Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Peste
Alice Silva

Resumo:
Interpretem como quiser.

Flamba a fritura
Pipoca o milho
nada leve o toró.

Toró tomba
Quebra telha
Não a lareira.

Larereia acesa
Na pressa da presa
Do amor que a tudo desata.

Desata a doer
Desata a matar
Desata a renascer.

Logo em mim, que disto fujo como à peste


Biografia:
Alice Silva, 21 anos, cantar, ler e escrever, são como respirar.
Número de vezes que este texto foi lido: 27647


Outros títulos do mesmo autor

Poesias morte eterna Alice Silva
Poesias Bêbados Alice Silva
Poesias Passarinho Alice Silva
Poesias O pé de feijão Alice Silva
Poesias Na minha cidade Alice Silva
Poesias Oranosolb Alice Silva
Poesias É mesmo um fracasso? Alice Silva
Poesias Inexistência Alice Silva
Poesias Pit stop Alice Silva
Frases Coisa triste Alice Silva

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 41.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 29088 Visitas
Um céu de estrelas - Angelita Penalva 27858 Visitas
Gratidão a um amor verdadeiro - Paulo Vieira da Silva 27831 Visitas
Vida de perro: el rimbaldiano "caso Udonge" - udonge 27791 Visitas
Amores! - 27791 Visitas
Pra Mim, Fui Eu - Carlos Artur Paulon 27789 Visitas
Desabafo - 27780 Visitas
O Eterno Retorno - Angelita Penalva 27747 Visitas
Sentença poética - Jhonata Antonio 27742 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 27738 Visitas

Páginas: Próxima Última