Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
DESPEDIDA DESPIDA
Flora Fernweh

O mundo desabou naquele precipício inevitável, sou testemunha da perda que me perseguirá por toda a vida. Sua imagem subirá a minha mente em cada obra de arte desse sanguinário louco que chamamos de destino, sua face se escreverá em meus olhos a cada poesia que me penetrar, e o sabor melódico de sua voz proferirá as mais belas e dolorosas cantigas de amor em meus lábios sedentos por um beijo fatal do único ser capaz de encerrar meu coração. Todos os momentos dignos de memória e todos os instantes dignos de história acabam em um passeio breve pelo cemitério do incompreensível, não há paixões enterradas ou amores desesperados erguendo-se à tona, o que persiste é o olhar quente de quem contempla o frio do amanhã incerto e a beleza trágica da ciência de que tudo será sempre em vão, passageiro, forasteiro. O vento que me trouxeste, é o mesmo que me levaste, mas não sou como o vento que tudo apunhala e liberta, não sou mais a mesma menina daquela tarde fascinante em que te encontrei, hoje estou mais séria, em equilíbrio, quem sabe, feliz por ter te conhecido e melancólica por ter te deixado voar. Preciso de um grito de insanidade que me desperte do abismo em que me jogaste, se eu pudesse me livrar dele, sairia pelas ruas dessa noite chuvosa e quente, sem rumo, posto que meu norte é você. Agora, que não trilho mais ao lado seu esses caminhos sinuosos que a vida me preparou, sinto como se eu estivesse estática, à espera de um sinal de você, um sopro leve que me leve as angústias, trazendo-te de volta, ou um sussurro rápido e lacerador de que jamais voltarás para os meus braços.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 279


Outros títulos do mesmo autor

Poesias CONSCIÊNCIA NEGRA Flora Fernweh
Cartas CASA VERDE- ALUSÃO AO ALIENISTA (MACHADO DE ASSIS) Flora Fernweh
Contos FALCÃO PEREGRINO Flora Fernweh
Poesias VIVÊNCIAS PRÉ-SUBTÉRREO Flora Fernweh
Músicas ERA FINAL Flora Fernweh
Crônicas LICITA PSICODELIA Flora Fernweh
Crônicas O CHÁ, A RAiZ E O TABU Flora Fernweh
Contos A VIDA É UM DIA LIGADO À TERRA Flora Fernweh
Poesias ILUSIONAUTA Flora Fernweh
Crônicas PROFUNDEZAS DA ALMA Flora Fernweh

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última

Publicações de número 91 até 100 de um total de 123.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
PINGO DE CHUVA - Gerson de Moraes Gama 30129 Visitas
Árvore - valmir viana 30127 Visitas
Projeto de Pesquisa: Supervisão Escolar e a Formação docente - GRAZIELA SOARES SOUZA RANSAN 30088 Visitas
APRESENTANDO E ANALISANDO AS CAUSAS DA VIOLÊNCIA ESCOLAR - FÁBIA GEISA AMARAL SILVA 30081 Visitas
Rebeca - P Corrêa 30063 Visitas
Decadência - Marcos Loures 30063 Visitas
A GUERRA DA ÁGUA - Orlando Batista dos Santos 30062 Visitas
A Gardênia de Ícaro - Condorcet Aranha 30030 Visitas
Segredos - Maria Julia pontes 30028 Visitas
Não volto não! - Cláudio Thomás Bornstein 30026 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última