Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O pássaro da eternidade.
André Francisco Gil

O pássaro da eternidade.

André Francisco Gil.
25/02/14.

Ele acordou.Ocasionalmente.Somente alguns dragões acordaram.Ali:ruínas de uma civilização.Residências desmoronadas.Destruídas.Nada do nada.Reduzidas a escom-
bros.Ali o pássaro da eternidade sobrevoava sobre as imediações.

Na entrada oculta formas e seres sem porém.Havia ali forte evidência,forte indício,de
aventuras atrevidas.Guerreiros foram pisoteados pelo temível gigante da montanha.O
pássaro da eternidade o tratava com receio.Sua oponência e imponência davam medo.

Não havia pontualidade neste reino sem tempo.Ele (pássaro da eternidade) fazia compressas com nuvens para tapar suas machucaduras.Terra de almas hostis.Algumas já devoradas pelo som.O pássaro da eternidade fora ferido nas terríveis tempestades desaforadas e desavisadas.

Já havia dormido na montanha dos segredos draconianos.Sempre em vigília.Ainda uma tempestuosa busca pelos campos áridos.Sua morada (ninho) fora mastigado pelos ho-
mens-de-pedra.O pássaro da eternidade ousava desafiar as tempestades.Não sei como suas asas suportavam.

Outro paredão se agigantava em sua direção.Era da caverna dourada.Sonhos de riqueza interrompidos em sua escalada.Afinal os sonhos não são como degraus de uma escada?Se não subir degrau por degrau (etapa por etapa) não se chegará ao topo.As coisas inteiramente sombrias rugem.Nas habituais tempestades,resquícios de penas das asas do pássaro.

Há entradas.Diversas.Arremessou-se no precipício.Sobrevoou a terra do contrário.A terra da criatura de duas cabeças.A terra das bravas bruxas negras.O pássaro da eternidade não se escondeu do temporal que se aproximava.

Nele estava a vontade de amanhecer no topo da montanha mágica.Pela manhã aprenderia uma manobra arriscada.Entretando ao acordar deparou-se com os grandes ninhos,todos carbonizados.Algumas aves sobreviventes,perdidas,agonizavam.O pássaro dos mil voos havia se protegido da tempestade de fogo dentro de uma caverna.

A verdade é tocante.A imagem é impressionante.Os elfos corriam prestar socorro a algumas aves feridas.Nessa região a natureza é estúpida.O pássaro sabe que ainda não terminara o período das tempestades.Ele admira o horizonte arroxeado.Sinal de outra se aproxima.

Tem dias em que ele é despertado com a voz do desespero.O grito do medo.Seria o embalo absoluto da mãe do medo.Devorando tudo.O céu está repleto de pássaros fugindo para o sul.

Horas de lembranças terríveis.Vejo o grande rei sendo tragado pela tempestade de fogo.Almas infelizes sendo devoradas por guildas.Tantos trovões,tantos relâmpagos,tantas cinzas vulcânicas.O pássaro da eternidade é sabedor,conhecedor, dessa cruel temporada de tempestades.


Biografia:
André Francisco Gil poeta ipaussuense radicado na capital paulista com muita coisa escrita mas ainda engavetada.Textos editados em publicações esporádicas do interior e de alguns fanzines da vida.Almejei uma oportunidade e eis que a chance surgiu.Graças a este espaço vou ver meu poema ganhar asas.Lindo voo.
Número de vezes que este texto foi lido: 33809


Outros títulos do mesmo autor

Contos O amigo invisível. André Francisco Gil
Contos O pássaro da eternidade. André Francisco Gil
Poesias Questão de fé. André Francisco Gil
Poesias Seja a felicidade. André Francisco Gil
Releases Simples. André Francisco Gil
Poesias Todo amor tem poder. André Francisco Gil
Poesias Renovare. André Francisco Gil
Artigos Estudo especial sobre o evangelismo. André Francisco Gil
Poesias A seiva da vida. André Francisco Gil
Poesias Arte-terapia. André Francisco Gil

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 81.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 75766 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 61771 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 50160 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 49953 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 49501 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 49136 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 48868 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 48714 Visitas
Solidão que nada - Morgana Bellazzi de Oliveira Carvalho 48673 Visitas
Um dia - Luca Schneersohn 48141 Visitas

Páginas: Próxima Última