Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
MAL de AMOR
Tânia Du Bois


“... O amor desperta sentidos / inimagináveis e o transforma
em dias de recordações...” (Pedro Du Bois)

     Desde daquela manhã, quando revi seus retratos, fiquei inerte, alheia como se o amanhã estivesse distante. Não quero vê-lo. Não vou esperá-lo. Não me despeço, porque ficaria sem coragem e sem a sorte que precisaria para dizer adeus. Nas palavras de Fábio Albuquerque, “... o amor / se revelou um pouco tarde / e ainda fere-me / com o silêncio da fotografia”.
     Ele entrou em minha casa, correu sua vista sobre o meu corpo e me fez feliz. Hoje, ainda penso aqui dentro, sem ruídos; sei a dor profunda que sinto. O silêncio não me acalma; há dor no peito sem palavras; então, me surpreendo atrás da porta para não mostrar o sofrimento. Segundo Paulo Monteiro, “há quantos anos não vejo / quem foi meu primeiro amor / hoje só vejo meus sonhos / pelas janelas da dor...”
     Minha vida tem se misturado à nossa história. À noite as lembranças chegam e persistem, clareando o amor perdido e sem retorno. Machado de Assis escreveu “Lágrimas não são argumentos.”
     De manhã, enquanto caminho, entrego-me à idade e lamento o amor não vivido nas passarelas da luz. Fantasio o meu amor e me desafio nas tardes, com o por de sol ao som do Bolero de Ravel. Então, lembro as cenas, os beijos rasteando o horizonte que se esgota na memória fotográfica. Mário Benedetti expressa, “...com esta solidão /desnecessária / vazia // se pode algumas vezes / entender /o amor”.
     É hora de solidão e inverdade sobre a felicidade e de retirar da parede o retrato, como demonstra Mariana Ianelli, “Logo voltas as tuas saudades antigas, / ...Porque és o teu regresso, /nas tuas buscas iludidas / e no teu desamor”. Sozinha, sinto que o amor oferece resposta ao ondular sobre os sentimentos: o mal de amor. É na vista azul que luto contra os sentidos, converso com a poesia e encontro manhãs sem luz. Conformo-me e mal revivo as emoções. Eduardo Martins pergunta, “Quem um dia já não foi / em visita ao seu passado?”
     Hoje, tenho vida sem paixão nos minutos de lembranças e nos desencantados dias que passam escuros e falecidos. Gasto o tempo no mal de amor e não tenho mais forças para sentir saudades. Vivo a condição entre a vida e a poeira, como encontro em Américo Conte, “... O que faço sem você? / Os meus dias são de melancolia / e as minhas noites de martírios //... carrego uma angústia no peito / e um vazio no olhar / a procura da tua imagem / que vejo em tudo que é lugar. / E assim me arrasto pelo mundo / magoado com esta vida / que me alijou do teu aconchego / e me fez perder o gosto de viver”.


Biografia:
Pedagoga. Articulista e cronista. Textos publicados em sites e blogs.Participante e colaboradora do Projeto Passo Fundo. Autora dos livros: Amantes nas Entrelinhas, O Exercício das Vozes, Autópsia do Invisível, Comércio de Ilusões, O Eco dos Objetos - cabides da memória , Arte em Movimento e Vidas Desamarradas.
Número de vezes que este texto foi lido: 460


Outros títulos do mesmo autor

Artigos OPINIÃO:PÚBLICA ou PUBLICADA Tânia Du Bois
Artigos MENTES BRILHANTES Tânia Du Bois
Artigos AVESSO A MÁS NOTÍCIAS Tânia Du Bois
Artigos CONVERSAR com o TEMPO Tânia Du Bois
Artigos ARTE: VOCAÇÃO E PAIXÃO Tânia Du Bois
Artigos PARCEIRA DO TEMPO Tânia Du Bois
Artigos EM PASSOS PESSOAIS Tânia Du Bois
Artigos AUTÓGRAFOS Tânia Du Bois
Artigos SEDUZIR A PRÓPRIA MORTE Tânia Du Bois
Artigos Papel & Imaginação Tânia Du Bois

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 325.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185474 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 163612 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 163525 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130612 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117700 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 80614 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69775 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 64778 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60267 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55709 Visitas

Páginas: Próxima Última