Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
UM AMOR VIRALATA
Roberto Machado Godinho

Resumo:
Madona, uma cadelinha de rua , conhece Rex, um pastor alemão que é cão de guarda. Ela o convence a pular o muro da casa que vigia para conhecer as ruas da cidade. Juntos com o gato Félix, amigo de Madona, vivem uma grande aventura.

Personagens:

Madona – É uma cadelinha viralata que vive pelas ruas. O seu dono é catador de rua que recolhe o lixo da sociedade para reciclagem. Madona é sua fiel escudeira.

Rex – É um cão pastor alemão que foi criado para vigiar e defender o patrimônio de uma família muito rica. Até conhecer Madona, só tinha saído às ruas para fazer suas necessidades. Sempre levado por seu dono, e sempre preso em uma coleira.

Felix – Um gato bem malandro e boêmio. O melhor amigo de Madona. Vive aprontando pelas ruas. Tem fama de ladrão.

Milicão – É funcionário da prefeitura responsável por recolher animais que vivem na rua. Ele é muito perverso e sua carrocinha é equipada com muito material de captura. Todos os animais tremem de medo dele. Só Rex teve a coragem de enfrentá-lo.



Cena I

Madona entre em cena caminhando e cantarolando:

Eu sou uma cadelinha cheia de alegria
Livre pela rua fazendo estripulia
Vivo enfrentando qualquer situação
Com muita coragem e determinação.

É interrompida por Rex que está por trás de um portão de grades.

Rex: Uau! Uau! Que gata!

Madona: (retrocedendo uns passos e respondendo malcriadamente) Você não enxerga não? Seu burro!!!

Rex: Que mau humor... Eu enxergo sim... e não sou burro! Eu sou cão pastor alemão.

Madona: E eu também não sou gata! Sou uma cadela vira... vira...

Rex : Cadela viravira? Não conheço esta raça.

Madona: Claro que não conhece! Viravira é uma raça de cão não definida. Os cientistas ainda estão pesquisando. Mas não me importo com minha raça. Sou uma cadela... E basta!

Rex: Eu também não me importo... Mas acabo de descobrir que viravira é uma raça muito bonita.

Madona: (com o ego nas altura) Você acha?

Rex: Com toda certeza! Por que você acha que te chamei de gata?

Madona: (fazendo-se de boba) Não sei? Eu não sei miar.

Rex: Sua boba... Eu só te chamei de gata porque você é linda

Madona: Tenho que admitir: Os felinos são lindos... Mas os cães também são lindos. Quer ver? Vou perguntar para o público. Criançada! Vocês gostam de cachorro?... Eles são bonitinhos?

Rex: Pela resposta sincera das crianças... Você tem razão... Posso te fazer uma pergunta?

Madona: Claro que pode! Se eu souber responder...

Rex: Você me acha bonito?

Madona: (de brincadeira) Essa eu não sei responder, mas as crianças da plateia, com certeza vão saber?

Rex: Será?

Madona: Vamos testar... Criançada,vocês acham o... Qual o seu nome?

Rex: Eu me chamo Rex.

Madona: Vocês acham o Rex um cachorro bonito, ou.... Lindo?

Rex: Assim você me deixa sem graça

Madona: Além de bonito, é tímido.

Rex: Sou sim, mas não tenho medo de nada. Sou um cão de guarda.

Madona: Já deu para perceber...

Rex: Você é falante, mas ainda não me disse o seu nome?

Madona: Você ainda não me perguntou?

Rex: Desculpa, foi por distração... Qual é mesmo o seu nome?

Madona: Eu me chamo Madona!

Rex solta uma gargalhada e Madona faz cara feia.

Rex: Madona? Que nome engraçado.

Madona ofendida faz cara de aborrecida, quase soltado um grunhido.

Madona: Pode ser engraçado, mas é o meu nome e eu gosto muito dele.

Rex: Não vamos brigar. É engraçado, mas é bonito. Nome de artista

Madona corrigindo Rex com toda pompa.

Madona: Pop Star.

Os dois soltam gargalhadas.

Madona: Agora pula este muro e vamos passear pela cidade.

