Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Balas Perdidas
Bia Nahas

Entre barracas e calhas,
Entre casas e matas,
O pobre sobrevive a migalhas
Correndo de tantas perdidas balas.

Balas de fogo pela violência,
Pela exploração e impaciência
De policiais, pela elite e pelos governantes
Que arriscam a vida de tantas pessoas com vidas alarmantes.

Todos correm noite e dia
Das balas perdidas que assolam a rotina
Nas contas em que são difíceis de pagar,
Nos ônibus que são difíceis de respirar,
Nas escolas que são difíceis de estudar,
Nos trabalhos que são difíceis de arranjar
E na sociedade que é difícil de se ingressar.

Esse poema é um pedido
Para que o governo repense o seu egoísmo
Dando privilégios a uns e a outros sacrifícios,
Dando tudo a uns e a outros um pouquinho.

Não se pensa em uma distribuição de renda mais justa
E em melhores políticas públicas
Porque a representação política do pobre é quase nula
Enquanto do rico é uma grande fartura.

Esse poema é um protesto contra a injustiça
Que acometem milhares de vidas
Que estão com a mente extremamente cansada
De ser tão injusticada, estigmatizada e sobrecarregada.

Esse poema é um alerta
Da favela que manifesta
Um tipo de negligência do governo
E de alguns da sociedade com uma visão carregada de preconceito.

Esse poema é um lembrete
De que somos humanos e viventes.
A arma de fogo deve ser guardada e destruída
Porque estamos cansados de viver correndo da bala perdida!


Biografia:
Oi, gente! Sou a Bia. Tenho 22 anos. Moro em São Paulo capital. Estou fazendo faculdade de psicologia. Cada poema é muito especial e único, pois expresso alguma inquietação social ou pessoal. Faço encomendas de poesias. Quem quiser me conhecer, será um prazer. Mande um e-mail que eu respondo. Email para contato: nahasbeatriz@gmail.com Meu blog pessoal de poesias: www.rumoaminhamente.blogspot.com.br Twitter: @Bia__Nahas
Número de vezes que este texto foi lido: 28639


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Fecho os Olhos Bia Nahas
Poesias Um Calor Bia Nahas
Poesias Faz Falta Bia Nahas
Poesias Longe Disso Bia Nahas
Poesias Lápis da Direção Após o Fim Bia Nahas
Poesias Não Me Olhe Assim Bia Nahas
Poesias Canção de Infância (+ Recado: Quer me conhecer?) Bia Nahas
Poesias Manhã do Amanhã Bia Nahas
Poesias Meu Deus em Poesia Bia Nahas
Poesias Princesa de Sal Bia Nahas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 11 até 20 de um total de 327.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
TOMO TUDO - sigmar montemor 36763 Visitas
Lamento - FERNANDO 36554 Visitas
Faça alguém feliz - 35802 Visitas
Parabéns, Daniel Dantas! - Carlos Rogério Lima da Mota 35376 Visitas
MANCHETE DE JORNAL - sigmar montemor 35283 Visitas
Vivo com.. - 35194 Visitas
eu sei quem sou - 34085 Visitas
camaro amarelo - 33987 Visitas
MENINA - 33872 Visitas
sei quem sou? - 33849 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última