Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Viagem de caronas
Talin Sangrato

Eu conheci ela no pior momento da minha vida.

Minha vida já estava transbordando de instabilidade. É difícil para as pessoas entenderem pouco tudo que passei, pois quem teve um lar nunca saberá o que é viver a vida confiando em estranhos. Não sabe o que é acordar sabendo que não tem ninguém, e ter a insegurança de quando chegar alguém já se perguntar quando esse se vai. Um mês, três meses, um semestre, ano ou anos. Ou uma semana. Não importa, elas sempre se vão da mesma forma: deixando a dúvida se o problema está em você. Isso em todos os tipos de amores...
Minha vida era uma viajem de coronas. Cada um me deixava até onde podia, e quando eu me via sozinha na estrada, vinha sempre outro. Um coração desse já estava tão magoado de cada pancada de adeus, de cada “a culpa é sua”, e de cada choque térmico de um fim dramático para um outro começo excitante. Dias perfeitos, noites cheias de energia versus brigas intensas e vazio imenso. O final da história sempre era sugestivo: eu sozinha na estrada. Eu realmente não aguentava mais.

Mais aí um dia ela chegou.
Quem foi ela? Foi mais do que alguém que me levou em festas e me fez criança. Foi alguém que me abraçava enquanto eu implodia, que vinha mesmo quando eu expulsava, que estava sempre lá e ficava sem precisar perguntar. Ela segurou minha mão nas minhas revoluções, e me acompanhou pacientemente em minhas reformas. Aquela que eu tinha certeza que um dia iria embora e eu nunca mais a viria, mas que mesmo muito tempo depois me faria escrever como escrevo. Que me faria ler esse texto varias vezes, e lembrar de um dia de verão nós sorrindo e correndo na praia de madrugada segurando nossas sandálias. Alguém que me ensinou que o amor não é só diversão quando se machuca outros. Isso me levou para outro nível: aceitação. Aceitei meus erros e que muitos foram embora por essa minha causa. Amadureci. Pedi desculpas a todos eles mesmo que não saibam. Então ela me viu crescer e encontrar outros e outras, amores reais, amizades leais, fraternidade, família e um amor eterno. Ela diz que tudo não foi só ela, e ela fala a verdade quando diz. Mas nada começa sem uma iniciativa.
Final dessa história?
Bem, ela se foi, mas não foi... ainda está em meu coração. Mas dessa vez não fiquei sozinha na estrada.


Biografia:
Alguém que não tem o que contar de si mesmo, que escreve só pra si e até hoje não sabe porque compartilha. Se quiser mandar recado direto pra mim e-mail tefhanbowt@hotmail.com
Número de vezes que este texto foi lido: 28574


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Ela sempre volta Talin Sangrato
Crônicas Viagem de caronas Talin Sangrato
Poesias Extemporânea Talin Sangrato
Poesias Pulei contra um trem Talin Sangrato


Publicações de número 1 até 4 de um total de 4.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 48621 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39030 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 33114 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 32052 Visitas
Amores! - 32037 Visitas
Desabafo - 31658 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31413 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30788 Visitas
Faça alguém feliz - 30772 Visitas
Vivo com.. - 30427 Visitas

Páginas: Próxima Última