Rex faz cara triste e banlança a cabeça, negando o convite de Madona.

Rex: Eu não posso. Só posso sair à rua acompanhado do meu dono, e preso por uma coleira.

Madona: Que absurdo!!! Você não é livre?

Rex: Mais ou menos... Sou criado para obedecer meu dono e tomar conta da casa. Rua só para fazer necessidades.

Madona: Cocô e xixi ? Nada mais?

Rex, meio envergonhado, balança a cabeça positivamente.

Madona: Que horror!

Rex: Sou criado assim.

Madona: Você é mal criado. Os animais nasceram para ser livres. Todo mundo nasceu para ser livre!!!

Rex: Até cão de guarda ?

Madona: Sim! .

Rex: Tem certeza?

Madona: Absoluta! Pule o muro agora!

Rex: Eu não posso!

Madona: Pode sim... Seja corajoso.

Rex: Mesmo sem coleira?

Madona: Sem coleira, sem correntes e sem dono. Livre!

Rex cria coragem e pula o muro e os dois latem de alegria e começam a cantar

A rua agora é a casa
Que nós vamos invadir
Não precisamos criar asas
Para o mundo descobrir.
Não precisamos criar asas
Para o mundo descobrir.


Rex: Madona, pra onde você vai me levar?

Madona: Vou te levar para conhecer as ruas e avenidas da nossa cidade.

Rex: Não é perigoso andar pelas ruas sem coleira?

Madona: Não tenha medo Rex, Só temos que ter cuidado com o Milicão.

Rex: Milicão? Quem é Milicão.

Madona: É o homem mais malvado da cidade.

Rex: O da carrocinha de cachorro?

Madona: Sim! Você também conhece o Milicão?.

Rex: Não! Mas conheço a sua fama de mau.

Madona: Ele maltrata e prende todo animal que não tem coleira com identificação.

Rex: E você não tem medo?

Madona: Eu tenho muito!

Rex: Então porque se arrisca!

Madona: Porque eu amo a liberdade.

Rex: Então temos que enfrentá-lo!

Madona: Você é louco!

Rex: Por você sou capaz de tudo.

Madona fica emocionada e começa abanar o rabo e latir sem parar.

Rex: Que foi Madona, falei besteira?

Madona: Não seu bobo!...Foi a declaração de amor mais rápida e bonita que recebi na minha vida.

Rex: Você é a cadela da minha vida.

Rex começa a abanar o rabo e a esfregar o nariz no nariz de Madona.

Madona: Agora vamos, quero te mostrar a cidade antes que o sol desapareça.

Rex: Então vamos rápido.

Os dois saem de cena.











Cena II

Félix entra em cena cantarolando com jeito de malandro

Miau miau
Eu sou um gato especial
Que adora pizza e carnaval
Miau miau
Escalo um muro descomunal
Para invadir o seu quintal.
Miau miau

Felix para de cantarolar e começa a farejar.

Félix: Estou sentido um cheirinho muito especial. É cheiro de comida. (Apontado o nariz para a lixeira) E vem daquele lado... (para a platéia) Vocês não estão sentindo?... Não?... Não mesmo?

Félix fecha os olhos e volta a farejar.

Félix: Miauuuu! É cheiro de pizza... (eufórico) E de muçarela. A minha predileta... (para platéia) Vocês gostam de pizza de muçarela? (após ouvir a voz afirmativa da platéia entra em êxtase) Eu aaaaaaamo!

Começa rolar pelo palco de alegria e em seguida se dirige para a lixeira que está em um canto do palco. Quando ele está revirando a lixeira, entra em cena Madona e Rex.

Rex: O que a aquele gato maluco está tentando fazer? Entrar na lixeira?

Madona: Acho sim... certamente procurando comida.

Rex: No meio do lixo?

Madona: Sim! (farejando) E pelo cheiro... acho que ele encontrou pizza. Você nunca comeu pizza?

Rex: Não! (com a voz triste) O meu dono só me dá ração pra comer.

Madona : Estamos com sorte! Eu estou conhecendo este gato... ( e grita) Félix!

