Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Poema à consciência
Condorcet Aranha

POEMA À CONSCIÊNCIA
            Condorcet Aranha

Defenda-se bem armado
E na ciência baseado,
O lindo meio ambiente,
Que nos deu o Onipotente.

Não se deixe a inconsciência,
Dos homens inconseqüentes,
Derrubar toda a ciência,
Com vis ações, tão freqüentes.

Concretar a natureza,
Com cimento e vergalhões,
Tira da praça a beleza,
E o amor dos corações.

São verdadeiros piratas
Que devastam nossas matas
E a fauna de regiões,
Com enormes dimensões.

Sem pensar por um instante,
Que exterminam o tesouro,
Cada dia mais distante,
Mais valioso que o ouro.

Sobre os campos destruídos,
Instalam indústrias pesadas,
Que fabricam desnutridos
E crianças condenadas.

Muitas outras conseqüências
Surgirão desse progresso,
Hoje tão desordenado,
Pondo o luto em seu sucesso.

Não adianta chorar,
Culpando aos homens de outrora,
Porque pouco vai mudar,
Se nada fizer agora!

O céu azul, dos poetas,
Perdeu a motivação,
Porque hoje, ficou cinza,
Por tanta poluição.



Dos passarinhos o canto,
Dos dias primeiros meus!
Mudou como por encanto,
Pelo cantar dos pneus.

E da brisa os assobios?
Suaves como as meninas!
Foi trocado pelos sons,
De horripilantes buzinas.

As garças e os gaviões?
Seus rasantes, seus cordões,
No céu em evoluções!
Deu o espaço aos aviões.

As borboletas em cores?
Na luz do sol a bailar!
Sucumbiram aos caçadores,
São bandejas, pra enfeitar.

O perfume e as floradas,
Dos parques! Praças bonitas!
Em parte foram trocadas,
Por chaminés bem fedidas.

O ar puro e tão saudável,
Hoje em raras regiões!
Deu lugar solenemente,
Às doenças dos pulmões.

E o homem, aquele sábio?
Surgido na natureza!
Pra que amanhã não acabe,
Tornando-se a própria presa,

Terá que mudar seus atos,
Controlar seus rituais,
Recompondo todos gastos,
Dos recursos naturais.

Espera-se que o homem,
Ponha a mão na consciência,
Pois o tanto que destroem,
Exige muita ciência,

Pra concertar tanto estrago,
Irreverência, ambição,
Pois ele não é um mago,
É gente e tem coração.



Pra terminar vou pedir,
Que preste muita atenção,
Se a quadra logo a seguir
Vai tocar seu coração.

No parque ao ver a criança,
Brincando com uma flor!
Parece que Deus lhe alcança,
Afaga e fala de amor?

Mas se nada lhe tocar,
A flor, o parque a criança,
Seu coração vai parar,
Por falta de confiança.


