Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Vida de recruta
LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS

Vida de recruta

        O recruta após sua formatura tem como trabalho inicial o policiamento a pé. Aquele policiamento que geralmente dois policiais circulam por determinadas ruas, principalmente no centro da cidade. Para os comerciantes e transeuntes à primeira vista, esses policiais conhecidos popularmente como “Cosme e Damião”, passam uma sensação de segurança incrível, no entanto para os policiais empregados nesse setor de serviço, torna-se um traquejo. Mas como nada dura para sempre, assim também o P.O a pé, não durou muito tempo.
        Com o fim do estágio do Policiamento a pé, se inicia um novo ciclo na vida do recruta, “O famigerado estágio na viatura”, o policial recém formado chega a sonhar com esse dia. Com o jovem SD Robcleisson não foi diferente, teve a honra de iniciar seu estágio na viatura com uns dos policiais mais conhecidos e capacitados da cidade de Vera cruz, o SD Gargate, policial com mais de 20 anos de corporação, sendo que desses vinte anos, quinze, foram de serviços prestados na viatura. SD robcleisson estaria bem assessorado em seu estágio. Era o que diziam.
        O primeiro serviço iniciava às 19 horas e terminava às 7 horas do outro dia. O SD Robcleisson fez a carga do material bélico e escutava com bastante atenção o que seu comandante falava. E partiram para o serviço. Como de costume, o SD Gargate, fez rondas pelo centro da cidade, cumpriu algumas ordens de policiamento que a central lhe passara, mas até aquele momento nada de anormal acontecera. Para o recruta Robcleisson, tudo o fascinava: o giroflex da viatura, as duas pistolas PT 100 que o SD Gargate usava e a carabina taurus que ele havia feito carga na sala de meios, enfim tudo o encantava.
      Já se passava das 2 horas da madrugada, e a viatura 0025 ainda em ronda pelo centro de Vera Cruz. Até então tudo dentro da normalidade. De repente, o rádio da viatura desperta e acaba com aquele silêncio dentro da viatura. Central a VTR 0025, Central a VTR 0025... SD Gargate responde: Prossiga com a VTR 0025..... Ok SD Gargate, desloque até o Bairro Areião, segundo informação de moradores, tem um elemento agredindo a esposa, na Rua Rosa de Hiroxima, número 20, segundo informação a porta da casa está aberta. O coração do SD Robcleisson dispara, afinal seria sua primeira alteração no serviço de viatura. OK central, já em deslocamento, disse o SD Gargate. Chegando ao local, observaram algumas pessoas acordadas indicando com as mãos o local exato da ocorrência. Como a central havia falado, a porta estava aberta. O SD Gargate ao nível máximo de atenção dizia: recruta, vamos desembarcar da viatura, eu entro e você fica entre a porta e a rua, SD Robcleisson ainda um pouco nervoso e eufórico, dizia: sim senhor, sim senhor. E assim foi feito, o SD Gargate entrou e o SD Robcleisson ficou no local indicado por ele, local bem estratégico, observava a rua e o que se passava dentro da casa. SD Gargate com sua voz alta e eloqüente disse: O que está acontecendo aqui? De repente uma mulher sai do quarto e vem em direção à sala, próximo ao SD Gargate. Nessa sala havia uma mesa redonda, e sob esta mesa havia um pote grande de mel aberto. SD Gargate se aproximou da mesa e muito observador que era, colocou o dedo indicador da mão esquerda dentro do pote, e o levou à boca, enquanto segurava com a outra mão uma de suas pistolas PT 100. Não satisfeito, repetiu novamente. Após provar daquela iguaria, perguntou novamente a mulher o que sucedia. A mulher bastante nervosa disse: Seu polícia, meu marido me agrediu. Ele chegou da rua embriagado, tirou a roupa, colocou o Pênis dentro desse pote de mel que está sob a mesa e me forçou a fazer sexo oral com ele. SD Gargate, ainda com o dedo melado de mel, olha para o SD Robcleisson e limpa o dedo indicador na toalha da mesa. Já constrangido com a situação, perguntou o paradeiro do agressor, e a esposa disse que ele havia fugido. SD Gargate apressado, orientou a vítima a prestar queixa na delegacia da mulher, assim que ela pudesse. Acabado a ocorrência, SD Gargate, pede para que o recruta não contasse absolutamente nada a ninguém, mas o SD Robcleisson não pode se conter, afinal fora seu primeiro dia de serviço na viatura, e não podia se calar. Assim o fez, mas não sabia que seu primeiro dia de serviço ia repercutir de tal maneira. No outro dia, após chegar ao quartel, ouvia comentários de um tal Soldado que gostava de mel, SOLDADO GARGAMEL, só daí, percebera que se tratava do SD Gargate.
       


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 28561


Outros títulos do mesmo autor

Contos Um certo anjo torto LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos Lembranças da caserna LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos A abordagem LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos O níquel LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos A polícia e as mulheres LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos O famigerado gato da delegacia LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos Turíbulo LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos Cálice LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos Vida de recruta LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS
Contos Amareuria LUIZ CARLOS SOUZA SANTOS

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 11.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 58751 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 53288 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 42433 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39471 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 36099 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 35556 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 34325 Visitas
Amores! - 33811 Visitas
Desabafo - 33426 Visitas
Faça alguém feliz - 32027 Visitas

Páginas: Próxima Última