Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Entre o jogo e a vida
Check Mate!
Renata Oliveira

Resumo:
Olhe para os dois lados da ponte quando for atravessá-la para criticar a vida. "Não acredite em tudo o que você pode ver", porque as coisas mudam e se você não aproveitar cada segundo, pode não ter mais a oportunidade de continuar, o que não seria vantagem alguma! Mas lembre-se, tudo tem um preço...

_ Eu seria a pior pessoa do mundo se dissesse que "odeio a vida"? Não, talvez não, não é? Talvez eu seria a pior pessoa do mundo se de fato "odiasse a vida". Bom então..., sou a pior pessoa do mundo!

_ Eu diria que você seria um infeliz. Mas me diga bom homem, por qual motivo, razão ou circunstância você permite que esse "ódio pela vida" te domine? É mais que comprovado que quando se odeia algo ou alguém se tem um motivo bastante determinado não acha?

_ Não vejo graça em sua existência. A vida só nos dá prejuízos. Ela traz as piores lembranças. Seus conceitos são inexistentes. E suas intenções são irrelevantes. O jogo com a qual ela nos aprisiona, é sujo e obscuro, um labirinto sem fim e também sem começo. A vida não nos proporciona escolhas e sim opções.

_ Pois bem. É um bom argumento. Mas já parou para pensar que "a vida é única, mas nunca está sozinha"?
_ Desculpe. Não entendi o que quis dizer... Ainda assim, posso confirmar que num jogo de Xadrez a vida é o tabuleiro. O único problema é que a vida não admite companhia, fazendo dos jogadores: um só, cada um de nós, um por um, até que... "CHECK MATE!", próximo jogador.

_ Ok. Vamos usar de exemplo o seu conceito. Digamos que a vida é um tabuleiro de Xadrez e nós os jogadores. Quem seriam as peças? Suponho que: A Rainha é a esperança, aguardando para atacar assim que os que estão colocados à sua frente sejam movidos; O Rei é a morte, pronto para te levar, só na espreita, observando todos os seus movimentos; A Torre é o tempo, esperando para agir logo após que suas escolhas forem feitas; O Cavalo é o amor, é difícil movê-lo quando não se tem muitas casas para colocá-lo e , tome cuidado, se você não ficar de olho as outras peças podem pegá-lo e você o perderá, apesar das chances que ele tem de fugir; O Bispo é a dor, ninguém gosta muito desta peça já reparou? Só se usa quando realmente necessário; Por fim, os peões que são as oportunidades, essas sim, elas são as primeiras a serem movidas, as únicas que abriram caminho para que as dádivas que a vida colocou logo atrás entrem em cena. O seu trabalho é jogar e tentar vencer a morte que seria o Rei até que ele te drible e te jogue para longe do tabuleiro. A quantidade de oportunidades que a vida lhe concede são definitivamente maiores do que qualquer outra necessidade que completam o jogo, e veja: se há uma peça faltando, o jogo não pode prosseguir.

_ Não faz sentido! A vida joga duro comigo! Eu nasci e fui abandonado, largado na doação, cresci com pais adotivos que eram inúteis! Conheci uma mulher que por milagre é a melhor que um homem poderia ter como esposa, tivemos dois filhos: gêmeos. Mas qual a vantagem de ter uma família maravilhosa e não ter tempo para eles?! Trabalho como um infeliz, sem tempo para nada nem mesmo descansar os olhos. Estou a uma viagem de negócios a quase um ano, não vejo minha família todo esse tempo e a última vez que ouvi a voz deles foi a duas semanas, ainda pelo telefone, liguei para "avisar que seriam, agora, somente duas semanas aqui" e, então recebi a notícia de que ficaria mais um mês de trabalho, pois surgiram alguns imprevistos e só depois estaria livre para reencontrar a minha família e eu ainda não tive a coragem de contar-lhes porque fico imaginando a decepção em seus olhares. A vida é injusta comigo! E além de tudo, estou perdendo meu tempo lhe contando histórias da minha vida, afinal, não me ajudou em nada até agora! Do que adiantou eu ter escalado toda essa montanha para ouvir somente ladainhas de alguém que se diz ser um Sábio?

_ Oh!, meu caro, pude entender que apesar do adiamento em ver sua família, você iria vê-los novamente. Então por que reclamaste tanto sendo que só estaria a trabalho para dar à sua família uma vida melhor em relação ao dinheiro?

_ Você tem toda razão... Preferiria continuar ganhando menos e poder vê-los todos os dias e estar com eles para poder vê-los com um sorriso no rosto.

_ Então por que fizeste a escolha errada quando ainda era tempo e a vida estava disposta e te deixar fazer a jogada?

_ Ainda não é tarde, não é? Você mesmo, um sábio me dissera que a vida nos possibilita muitas dádivas... O tempo é uma delas!

_ É preciso aproveitar cada momento, quando surge uma oportunidade, é preciso agarrá-la. Você era feliz quando trabalhava em um supermercado, contudo disposto a arranjar outro emprego custe o que custasse. Abrindo o jornal de uma só vez encontrou a seguinte propaganda: "Procura-se jornalista.", foi uma das melhores empresas da cidade que havia feito o anúncio e não querendo deixar esta oportunidade escapar, gastou todas as suas economias até o último centavo num curso básico de jornalista e, mesmo aceito na empresa estava como aprendiz de jornalista, ganhando apenas 10% a mais do que ganhava, porém, com mais tempo de serviço. Uma oferta foi proposta a você: "Faça uma viagem como estagiário e no final você ganhará um bônus". Sem pensar duas vezes aceitou. Seu salário não era bom e você só queria dar uma vida melhor à sua família. Se você ao menos tivesse perguntado qual seria o bônus, saberia que era nada mais nada menos do que o direito de ter uma sala só sua na empresa e nada de dinheiro; e se você tivesse um pouco mais de interesse em mudar de vida, olharia o jornal todo na esperança da melhor proposta e veria que na primeira página estava o seguinte anúncio: "Precisa-se de aprendiz de jornalista, não é necessário muita experiência. Bônus de um vale compras e cesta básica mensal."
O tempo é uma dádiva quando se tem! Sua família te amava com dinheiro ou sem. Não seria tarde demais se tivesse jogado com sabedoria os peões e as outras peças nas casas certas. Agora olhe para você. Teve um infarto no meio da montanha e nunca chegou realmente até aqui... Check Mate! O Rei fez sua jogada.

                  - Renata Oliveira


Biografia:
Gosto de surpreender quem me julga incapaz
Número de vezes que este texto foi lido: 113


Outros títulos do mesmo autor

Teatro Entre o jogo e a vida Renata Oliveira


Publicações de número 1 até 1 de um total de 1.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 181810 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 135823 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 135336 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 127511 Visitas
Amei! Que droga! - Fabiano Vaz de Mello 92446 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 66595 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 56363 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 56323 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 55728 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 52911 Visitas

Páginas: Próxima Última