Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Lá vai ela.
Patrícia Rodrigues

Lá vai ela, bela
Se vestiu em trajes de esperança
E carregou na bolsa um papel que transbordava confiança.
Um livro pronto, demorado
Lhe gastou dias e dias e perdeu seu namorado
''Sem tempo para mim!'' Ele dizia
'' De repente você se tornou tão fria!''
Mas lá vai ela, bela.
Entregar as palavras contidas ali
A um editor
Bem apessoado!
Cargo consagrado
E ainda com olhar apressado
Ele a nota, como se nada ela carregasse nas mãos
''Aceita um café?''
E de café em café
Ela se sente pressionada
Ingrata, quando o recusava
'' Não obrigada!''
Mas lá vai ela, bela
De mil promessas vivia no eixo
''Que tal um beijo?''
''Quem sabe um cheiro?''
''Esse livro é realmente importante pra você certo?''
De repente a voz daquele homem a constrangia
Arrepia
''Não permita que ele lhe pague nem mais um café!''-Ela se dizia
Quando a recusa lhe deixou furioso
Era orgulhoso:
''Quem ela pensa que é?''
''Se quiser ser alguém, terá que aceitar mais que um café!''
''Use roupas mais curtas''
''Me seduza''
''Afinal, quer ser uma grande escritora ou não?''
Então lá vai ela, ainda bela...
Amedrontada, aquele homem lhe mandava mil mensagens
''Amanhã as 6!''
''Mas a editora só abre as 7!''-Pensava ela
''Não importa ele é só um idiota.''
''No horário certo estarei lá, nem um minuto mais cedo!''
E la vai ela, não tão mais bela
Estava discreta, quieta
Despetara atenção
''Oh não!''
É abordada:''Sabia que fica ainda mais linda tão quieta?''
Seu coração quase pula do peito
Aquele sujeito
A levou daqui pra ali
''Preciso de você aqui!''
Ai vem ela, séria
''Que diabos essa menina tem?!'' Perguntavam
Assustada, nada mais falava
Era ameaçada
Não havia mais livro, nem publicação
Só submissão
''Se quiser viver, faça o que eu mandar e nada pode falar!''
E lá está ela... não se sente mais bela
Sincera, não tem mais forças para revidar
Todos os dias ele a agride
Se exibe, com a novata que se orgulha por saber domar
Amar
Palavra que ela não mais conhecia
Sofria
E era incapaz de continuar
''Que me mate de uma vez, não posso mais aguentar!''
Implorava aos céus para logo Deus a levar.
Mas certo dia, recebeu flores.
Dores
O pranto a sua volta não podia escutar
Ele finalmente a deixara
Mas não podia mais falar, andar...
Sequer pensar
Lá está ela, bela....
Porem sua vida de volta ninguém trará.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 28909


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios Apelo pelo amor próprio . Patrícia Rodrigues
Discursos Anseio pela liberdade. Patrícia Rodrigues

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 11 até 12 de um total de 12.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Amores! - 38537 Visitas
Desabafo - 37750 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 36422 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 36161 Visitas
Faça alguém feliz - 36059 Visitas
Vivo com.. - 35369 Visitas
viramundo vai a frança - 34736 Visitas
eu sei quem sou - 34271 Visitas
camaro amarelo - 34152 Visitas
CÉREBRO HUMANO - Tércio Sthal 34097 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última