Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
CONTOESIA: A HONESTIDADE
...
orivaldo grandizoli

Resumo:
...

Queria tanto ser honesto,
desses que qualquer um quer estar por perto,
como o Zé o Tonico o Mané o Joca e o Ernesto;
e eu, que careço de riquezas no fundo falso do baú,
que tenho a caderneta do banco sempre no vermelho,
descobri que ser honesto é estar sempre no azul...

Achei, por acaso, uma carteira recheda de notas,
olhei pros lados, apanhei, guardei no bolso da calça,
andei dois quarteirões, parei num bar, pedi uma água,
abri devagar a carteira e contei as notas, primeiro vi
uma quantia de dar água na boca no vendedor de roupas,
fui mexendo nos outros compartimentos, que coisa louca,
foto de duas crianças, um telefone para ligar, se necessário,
um bilhete vencido, um poema como se no fundo do armário...

Curioso, abri devagar a folha e li o poema, que dizia assim:

“Ah, meu bom amigo, que sorte a tua de achar na rua
o que não perdeste, pertences de alguém distraído,
que no afã de chegar depressa ao trabalho vê a sua
quantia vinda do FGTS, acidentalmente subtraído,
sumir numa esquina qualquer da cidade, e depois
de conferir cada bolso, procurar em cada vão,
saber que perdeu o dinheiro da compra do arroz,
a mistura tão controlada, aquele saco de feijão...

Se foi tu que achaste, se tiver compaixão e piedade,
me devolva o bem achado, se não tudo, um pouco,
sabes bem que o bem maior é a honestidade,
toda maldade acaba por tornar o homem, um louco...

Se assim o fizeres, desde já te agradeço,
prometo te mandar rezar, não uma missa, mas um terço;
sem apelar para o sentimentalismo, as crianças te agradecem,
sabemos que os maus nos procuram mas os bons sempre aparecem...”

Fiz a ligação, quem me atendeu foi um anjo de verdade,
que me disse, “fostes testado, pode ficar com o dinheiro,
podemos nos afastar de tantas coisas, menos da solidariedade;
saiba que, nesta vida de muitas experiências, vem primeiro
a mentira da posse, depois a inestimável honestidade...”


Biografia:
Se a palavra vem da boca nasci quando a genealidade marcou touca e me pôs para cantar em voz rouca...
Número de vezes que este texto foi lido: 412


Outros títulos do mesmo autor

Poesias MÁQUINA SEM FREIOS orivaldo grandizoli
Poesias ENQUANTO COMO PALAVRAS orivaldo grandizoli
Poesias OSSO DE SONETO orivaldo grandizoli
Poesias UM POEMA (Quase um cordel) orivaldo grandizoli
Poesias POMAR DE POESIAS orivaldo grandizoli
Poesias SÃ CONSCIÊNCIA orivaldo grandizoli
Poesias SE AMANHÃ orivaldo grandizoli
Poesias MAIS OU MENOS orivaldo grandizoli
Poesias SHIVA orivaldo grandizoli
Poesias QUANDO orivaldo grandizoli

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 2133.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185474 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 163611 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 163523 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130609 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117699 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 80614 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69773 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 64773 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60261 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55708 Visitas

Páginas: Próxima Última