Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
ESTRADA DE AÇO 19 NOVEL LIVRE 12 ANOS
DE PAULO FOG E IONE AZ
paulo azambuja

Resumo:
BOM

Duquel avança pela estrada de Forst, na floresta, vários soldados estão ás escondidas, a feitiçeira cavalga junto dela, em preparos de poções e alguns ritos elas vão ganhando espaço e obtendo uma significativa vitória.
       - Já sabes, fique comigo até o fim, Esmeralda.
       - Assim estou, mesmo sabendo o final disso tudo.
       - Sei que sabes ou achas assim, mais acredite tenho meus trufos.
       - Como qual, trazer algo ou alguém do mundo dos mortos?
       - Que bom que me poupastes.
       - Não consigo ver isto como vitória.
       - Tudo bem, a seu tempo.
       As muralhas estão em guardas triplicadas, Láis e Káfia estão junto de Lúcia, ambas em posse de arco e flechas.
       Monique auxilia ao rei junto de Silas ao exército.
       - Estamos prontos.
       - Vamos ganhar.
       - Não podemos entregar tudo para aquela louca.
       Nas ruínas do reino Azul, uma carroça pára frente a entrada do castelo.
       Desce dessa, Margot em um longo vestido azul acetinado, tendo por companhia 3 anões, eles rapidamente entram no lugar, logo tomado por magia tem seus espaços iluminados enquanto caminham corredores adentro.
       Frente a uma grande porta de madeira, ela abre esta com magia e retira do seu vestido uma adága, ela fura seu dedo e derruba algumas gotas de seu sangue numa espécie de altar.
       - O que queres? Ali frente a ela surge 4 grandes guerreiros.
       - Suas honras.
       - Para quê?
       - Para que lutem contra o inimigo.
       - E o que ganhamos?
       - O meu respeito e isso. Margot mostra algo para aqueles espiritos e sente um forte tremor nos pés.
                                                  24062019............



        A guerra já se tornara real, Káfia e Monique usam toda a suas técnicas com arco e flechas contra os mercenários de Duquel, Laís com ajuda de Lúcia derruba óleo quente pelas muralhas, Lúcia realiza ritos e Silas joga algumas poções explosivas pelas janelas caindo em cima de alguns guerreiros.
        Mais logo a situação se torna muito favorável a Duquel que mata impiedosamente diversos soldados, tendo como auxiliar Esmeralda que realiza grandes feitos em feitiçarias.
        - Logo tomaremos o castelo.
        - Sim, você esta conseguindo.
        - Não te disse, eu nunca perco.
        - Ainda é muito cedo para se vangloriar.
        - O que foi Esmeralda, decidiu de lado estais?
        - Do seu, claro, agora vamos?   A ministra olha para a feitiçeira se afastar dominando a qualquer guerreiro que interpele seu caminho.
        - Vamos ver até onde vais com essa farsa.   Duquel apronta o seu cavalo e segue Esmeralda.
        Na floresta, cada vez mais, integrantes do lado sombrio entram e inicia-se ali um dizimar de soldados aliados, muitos os que conseguem, fogem e outros passam para o lado inimigo, matando assim seus colegas de front.
        Em pouco tempo o numero de soldados inimigos se iguala aos do castelo e depois se torna em maior.
        O rei luta bravamente porém vê seu exército ser aniquilado pouco a pouco, já na floresta, uma névoa densa toma conta do lugar.
        - O que esta acontecendo?
        Um dos mercenários aos outros, logo ouve-se gritos abafados e sussurros entrecortados, quando a névoa começa a dissipar-se, um considerável numero de cadáveres, os mercenários foram lastimados ali.
        Os espiritios guerreiros varrem o local, deixando corpos, sangues, menbros e órgãos espalhados.
        Agora seguem rumo ao castelo, Duquel já tomara o mesmo e segue apressadamente para a sala do trono onde Silas, as primas e o rei estão.
        Lúcia tenta por algumas bloquear a passagem com magia, mais é ineficaz diante o poder de Esmeralda.
                                                  29062019...................



Biografia:
gosto de escrever
Número de vezes que este texto foi lido: 153


Outros títulos do mesmo autor

Poesias O MEDO E SEUS PARCEIROS paulo azambuja
Crônicas NOSSO PAÍS E SEUS DEVANEIOS paulo azambuja
Poesias O SENTIDO DE DOER paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 11 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Poesias OUTROS SONHOS E AFINS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 10 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 9 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 8 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Contos ESTRADA DE AÇO 7 NOVEL LIVRE 12 ANOS paulo azambuja
Poesias INCERTEZAS E OUTROS MOMENTOS paulo azambuja

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 166.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 30228 Visitas
eu sei quem sou - 30125 Visitas
sei quem sou? - 30096 Visitas
viramundo vai a frança - 30078 Visitas
PSICOLOGIA E DIREITO - Francisco carlos de aguiar neto 30058 Visitas
camaro amarelo - 30040 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30038 Visitas
MENINA - 30025 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 29988 Visitas
O que e um poema Sinetrico? - 29987 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última