Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Gabriel Pereira do Amaral

Nossa
Estou triste
Mas, uma tristeza estranha
Não sei falar como
Não sei escrever como
Sei que sinto
Sinto uma tristeza
Um vazio
Uma dor
O peito dói
É oco
É escuro
Silencioso
Dói
Dor intensa
Nossa,
Não choro, não sorrio, sinto
Os meses passam
As semanas passam
Os dias passam
As horas passam
E continua a mesma coisa
O vazio
A dor
A solidão
A solitude
Olho para o teto vazio e escuro e nada vejo
Vejo amargura, se possível ver
Mas, algo eu digo
Eu sinto
Ou, nada sinto
Só existo


Biografia:
AMARAL, G P
Número de vezes que este texto foi lido: 33724


Outros títulos do mesmo autor

Poesias DEVASSIDÃO Gabriel Pereira do Amaral

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 11 de um total de 11.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 33922 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 33915 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 33911 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 33901 Visitas
A tristeza no Nordeste - Wanessa Daiana de Brito 33900 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 33899 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 33895 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 33881 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 33877 Visitas
Um brinde ao protagonista - ROGÉRIO RIVELLINO SABIONI 33871 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última