Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
CASÓRIO
Roberto Machado Godinho

Resumo:
Zeca vai à igreja para tentar oficializar seu casamento com sua máquina de lavar roupa.

Atores:
Padre Antônio
Zeca
                 Cena única

Os diálogos entre os personagens se desenrolam da sacristia da igreja.

Zeca – Com licença ... Bom dia !

Padre – Bom dia ! Eu estou ocupado, mas pode se aproximar meu filho.

Zeca – Primeiramente .. . Quero pedir sua    Bênção padre Antônio.

Padre – Deus te abençoe ! Agora me diga seu...

Zeca- José Carlos da Silva

Padre – Seu José Carlos...

Zeca – Pode me chamar de Zeca. É assim que sou tratado.

Padre – Como queira... Zeca, o que o trouxe à igreja há esta hora.

Zeca – Eu sei que já é tarde padre. Mas eu estou agoniado. No estou conseguindo dormir.

Padre – Então aconselho ir ao médico. Ele vai passar um remedinho pra sua insônia.

Zeca – Acho que remédio não resolve não. Só o senhor mesmo.

Padre – Já sei! Pecou e está com a consciência pesada...

Zeca – Mais ou menos padre.

Padre – Amanhã , antes da missa dominical, apareça no confessionário...

Zeca – Apareço sim... Tô precisando me confessar. Mas eu estou aqui agora é pra fazer um pedido.

Padre – Então peça... Se eu puder ajudar.

Zeca – Eu quero sacramentar a minha união com a Clara. Minha companheira!

Padre – Há quanto tempo vocês vivem juntos.

Zeca – Dez anos.
Padre – E porque só agora resolveu se casar no religioso?

Zeca – Porque só agora criei coragem.

Padre - E o que o fez criar “coragem”?

Zeca – O papa Francisco.

Padre – O papa Francisco?

Zeca – Santo Papa! O homem mais compreensível e tolerante que conheci na minha vida.

Padre – Te dou razão Zeca. Ele está provocando mudanças profundas na Igreja Católica.

Zeca – Então padre... O senhor casa a gente?

Padre - E com imensa satisfação. Mas antes, preciso fazer algumas perguntas.

Zeca – É necessário?

Padre- Sim Zeca! Mas não me olhe com está cara. Não é um interrogatório! O tempo da Inquisição já passou.

Zeca – Inquisição? O que é esse trem?

Padre – Esqueça meu filho... Só estava brincado.

Zeca – Tá bom... O que o senhor quer saber?

Padre – Vamos lá. O senhor é batizado?

Zeca – Sou!... Batizado e Crismado.

Padre – Na igreja católica.

Zeca – Uai! Se eu sou católico...

Padre – Nem todo católico foi sempre católico, seu José Carlos.

Zeca – Padre Antônio.., Mas eu sou católico desde que me conheço como gente.

Padre – Bom! E sua companheira Clara?

Zeca – A Clara?

Padre – Não é esse o nome dela?
Zeca – Sim! Clara Brastemp! É assim que a chamo.

Padre – Bom... Ela é batizada?

Zeca – Não. Só passou pelo controle de qualidade. E rigoroso!

Padre – Controle de qualidade?

Zeca – Deixa pra lá padre. É muito complicado e também não sei explicar. Sou agricultor e não técnico.

Padre – Bom! Tudo se resolve. Ela pode ser batizada antes do casamento.

Zeca – Se é necessário...

Padre – Sim! Temos que seguir os ritos da igreja.

Zeca – Com certeza. Quero tudo certinho.

Padre – Zeca... Achei bem diferente o sobrenome da sua companheira... Brastemp!

Zeca – É nome de família, né padre... que se pode fazer?

Padre – Nada meu filho... nada. E a família dela é muito grande?

Zeca – Se é ???... É enorme padre...

Padre – Quantos são, você sabe?

Zeca – Prá lhe falar a verdade, eu não sei não padre. Sei que é grande, mas eu não conheço todo mundo. Só conheço alguns pelo nome.

Padre – E você podia citar os nomes de alguns?

Zeca – Se é importante pro senhor, eu posso sim.

Padre – Pois então vamos lá, cite os nomes de alguns.

Zeca – Olhe, tem geladeira, fogão, batedeira, freezer, liquidificador, frigobar, até ar condicionado tem.

Padre – Espere aí seu Zeca! Mas esses nomes que o senhor citou, não são eletrodomésticos?

Zeca – É sim senhor.

Padre – Mas eu não estou entendendo...

Zeca – Não está entendendo o quê?

Padre – Me diga uma coisa, a Clara é quem afinal de contas?

Zeca – Ué!.. Uma lavadora, ora.

Padre – Mas o senhor não está querendo-me dizer que deseja casar com uma máquina de lavar, não é mesmo?

Zeca – Lavadora! Clara é uma lavadora. E das boas!

Padre - Máquina de lavar, lavadora ... É tudo igual seu José Carlos.

Zeca - Não é não. Clara não é uma máquina. Ela tem sentimentos!

Padre – O senhor ficou maluco? O que passa pela sua cabeça? Onde já se viu alguém casar com uma máquina de lavar?

Zeca – Lavadora!

Padre - (respira e conta até três) Um... dois... três ... Certamente o senhor deve ter uma explicação para essa loucura, não é mesmo ?

Zeca – Loucura não... Paixão! ... Eu vou explicar...

Padre – Pois então me explique.

Zeca – Clara, além de ser uma lavadora de mão cheia... Olha pra minha camisa... Branca de dá gosto! Já a do senhor...

Padre – O senhor está insinuando que a minha roupa não está bem lavada? Que eu sou relaxado?

Zeca - Não estou insinuando nada.

