Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Sonhar com véu branco molhado de lágrimas
Sergio Ricardo Costa




Romântico eu usufruo
                                           Do mesmo
Caminho,
Por onde a manada inspira
O mundo de tal multidão infinita.

E mesmo o anseio com minhas escolhas,
Aguardo.

Verei senão uma ruína
Tocar meus pés,
Força maligna feita
De amor,
Um pedaço de vida comigo, [um]
Instante que seja contínua passagem
Da vida por onde se põe ao meu lado
O nome da índole: é triste,
Se não
Podemos viver senão uma ruína
Coberta de sonhos,
Formada por peças
Arcaicas e cheias de cor,
Alterado
O curso, porque a razão quer sonhar.

Sonhar com véu branco molhado de lágrimas,
Vividas (que eu não compreendo o percurso),
Marcando o ar acatado de acordo
Com suas parcelas de azul e de terra,
Visito, amiúde, à força da mente.

Não mais, expurgar-lhe os cabelos molhados,
Compridos, cinzentos,
Os olhos fechados
Na morte, em vida, a cada manhã.

Preciso é de ar,
Entrelaço meus dedos
Com sono profundo,
Um homem e uma
Vontade e bastante cansaço do mundo,
Percebe qualquer habitante de si,
Mais cega alguma loucura o separa
Do seu coração desvendado e sem gosto.

Sonhar com véu branco molhado de lágrimas:
Cansada de rir, a verdade.

E a verdade,
Possível, será diferente e melhor
Que a noite das lágrimas presas por dentro,     
Tentando isolar a pessoa vazia,
De tanto que a esquece no gosto das coisas,
De tanto que a perde na câmara neutra,
Convicto nunca do próximo passo
Suspenso na lua brilhante,
Em estado
Alheio às leis, hipnótico,
Enfim,
Flutua na lua de pedra o motivo,

Maldito,

Que quer esconder com os véus;
Não há ilusão encobrindo o meu rosto,
Mas há ilusão enredando o meu mundo.


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 1129


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Há mais tormentos em ser que em esperar Sergio Ricardo Costa
Poesias No silêncio milenar Sergio Ricardo Costa
Poesias Parceiros pelos pares de pênis Sergio Ricardo Costa
Poesias Restrições em concluir Sergio Ricardo Costa
Poesias Alma, esta coisa suja protegendo os corpos Sergio Ricardo Costa
Poesias Pano, linha, pano... Sergio Ricardo Costa
Poesias Nem sei que o mundo Sergio Ricardo Costa
Poesias A aproximar-se se desfaz Sergio Ricardo Costa
Poesias É como dor que a flor cresce Sergio Ricardo Costa
Poesias A cor do eu acordou em mim Sergio Ricardo Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 208.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185103 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 162990 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 160682 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130284 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117398 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 76483 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69497 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 63862 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 59816 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55348 Visitas

Páginas: Próxima Última