Quando Félix escuta a voz de Madona e tira a cabeça da lixeira é atacado por Rex que grita.

Rex: Agora te pego!

Depois de uma intensa correria pelo palco, Rex consegue pegar Félix e imobilizá-lo no chão.

Félix: Miau... miau... Socoorro Madona!

Rex: Agora você não me escapa. Seu gato ladrão.

Madona, puxando Rex pelo rabo, começa a latir e gritar.

Madona: Uau! Uau! Solta ele Rex. Félix é meu amigo.

Rex, obedecendo Madona, sai de cima de Félix.

Rex: Você é amiga de um gato?

Madona: De um não! De vários gatos. Eles são muito divertidos.

Rex: Mas cachorro não nasceu para pegar gato?

Madona: Não! Cão é gato podem ser amigos.

Rex: Você tem certeza?

Madona: Claro que tenho! Somos todos criaturas da Natureza. Podemos viver em paz.

Rex: (voltado para o Félix) Mas este gato é ladrão.

Félix: Não sou não!

Rex: É sim !

Félix: Não sou não. Miauuuu!

Madona se irrita e late.

Madona: Uau! Uau! Você querem parar, eu estou ficando irritada

Rex começa a explicar.

Rex: Este seu amigo é ladrão sim. Ontem, à noite, este gato invadiu o quintal do meu dono e começou a revirar a lixeira . Eu quase peguei esse malandro. Ele escapou por um triz.

Félix: Eu estava atrás de comida. E desde quando pegar comida no lixo é crime?

Madona: Rex, eu tenho que concordar com Félix. Pegar comida no lixo não é roubar. Se tá no lixo e porque ninguém quer mais.

Rex fica pensativo e começa a concordar.

Rex: Acho que você tem razão. Mas eu fui treinado para não deixar ninguém invadir a casa do meu dono.

Félix: Da próxima vez, eu toco a campainha.

Todos começam a rir a latir e miar.

Rex estende a pata para pedir a desculpa a Félix.

Rex: Desculpa Félix!

Félix bate na pata de Rex.

Félix: Desculpado!

Rex: Amigos?

Félix abraça Rex

Félix: amigos para sempre!

Todos se abraçam e novamente começam a latir e miar. Em seguida, Félix vai até a lixeira e pega uma caixa contendo três pedaços de pizza.

Madona: Vamos fazer um banquete!

Todos se sentam em volta de um caixote de madeira e começam a saborear a pizza. Neste instante entra em cena, sem eles perceberem, o Milicão.

Milicão: (falando para a platéia) Hoje é o meu dia! Vejam quanta bicharada. A minha carrocinha vai ficar lotada de cachorro e gato. (fazendo gesto de silêncio para a platéia) .Vocês fiquem quietinhos para eu pegar a bicharada de surpresa.

Felix percebe a movimentação de Milicão e solta o alerta.

Félix: Miauuu! Milicão na área! Vamos fugir.


Madona: Vamos nos esconder ali atrás (e aponta para as cortinas do palco)

Os três pulam em debandada deixando Milicão falando sozinho no palco.

Milicão apontando para as crianças da plateia.

Milicão: Vocês são os culpados! Eu falei para ficarem quietinhos. Escaparam de novo! Mas vou pegá-los qualquer hora. Vou preparar uma armadilha pra essa bicharada. Porque eu sou o Milicão, o maior caçador de animais de rua. Rá... Rá... Rá...

O milicão sai de cena arrastando a sua carrocinha e cantarolando:

Eu sou o milicão milicão milicão
Da minha carrocinha ninguém escapa não
Eu sou o milicão milicão milicão
Eu pego a bicharada pra fazer sabão

Os três amigos saem de trás da cortina e voltam para o palco.

Madona: Desta vez, foi por pouco. (e agradece as crianças). Obrigado garotada! Vocês nos salvaram. Ele é o milicão. Ele captura cachorro de rua pra fazer sabão.

Félix: E gato para fazer tamborim. Eu gosto de carnaval, mas não quero virar instrumento de bateria de samba.

Todos começam a rir , latir e miar.

Félix: Preciso ir embora. Está na hora da minha soneca.

