Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Os pais, os jovens, as drogas...
Wellington Balbo

Resumo:
Uma das grandes preocupações do mundo contemporâneo é pertinente as drogas, ou, melhor dizendo, o envolvimento dos jovens, nossos filhos, com elas. E quando o fato ocorre em uma família não raro os pais perguntam-se: Onde foi que eu errei?

Os pais, os jovens, as drogas...

Uma das grandes preocupações do mundo contemporâneo é pertinente as drogas, ou, melhor dizendo, o envolvimento dos jovens, nossos filhos, com elas. E quando o fato ocorre em uma família não raro os pais perguntam-se: Onde foi que eu errei? E mil dúvidas perambulam pela cabeça de toda a família em busca de uma alternativa para a resolução de tão intrincado desafio. E fica outra pergunta: O que eu poderia ter feito para que isso não acontecesse?
Obviamente que não há uma receita para isto, porquanto os filhos são criaturas dotadas de livre arbítrio, e também não podemos e nem temos condições de vigiá-los 24 horas por dia para que não se envolvam com o mundo dos entorpecentes. E o que fazer? O ideal é sempre antecipar. Dialogar muito com os filhos, interagir, participar de suas vidas e procurar identificar suas tendências. Enfim, aproximar-se do filho, um contato de alma para alma. Esta é, aliás, uma das grandes missões da paternidade ou maternidade. Orientar é a missão. Mas apenas o diálogo resolve, perguntarão alguns? Obvio que não daremos para tão complicada situação uma resposta simplista, de modo a fazer pensar que apenas dialogando iremos livrar nossos filhos das drogas. Todavia, consideremos que o diálogo e a participação na vida desses jovens é fundamental para aproximá-los de nós, abrindo caminhos para que nossos ensinamentos sejam melhor assimilados por eles. Vale ainda destacar que muitos jovens adentram o universo do álcool, por exemplo, bebericando aos 10, 11 anos nos copos de familiares que permitem que tal coisa ocorra. Os familiares dizem apenas: “Sim, você pode tomar um gole de meu copo!” Não há a conversa, apenas a permissividade. Tudo pode, tudo vale! E a criança, de natureza curiosa, quer mesmo experimentar. Mas, como fica se essa criança tornar-se um adulto viciado? Muitos casos assim, de jovens bebericando em copos de familiares acabam dando enorme dor de cabeça não apenas aos pais, mas, à toda sociedade. Observemos. Ora, se sabemos que essas crianças ou jovens podem aderir ás drogas, sejam elas dos tipos que forem, como podemos permitir que convivam desde idade infantil com o álcool que, diga-se de passagem, não deixa de ser uma droga? Deixo para sugestão ao leitor interessante experiência narrada por um amigo. Diz ele: “Tenho dois filhos um menino de 12 e uma menina de 14 anos e todos os domingos realizamos a reunião da família. Nessas conversas domingueiras estamos nos conhecendo mais, eu a eles; eles a mim. Você perguntará: Mas o que isso tem a ver com o tema drogas? Respondo que tem tudo a ver, porquanto – segundo meu amigo - essas reuniões estão desdobrando-se de forma tão agradável que, naturalmente, entra-se na abordagem de diversos assuntos da atualidade, tais como: sexo, drogas, consumismo e por ai vai... “Estamos tendo – diz ele - a oportunidade do diálogo. Estamos nos conhecendo melhor. Abrimos as portas de nossa relação para o diálogo. Pode ser que um deles envolva-se com drogas ou coisas ilícitas, todavia estamos pela ferramenta do diálogo mais próximos uns dos outros”.
Que tal experimentarmos a sugestão do amigo? Ao invés de ficarmos aos domingos assistindo aquela velha lenga lenga televisiva dedicarmos um espaço para a família, aproximando-nos assim dos nossos filhos. Pode ser um caminho para que eles fiquem cada vez mais longe das drogas.


Biografia:
Wellington Balbo, 36 anos, escritor, 7 livros publicados.
Número de vezes que este texto foi lido: 54868


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Boas Ideias Wellington Balbo
Crônicas Teresa de Calcutá, Chico do Brasil... Wellington Balbo
Artigos Divaldo Franco e o professor Yunus Wellington Balbo
Artigos Terapia anti-queixa Wellington Balbo
Artigos A verdade e suas faces Wellington Balbo
Artigos Fofoqueiro digital Wellington Balbo
Artigos As nossas besteiras de cada dia Wellington Balbo
Artigos Álcool na infância Wellington Balbo
Artigos Você faz tempestade em copo d’agua? Wellington Balbo
Artigos Não escolha a profissão de seu filho Wellington Balbo

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 36.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
O Senhor dos Sonhos - Sérgio Vale 55274 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 55251 Visitas
A Magia dos Poemas - Sérgio Simka 55246 Visitas
amor feito desejo... - natalia nuno 55245 Visitas
A margarida que falou por 30 dias - Condorcet Aranha 55232 Visitas
A calça preta - Condorcet Aranha 55220 Visitas
A FORMIGUINHA - Jonas de Barros Vasconcelos 55207 Visitas
Menino de rua - Condorcet Aranha 55207 Visitas
Amores! - 55198 Visitas
Decadência - Marcos Loures 55196 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última