Biografia:
Nome: Condorcet Aranha RG. 313.281 Órgão expedidor: Ministério da Guerra. CPF : 365568748-68 Natural de: São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro. Data: 29/01/1940. Endereço: Rua Mathilde Drefahl n° 44, Joinville, Bairro Floresta, Santa Catarina, Brasil. CEP. 89213-050. Telefone: 0XX – 47 – 3463.9813 Celular: 9973.8695 E-mails: condorcetaranha@brturbo.com.br wa.public@ig.com.br Escritor e Poeta Pesquisador Científico - Nível VI, aposentado pelo Instituto Agronômico (Campinas/SP} Governo do Estado de São Paulo. Doutor em Ciências, pela Universidade Estadual de Campinas/SP – UNICAMP. Farmacêutico-Químico, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro / RJ. Publicações Científicas: 5 livros e 60 artigos nas mais conceituadas revistas, boletins e periódicos científicos. Artigos científicos no jornal “O Estado de São Paulo”. Colaborador dos jornais “Diário do Povo” e “Correio Popular”, Campinas, SP. (poemas, contos e artigos científicos); Colaborador do “Jornal de Serra Negra”, Serra Negra, SP. (poesias, artigos científicos, análise política e charges). Colaborador com crônicas para o jornal “A Notícia”, Joinville, Santa Catarina. Publicações literárias em dezenas de antologias. Premiações em concursos literários a nível nacional e internacional. Livros solo: “Versos Diversos” poesias 2001, “Histórias do famaliá” contos/crônicas 2003, “Sonhos ou Verdades”contos/crônicas 2006. No prelo para março de 2006: “Verdades em versos” (poesias e trovas) e “Sonhos ou verdades” (contos e crônicas). Membro Titular da Cadeira n° 25, Colegiado Acadêmico, nas Áreas de Letras e de Ciências do Clube dos Escritores de Piracicaba São Paulo, Brasil. Membro no Grau Superior da Ordem da Sereníssima Lyra de Bronze, Porto Alegre / Rio Grande do Sul. Brasil Academico da Accademia Internazionale Il Convívio, Castiglione di Sicília, Itália. Membro da Casa do Poeta Rio-Grandense, São Luiz Gonzaga/ Rio Grande do Sul. Brasil. Membro Correspondente da Academia Ponta-Grossense de Letras e Artes – APLA – Paraná. Brasil. Membro Correspondente da Casa do Poeta Rio Grandense, Porto Alegre/RS. Brasil. Sócio Honorário da Associazione Culturale ZACEM, Città di Savona, Itália. Sócio da ALPAS XXI – Associação Artística e Literária Palavras do Século XXI. Sócio da APPERJ – Associação dos Poetas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro. Nome: Condorcet Aranha RG. 313.281 Órgão expedidor: Ministério da Guerra. CPF : 365568748-68 Natural de: São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro. Data: 29/01/1940. Endereço: Rua Mathilde Drefahl n° 44, Joinville, Bairro Floresta, Santa Catarina, Brasil. CEP. 89213-050. Telefone: 0XX – 47 – 3463.9813 Celular: 9973.8695 E-mails: condorcetaranha@brturbo.com.br wa.public@ig.com.br Escritor e Poeta Pesquisador Científico - Nível VI, aposentado pelo Instituto Agronômico (Campinas/SP} Governo do Estado de São Paulo. Doutor em Ciências, pela Universidade Estadual de Campinas/SP – UNICAMP. Farmacêutico-Químico, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro / RJ. Publicações Científicas: 5 livros e 60 artigos nas mais conceituadas revistas, boletins e periódicos científicos. Artigos científicos no jornal “O Estado de São Paulo”. Colaborador dos jornais “Diário do Povo” e “Correio Popular”, Campinas, SP. (poemas, contos e artigos científicos); Colaborador do “Jornal de Serra Negra”, Serra Negra, SP. (poesias, artigos científicos, análise política e charges). Colaborador com crônicas para o jornal “A Notícia”, Joinville, Santa Catarina. Publicações literárias em dezenas de antologias. Premiações em concursos literários a nível nacional e internacional. Livros solo: “Versos Diversos” poesias 2001, “Histórias do famaliá” contos/crônicas 2003, “Sonhos ou Verdades”contos/crônicas 2006. No prelo para março de 2006: “Verdades em versos” (poesias e trovas) e “Sonhos ou verdades” (contos e crônicas). Membro Titular da Cadeira n° 25, Colegiado Acadêmico, nas Áreas de Letras e de Ciências do Clube dos Escritores de Piracicaba São Paulo, Brasil. Membro no Grau Superior da Ordem da Sereníssima Lyra de Bronze, Porto Alegre / Rio Grande do Sul. Brasil Academico da Accademia Internazionale Il Convívio, Castiglione di Sicília, Itália. Membro da Casa do Poeta Rio-Grandense, São Luiz Gonzaga/ Rio Grande do Sul. Brasil. Membro Correspondente da Academia Ponta-Grossense de Letras e Artes – APLA – Paraná. Brasil. Membro Correspondente da Casa do Poeta Rio Grandense, Porto Alegre/RS. Brasil. Sócio Honorário da Associazione Culturale ZACEM, Città di Savona, Itália. Sócio da ALPAS XXI – Associação Artística e Literária Palavras do Século XXI. Sócio da APPERJ – Associação dos Poetas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro. Condorcet Aranha, Escritor,Poeta,Doutor em Ciências,Pesquisador-Científico, Farmacêutico-Químico.
Número de vezes que este texto foi lido: 28931


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Menino de rua Condorcet Aranha
Poesias Poema à consciência Condorcet Aranha

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 21 até 22 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Grande - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 7 Visitas
Deus - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 7 Visitas
Peça - David Matheus Bioza Dos Santos 7 Visitas
Seus - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 7 Visitas
CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO - Alexsandre Soares de Lima 6 Visitas
Oh - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 4 Visitas
Como fazer um perfil promissor no LinkedIn? - Antonio 1 Visitas
QUASE TRAGÉDIA - Alexsandre Soares de Lima 1 Visitas
NA VARANDA - Alexsandre Soares de Lima 1 Visitas

Páginas: Primeira Anterior