Madona: Gato é mesmo bicho preguiçoso, só vive pra dormir.

Félix: E existe coisa melhor... Tchau galera... A gente se cruza outra hora

Madona e Rex: Tchau Félix! E bom sono!

Félix sai de cena e Rex e Madona começam um namoro.

Rex: Sabe que você é uma cadelinha muito especial?

Madona: (se fazendo de boba, mas toda derretida abanando o rabo)Você acha.

Rex se aproxima de Madona e esfrega o seu nariz no dela. Madona, timidamente retribui o gesto e, em seguida, corta o clima.

Madona: Tenho que ir. Eu meu dono precisa da minha ajuda.

Rex: Você tem dono? Não sabia que cachorro que vive rua também tem dono.

Madona: Muitos têm! O meu dono e catador de lixo, ou melhor... de material reciclável!

Rex: O que é material reciclável?

Madona: Você não sabe o que e material reciclável?

Rex abana a cabeça em gesto de negativa.

Rex: Não!

Madona: É tudo que pode ser reaproveitado... Latinhas de alumínio, garrafa pet, caixa de papelão e outros materais...

Rex: Ah! Agora já sei porque o meu dono coloca em uma lixeira separada todo este material.

Madona: Seu dono é inteligente! Reciclando, ele está contribuindo para que o planeta fique mais limpo e bonito.

Rex: Seu dono também é inteligente! Catando o lixo produzido pelos homens, ele está ajudando a salvar o nosso planeta Terra.

Madona corta o papo

Madona: Com certeza.. . Mas agora eu tenho que ir.

Rex: Eu também... Já vai começar a escurecer.

Madona: Você sabe voltar para casa, sozinho?

Rex: Claro! Afinal, eu sou um Pastor Alemão.

Madona: E eu uma viravira.

Os dois soltam risadas, dão latidinhos e saem de cena.
Milicão entra em cena puxando a carrocinha e com uma rede nos ombros . Novamente cantarolando

Eu sou o milicão milicão milicão
Da minha carrocinha ninguém escapa não
Eu sou o milicão milicão milicão
Eu pego a bicharada pra fazer sabão

Falando olhando para a plateia.

Milicão: Agora essa bicharada vai ver. Rá ... Rá...Rá... Vou preparar uma armadilha e pegar o gato e a cadelinha com minha rede.

Milicão Vai até a sua carrocinha e pega uma caixa de papelão e uma pizza.

Milicão: Agora vou colocar esta caixa de papelão com a pizza e colocar em cima deste caixote. Eles vão cair na minha armadilha. Rá... Rá... Rá.       

Milicão esconde a carrocinha atrás das cortinas e corre para trás da lixeira e fala olhando para plateia.

Milicão: Vou me esconder aqui atrás e quando os dois aparecerem para pegar a caixa de papelão e a pizza, eu jogo a minha rede para pegar aquele gato chechelento e aquela cadelinha metida a esperta.
Rá... Rá... Rá...

Milicão se abaixa atrás da lixeira e Madona entra em cena cantarolando.

Uau! Uau!
Eu conheci um cachorro legal
Ele é forte , ele é animal.
Uau! Uau!

Interrompe a cantoria porque começa a sentir o cheiro de pizza no ar.

Madona: (farejando) Que cheirinho delicioso! (voltando para as crianças) Vocês não estão sentindo?

Madona sentido as crianças alvoroçadas não percebe o perigo e morde a isca

Madona: Uma caixa de papelão!

Quando Madona abre a caixa, encontra a pizza .

Madona: Uma pizza fresquinha! Que maravilha! Hoje é o meu dia de sorte.

Madona olha para pizza, fica pensativa por uns segundos .

Madona: (olhando pra plateia) É muita pizza só pra mim... Vou chamar o Félix para me ajudar a comer.

Madona antes de gritar pelo Félix, olha para ver se a barra está limpa.

Madona: Ninguém por aqui... ( e começa a gritar) Félix! Félix! Acorda seu gato dorminhoco. Eu tenho uma surpresa para você...

Félix entra em cena.

Félix: Miau! Que gritaria, Madona! Será que não posso dormir em paz.

