Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
dos devires
Ulisses de Carvalho

nada é.
tudo está.
o corpo que habito,
as chagas, as árvores,
as fachadas das casas, das igrejas,
os lençóis sujos dos puteiros,
a saliva dos monges,
as línguas bifurcadas das cobras,
dos seres vivos à matéria inorgânica,
tudo denuncia a passagem do tempo:
existir é transmutar.


Biografia:
dentre-tantos.blogspot.com
Número de vezes que este texto foi lido: 33807


Outros títulos do mesmo autor

Poesias antimatéria Ulisses de Carvalho
Poesias (im)permanência Ulisses de Carvalho
Poesias animalium Ulisses de Carvalho
Poesias dos devires Ulisses de Carvalho


Publicações de número 1 até 4 de um total de 4.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 48502 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 42870 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 41894 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 40792 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 40431 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 40139 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 40022 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 39981 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 39773 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 39741 Visitas

Páginas: Próxima Última