Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Fatos & Fotos
Rafael da Silva Claro

Luciano Huck deve estar com muita vontade de ser o presidente do Brasil. Pelo menos a dedicação para limpar a sua barra é patente. Ele tem se dedicado a apagar fotografias com figuras influentes, mas encrencadas, de modo a parecer que só anda com gente limpinha. A pergunta: o que esse cara já foi capaz de fazer para sua vida parecer uma propaganda de margarina?

Recentemente, o apresentador apagou de sua, aparentemente imaculada, vida um retrato com o senador Chico Rodrigues, aquele da grana escondida no... na... cueca. Bem, de um jeito ou de outro, ele vai lavar o dinheiro.

O presidenciável também tentou demonstrar que nunca esteve com o jogador de futebol Robinho. Numa “pedalada”, ele eliminou sua imagem com o jogador acusado de estupro coletivo. Igual a sua casa, Globo, ele tenta eliminar rastros do, mesmo que rápido, contato com quem pode comprometê-lo, por ter cometido algum delito.

Aécio Neves foi sumariamente cancelado, pelo menos nas redes sociais, do dono do Caldeirão do Huck. Após o político ter sido citado na Lava Jato, Huck correu para limpar sua biografia. Lógico que a emenda saiu pior do que o soneto. As fotografias foram replicadas e a repercussão foi grande.

Fernando Henrique Cardoso (FHC) e Sérgio Moro foram alvos do arrependimento de Huck. A dúvida: por que pega mal aparecer com essas figuras?

O apresentador da Globo, lógico, quer se mostrar bem relacionado, amigo de quem fez ou faz alguma coisa legal. Se fosse amigo mesmo, não apagaria as fotografias. A tentativa de ficar “bem na foto” não está dando certo, além de revelar um bajulador oportunista.

Josef Stalin apagava retratos de opositores, e, quase sempre, os próprios opositores. No livro 1984 (George Orwell), todo sinal da existência de quaisquer dissidentes da utopia vigilante, era apagado. Loucura, loucura, loucura. Luciano Huck não chega a tanto, talvez porque não lhe atribuíram nenhum poder. “Lapidar” sua imagem perante a sociedade é permitido, isso reforça a higidez da personagem que nos é apresentada aos sábados à tarde e nos intervalos comerciais, tudo, é claro, com muita luz, maquiagem e cenografia.

Por enquanto, apagar fotos não diz respeito à vida de ninguém, somente à dele mesmo; o perigo é se Luciano for um presidente que tenta apagar fatos que prejudicam a vida de todos.


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 33813


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Ócio criativo Rafael da Silva Claro
Ensaios Tiro no pé Rafael da Silva Claro
Ensaios Corretor politicamente correto Rafael da Silva Claro
Crônicas TV feita a mão Rafael da Silva Claro
Ensaios Seus problemas acabaram Rafael da Silva Claro
Ensaios Carrefour Rafael da Silva Claro
Crônicas Futebol “du bom” Rafael da Silva Claro
Ensaios Pandemia Eleitoral Rafael da Silva Claro
Ensaios I see dead people voting Rafael da Silva Claro
Ensaios Zona eleitoral americana Rafael da Silva Claro

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 84.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 40489 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 40469 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 40420 Visitas
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 40362 Visitas
Seu cheiro de tangerina - Helio Valim 40202 Visitas
Conexão - Luca Schneersohn 39942 Visitas
A tristeza no Nordeste - Wanessa Daiana de Brito 39938 Visitas
Tempo - Luiz Fernando Sacramento Lusoli 39502 Visitas
Um dia serei algo - José Rony de Andrade Alves 39398 Visitas
Pou, a Majestade Não-Zoombi - Alice Silva 39200 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última