Madona: Desculpa! Vou comer esta deliciosa pizza sozinha.

Félix: Ouvi direito. Você falou pizza?

Madona: (balançando a cabeça positivamente) Hum Hum! E de muçarela!!!

Félix deita e rola de alegria.

Félix: Miauuuu! Como já estou acordado, e sou seu amigo..., vou ajudá-la a comer.

Quando os dois se preparavam para comer, Milicão joga a rede e consegue capturar Madona. O Félix consegue escapar e se esconde atrás das cortinas.

Milicão: Gato miserável. Escapou de novo. Mas não faz mal. (para a plateia) Olhem quem eu peguei.

Madona, presa na rede, começa a latir e gritar socorro.

Madona: Uau! Uau! Socoooorro!

Milicão: Não adianta latir, agora você é minha prisioneira.

Madona continua latindo até se cansar, tentando se livrar da rede,

Madona: Uau! Uau!

Milicão: Você não foge não. Você vai virar sabão.

Milicão se aproxima de Madona e coça a cabeça.

Milicão: Pensando bem... Você não vai virar sabão. Como é pequeninha e cheirosinha vai mesmo é virar sabonete. Rá... Rá... Rá.

Félix que está escondido atrás da cortina escuta tudo.

Félix: Eu tenho que salvar minha amiga, antes que ela vire sabonete. Mas preciso de ajuda... (para a plateia) Quem pode me ajudar?
Felix pensativo, fica dando volta em torno do rabo.

Félix: É mesmo! Como não pensei antes. Rex é a salvação! Vou correndo atrás dele. Fui!!!

Félix sai de cena e Milicão pega a carrocinha que estava escondida.

Milicão: Esta cachorrinha está muito agitada, vou colocá-la dentro da carrocinha.

Quando Milicão tenta pegar Madona, leva uma mordida no braço e grita.

Milicão: Ai sua peste! Você me paga. Vou te dar uma injeção para dormir.

Madona late apavorada.

Madona: Uau! Uau! Socooorro, me ajudem!

Milicão pega uma seringa bem grande na carroça e mostra para o público.

Milicão: Agora quero ver se esta cadela é valente. (falando para a Madona) Você gosta de injeção?

Madona latindo, mexe a cabeça negativamente.

Madona: Uau! Uau!

Milicão: ( para criançada) E vocês? Gostam de injeção no bumbum... Rá... Rá... Rá.

Milicão aplica a injeção na Madona que logo adormece. Em seguida, Milicão pega a cachorrinha e a coloca na carroça.

Milicão: Agora só falta pegar aquele gato malandro e aquele cão pulguento. ( perguntando para as crianças) Você me ajudam.

Depois de levar um não das crianças, Milicão faz careta pra elas.

Milicão: ( falando para as crianças) Eu não preciso da ajuda de vocês. Eu sozinho pegarei aqueles dois. Do cachorrão farei uma grande caixa de sabão, e do gato malandro, farei um delicioso churrasquinho. (Novamente falando para as crianças) Eu adoro churrasquinho de gato. Rá... Rá... Rá.

Milicão sai de cena cantarolando:


Eu sou o milicão milicão milicão
Da minha carrocinha ninguém escapa não
Eu sou o milicão milicão milicão
Eu pego a bicharada pra fazer sabão


                                                        
Cena final

Félix entra em cena e começa a miar em frente ao portão da casa do Rex.

Félix: Miau!... Miau!... Miau! (falando sozinho) Acho que não adiantando miar. O jeito é tocar a campainha.

Félix toca a campainha e Rex logo aparece atrás das grades.

Rex: Oi amigão! Veio me visitar?

Félix: Não Rex! Vim pedir a sua ajuda. É urgente!

Rex: (com cara de preocupação) Fala logo! Não me deixa aflito.

Félix: O Milicão pegou a Madona.

Rex pula o muro imediatamente.

Rex: Temos que salvar Madona!

Félix: Antes que ela vire sabão!

Rex: Então vamos correndo atrás da carrocinha!

Félix segura Rex pelo rabo.

Félix: Calma Rex! Temos antes que planejar o resgate.

