Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Meu Tempo
José Ernesto Kappel

O tempo mata as coisas e sufoca
os homens.

De onde vi
a terra era fértil
e os carrocéis não paravam de rodar.

Minha terra morreu ou
basta bem lembrar,

que homens
avessos,
que nos controlam,
a fizeram fatal
igual à morte.

Mas dá no mesmo:
os dois estão mortos!

A terra que era minha
virou semente
para o rude cimento !

A terra que era minha
virou retrato na parede,
coberta de musgos.



Número de vezes que este texto foi lido: 54722


Outros títulos do mesmo autor

Poesias O Corcel, a Areia e o Vento José Ernesto Kappel
Poesias Zero no Escuro José Ernesto Kappel
Poesias Coisas Ao Contrário José Ernesto Kappel
Poesias Puro Brandy José Ernesto Kappel
Poesias Santuário do Coração José Ernesto Kappel
Poesias E Se Tudo Fosse Azul ? José Ernesto Kappel
Poesias José Ernesto Kappel
Poesias A Taça e o Vinho José Ernesto Kappel
Poesias Coisas Perenes José Ernesto Kappel
Poesias É Sobre Hoje José Ernesto Kappel

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 464.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Vocabulario nipo-brasileiro (UDONGE) - udonge 54959 Visitas
Amores! - 54851 Visitas
Delícias da festa junina - Ivone Boechat 54831 Visitas
Desabafo - 54826 Visitas
Dores da paixão - Ivone Boechat 54826 Visitas
Leite com Pimenta - Rafael da Silva Claro 54825 Visitas
Carta para Sophie Scholl - Junho/2024 - Vander Roberto 54824 Visitas
🔴 Conto de fardas - Rafael da Silva Claro 54820 Visitas
A menina e o desenho - 54816 Visitas
Vivo com.. - 54813 Visitas

Páginas: Próxima Última