Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
AMAR DEMAIS 6 NOVEL LIVRE 14 ANOS
DE PAULO FOG E IONE AZ
paulo azambuja

Resumo:
BOM

9




                     Pi entra na casa, já despachando Marta, que ao subir no mototáxi lhe mostra a língua, para sorriso de Pi.
     Quarenta minutos depois, Samuel entra na casa já com o estômago dando sinal de fome.
     Na cozinha Pi prepara arroz, macarrão, molho, no forno um assado de costela.
     Samuel vai ao banho e ali sente mãos a acariciar seu corpo, as crianças assistem tv na sala, Pi ali dá banho e outras caricias em seu macho.
     De volta a cozinha ela termina o preparo da salada, ele ali abraçado a ela, que lhe conta sobre a ida a lotérica, óbvio ocultando o resto da estória.
     - Esta vendo amor, é isso que eu quero.
     - O quê?
     - Você assim, sempre feliz.
     - Será que estou feliz?
     - Com certeza sim, fez as compras?
     - Estão no depósito.
     - Obrigado amor.
     - Tem certeza que virão buscar?
     - Sim.
     - Comprei aquilo.
     - Obrigado, sabe que não gosto quando faz isso, mais foi preciso.
     - Tudo bem.
     - Não amor, uma hora podem lhe procurar o por que de tanto fermento, amido.
     - É um atacado, Samuel, ali estão para vender.
     - Mesmo assim.
     - Tá vamos, me ajude com a mesa.
     - Agora mesmo, paixão.
     Colocada a mesa, Pietra pede a chave do cofre a Samuel.
     - Por que?
     - Quero algo para mim.
     - De novo aquela bolsa?
     - Coisas minhas, minhas coisas.
     - Tá bom amor, não vamos estragar essa vibe, esta tão bom, pegue aqui a chave.
     - Obrigado, amor.
     Ele entrega a chave a ela e fica com os filhos a se aprontarem para o jantar.
     No quarto ela retira um quadro da santa ceia acima da cabeçeira da cama e abre o cofre, na parede, dele ela pega uma bolsa e a abre, dentro várias jóias e algum dinheiro, ela tira de seu busto um colar e um par de brincos e coloca nesta.
     - Minha poupança.
     Guarda e tranca o cofre, segue para a copa onde Samuel inicia a degustação com os filhos.
     - Conferiu o que estava te tirando a paz?
     - Nossa amor, desse jeito até parece ser um segredo.
     - E não é?
     - Por favor.
     - Seu assado esta maravilhoso.
     - Verdade mãe, esta muito bom.
     - Obrigado meninos. Pi pisca para eles e inicia sua janta.
     Priscila termina de checar as fichas de atendimento para o outro dia, confere os pagamentos e alguns pedidos de materiais, depois ali no consultório auxilia a paciente que fizera mamografia.
     Após a saída, o dr lhe passa o trabalho do dia seguinte e acertam outros assuntos referentes ao trabalho.
     Luz apagada, segurança acionada e porta trancada, Pri se despede dos doutores e segue para o ponto de ônibus, logo a frente dela pára uma moto.
     - Mãe.
     - Kauê, o que faz aqui?
     - Vim te buscar, posso?
     - Claro meu querido, vamos.
     Priscila sobe na garupa da moto do filho colocando o capacete, na outra esquina um carro sai.
     Ela chega em casa, Kauã tem acabado de esquentar a janta.
     - Vamos comer.
     - Sim.
     Ali os 3 riem e conversam animadamente, após um pouco de tv e Pri segue para seu quarto, Kauê coloca as roupas na máquina e liga esta, Kauã lava o banheiro e as louças.
     Depois do banho, Kauê entra no quarto e veste um pijama.
     - Foi de novo?
     - O quê?
     - Atrás de....
     - Pare Kauã.
     - Olhe mano, uma hora dessas a mãe vai descobrir, e daí sei lá o que vai virar isso tudo.
     - Pode deixar eu sei resolver minha vida.
     - Tô sabendo, não é o que eu ouço na facul.
     - Tá.
     - Sério, você havia dito que era a ultima vez e agora.
     - Ja deixei claro a eles, foi a ultima vez.
     - Tomara, vou dormir.
     - Boa noite.
     - Boa.
     Dias depois Priscila abre a porta e Sandra entra com várias sacolas.
     - Onde foi?
     - Se esqueceu, as compras.
     - Nossa, mãe havia me esquecido, vou buscar o dinheiro.
     - Onde deixo?
     - Deixa ai no sofá mesmo, por favor.
     - Tudo bem.
     - E ai?
     - Dessa vez a Pi trouxe mais coisas, tinha uma promoção daquelas ela me disse.
     - Vamos combinar mãe, foi uma ótima idéia essa de vocês de eles comprarem neste atacado que ela encontrou e a gente repartir a conta?
     - Se foi.
     - É.
     - Ja pensou se tivessemos que comprar,toda semana sair e você que trabalha até tarde, nossa a Pietra teve foi uma idéia daquelas, isso sim.
     - Aqui mãe.
     - Pode deixar que mais tarde será entregue para ela.
     - Eu sei mãe.
     - Agora mudando o assunto, tem uma geladinha ai pra sua maezinha do coração?
     - Não tem jeito mesmo hein d. Sandra.
     - Ah, vai só uma.
     - Vem comigo.
     - Oba, ai sim.
     Samuel termina um reparo no carro de um cliente, entra 3 rapazes ali na oficina, ele olha para o patrão que ascente com a cabeça e faz sinal para que ele os leve a parte de trás do lugar.
     - Trouxeram a grana?
     - Lógico cara.
     Um dos rapazes entrega para ele um maço que ele conta duas vezes e depois entrega 1 sacola preta.
     - Tá tudo aqui?
     - Pode confiar.
     - Nada, sabemos que aqui as coisas são feitas no limpo.
     - Sempre.
     - Então falou.
     - Falou.
     Os caras saem sob o olhar de Odilon.
     - E ai chefe?
     - Dessa vez demoraram.
     - Desculpa ai, foi mau, os moleques meio que desconfiaram da mercadoria.
     - Quando for assim, trate disso em outro local, não aqui.
     - Tudo certo, não vai mais acontecer.
     - Cerveja mais tarde?
     - Por mim, beleza chefe.
     Sandra entra no bar toda sorridente já recebendo convites dos clientes ali para que fique nas mesas e beba com eles, até que ela se vÊ tentada a sentar em uma das mesas, mas Moisés aparece ali e joga o avental para ela.
     - A pia esta uma bagunça.
     - Minha vida também. Diz ela ao marido para o riso geral de todos ali.

     24102018......................


Biografia:
gosto de escrever
Número de vezes que este texto foi lido: 507


Outros títulos do mesmo autor

Romance AMAR DEMAIS 19 NOVEL LIVRE 14 ANOS paulo azambuja
Romance AMAR DEMAIS 18 NOVEL LIVRE 14 ANOS paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 12 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 11 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja
Poesias MEUS MOTIVOS paulo azambuja
Crônicas AZUL E ROSA paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 10 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja
Romance AMAR DEMAIS 17 NOVEL LIVRE 14 ANOS paulo azambuja
Poesias ESSES TANTOS EUS paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 9 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 121.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 186194 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 167625 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 167327 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 131349 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 118366 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81800 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 70379 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 66255 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 61188 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 56389 Visitas

Páginas: Próxima Última