Rex: Você tem razão. Milicão é barrigudo. mas não é bobão.

Félix: Eu sei onde está a carrocinha e o Milicão. Vamos até lá ... Enquanto eu distraio o Milicão você ataca por trás e pega as chaves da carrocinha . Ok?

Rex: Ok amigão, vamos!

Rex e Felix chegam por trás da carroça e vigiam o Milicão.

Félix: Vamos dar início ao nosso plano.

Rex: Então vá. Mas tome cuidado.

Félix: Deixa comigo. Eu sou malandro!

Félix começa a miar na frente do Milicão que vai se irritando.

Félix: Miau! Miau! Você é um barrigudo mau. Miau! Miau!

Milicão: Eu te pego gato maldito. Você vai virar churrasquinho e o seu couro tamborim.

Rex ataca Milicão por trás e dá uma dentada no seu traseiro. Milicão tropeça e cai no chão, gritando apavorado.

Milicão: Ai! Ai! Ai! Morderam o meu traseiro.

Félix aproveita que o Milicão está no chão e o arranha todo com suas garras.

Félix: E tomo essa... E essa.

Milicão: Socorro! Ai! Ai! Ai!

Enquanto Félix arranha o Milicão, Rex pega a chave da carrocinha e liberta Madona. Em seguida, os dois partem pra cima do Milicão. Enquanto Rex morde o traseiro do Milicão a Madona morde a perna. Milicão foge só de cueca samba canção de bolinhas e camiseta. Rex fica com a calça de Milicão na boca.

Félix: Nós vencemos!

Madona: Viva a liberdade!

Félix e Rex: Viva!

Madona se aproxima de Rex.

Madona: Você é meu herói.

Felix enciumado começa a miar e dar volta em torno da Madona.

Félix: Miauuu! Miauuuu!

Madona: (abraçando Félix) Você também é meu herói.... Seu bobo ciumento.

Félix: Acho que nos livramos do Milicão para sempre.

Rex: Você tem dúvidas? Com o corpo todo arranhado e o traseiro todo mordido, ele nunca mais vai ter coragem de atacar nenhum bicho.

Todos começam a latir e miar.

Madona olha a pizza sobre o caixote e tem uma idéia.

Madona: Hoje é aniversário do Félix. Temos que comemorar.

Rex: Mas não temos bolo.

Madona: Mas nós temos pizza. E de muçarela!

Félix deita e rola de alegria e solta um grande miado

Félix: Miauuuuu!

Madona : E a vela?

Félix: Deixa comigo!

Félix vai até a lixeira e pega uma vela de sete anos.

Rex: Você achou! E também o fósforo.

Félix mostrando a vela para todos, solta outro miado.

Félix: Miau! É a minha idade.

Madona: (falando para a platéia) Então vamos todos cantar parabéns para o gato mais querido do mundo.

Madona coloca a pizza sobre o caixote de madeira e acende a vela. Todos começam a cantar.

Uau! Uau!
Parabéns pra você
Uau! Uau!
Nesta data querida
Uau! Uau!
Muitas felicidades
Uau! Uau!
Muitos anos de vida.
Miauuuuuuuuuuu!


                                             
                     Fim


Número de vezes que este texto foi lido: 53158


Outros títulos do mesmo autor

Infantil UM AMOR VIRALATA Roberto Machado Godinho
Roteiros FAMÍLIA!? Roberto Machado Godinho
Roteiros AS SOGRAS Roberto Machado Godinho
Roteiros CASÓRIO Roberto Machado Godinho
Teatro Rolezinho Roberto Machado Godinho

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 15 de um total de 15.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Coisas - Rogério Freitas 54661 Visitas
1 centavo - Roni Fernandes 54590 Visitas
frase 935 - Anderson C. D. de Oliveira 54565 Visitas
Ano Novo com energias renovadas - Isnar Amaral 54375 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 54324 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 54309 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 54272 Visitas
PARA ONDE FORAM OS ESPÍRITOS DOS DINOSSAUROS? - Henrique Pompilio de Araujo 54208 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 54106 Visitas
Amores! - 54071 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última