Padre – Ah bom!

Zeca - Só estou comparando... (Zeca encosta o seu braço no ombro do padre) Olha a diferença! Gritante!

Padre - Desgruda homem! Já vi, não sou cego... (irônico) O que a sua Clara é além de "boa" lavadora?

Zeca – Veja só padre: A Clara nunca me encheu o saco. Não reclama quando saio com meus amigos pra tomar uma cervejinha. Não é fofoqueira e nem ciumenta. E quando a gente se casar não vou ter que aguentar o mau humor na TPM e também nem terei que dormir no sofá da sala.

Padre – Estou impressionado! Tem mais?

Zeca – Sim! A bichinha, além do mais, é muito econômica. Não vou ter de gastar com cabelereiro, manicure, academia, cirurgia plástica, isso sem contar que não vou precisar de me preocupar com o cartão de crédito, São motivos suficientes, ou quer mais?

Padre- Chega! Já escutei o suficiente.

Zeca - Então...

Padre - Apesar de todas as "qualidades" de sua companheira...Não vai haver casamento!

Zeca - Não? Por que padre?

Padre – Clara é uma ma... Lavadora. Não é um ser humano.

Zeca – E qual o problema? Na bíblia não tem nada que diz que é proibido um homem casar com uma lavadora.

Padre – Eu sei! Na época que foi escrita a sagrada escritura, que eu saiba, não existia lavadora. Muito menos eletricidade. Por isso não está na Bíblia!

Zeca – Se não tá...

Padre – Senhor José, não quero mais discutir. Reflita homem! O seu pedido é absurdo. A Igreja não autorizará o seu casamento.

Zeca - Nem indo ao Papa? O Chiquinho é tão compreensível. .

Padre- Francisco é um santo papa, mas não é maluco para permitir o seu casamento com Clara.

Zeca – Duvido!

Padre – Então o senhor acha que o papa é maluco?

Zeca – Claro que não! Chiquinho é o papa mais lúcido que já existiu. Eu duvido é que ele seja contra o meu casamento com a Clara. Pelo contrário, ele abençoaria a nossa união.

Padre - Em que o senhor se baseia para ter todo esta convicção?

Zeca retira um recorte de jornal do bolso e lê para o padre

Zeca – No pronunciamento do Chiquinho que saiu no jornal de ontem... Vou ler pro senhor: Papa Francisco aprova oficialmente a união homossexual e pede aceitação a toda forma de amor em sua exortação apostólica pós-sinodal “ Amoris Laetitia”.

Padre – O que o senhor acaba de ler é verdade?

Zeca – Verdade verdadeira. Eu tenho pouca instrução, mas aprendi a ler.

Padre – Só não aprendeu a interpretar.

Zeca – Além de maluco, agora o senhor também tá me chamando de burro?

Padre – Calma! Não se exalte...

Zeca – Calma nada. Tá escrito! O papa pede a aceitação à toda forma de amor. Se ele aprova casamento de homem com homem e mulher com mulher, óbvio que ele abençoaria minha união com a Clara.

Padre – Entenda senhor José Carlos... Não quero ofendê-lo ... O padre se refere à união entre seres humanos. Não humanos com máquinas...

Zeca – Lavadora! Lavadora! Lavadora!...

Padre – Tudo bem! Mas lavadora não é um ser humano.

Zeca – Padre Antônio, estou começando a achar que o senhor é eletrofóbico.

Padre – Eletro o quê?

Zeca – Eletrofóbico! De eletrofobia... Preconceitos contra eletrodomésticos.

Padre – Não me venha com neologismos.

Zeca – Neo o quê?

Padre – Esqueça! Eu não tenho nenhum tipo de preconceito contra eletrodoméstico. Fique sabendo que eu sou apaixonado pelo meu micro ondas.

Zeca – Então saia do armário e assuma sua relação.

Padre – Não entendi? Repita o que você falou.

Zeca – Esqueça padre, não está mais aqui quem falou.

Padre - Senhor! Perdoe este homem. Ele não está em seu pleno juízo.

Zeca – Senhor! Perdoe este padre por sua intolerância.

Padre – Meu Deus! Aonde eu fui amarrar meu bode... Tudo bem Zeca... Já estou mais calmo.

Zeca - Que bom! Estresse mata...
Padre - Você venceu! Vamos supor que a igreja autorize o seu casamento com Clara... Como ela subiria ao altar? Que eu saiba lavadora não tem pernas.

Zeca – Não tem pernas... Mas Clara tem rodinhas!

Padre Antônio sai de cena gritando.

Padre – Ai meu Deus... Eu joguei pedra na cruz! Eu joguei pedra na cruz.

Zeca – E eu que sou o louco... O jeito é apelar para o Papa. Chiquinho... Fui!


                                                 
                    FIM


Número de vezes que este texto foi lido: 52924


Outros títulos do mesmo autor

Infantil UM AMOR VIRALATA Roberto Machado Godinho
Roteiros FAMÍLIA!? Roberto Machado Godinho
Roteiros AS SOGRAS Roberto Machado Godinho
Roteiros CASÓRIO Roberto Machado Godinho
Teatro Rolezinho Roberto Machado Godinho

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 15 de um total de 15.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Coisas - Rogério Freitas 54661 Visitas
1 centavo - Roni Fernandes 54590 Visitas
frase 935 - Anderson C. D. de Oliveira 54565 Visitas
Ano Novo com energias renovadas - Isnar Amaral 54375 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 54324 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 54309 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 54272 Visitas
PARA ONDE FORAM OS ESPÍRITOS DOS DINOSSAUROS? - Henrique Pompilio de Araujo 54208 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 54106 Visitas
Amores! - 54071 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última