sonetos Amor não é arte José Rony de Andrade Alves
Poesias Navegante destemido José Rony de Andrade Alves
Poesias Para onde eu irei? José Rony de Andrade Alves
Poesias Vivo sozinho José Rony de Andrade Alves
Poesias Marcha ré José Rony de Andrade Alves

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 19.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 55673 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 52864 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39219 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 34166 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 33359 Visitas
Amores! - 32945 Visitas
Desabafo - 32538 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31632 Visitas
Faça alguém feliz - 31399 Visitas
Vivo com.. - 31068 Visitas

Páginas: Próxima Última