Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Um livro para leitores invisíveis
(Perdidas: uma obra literária ímpar)
Roberto Queiroz

Como se começa uma resenha literária sobre um livro cujo público-alvo não existe em sua versão carne e osso? Complicado, eu sei... Mas a advogada Kátia Bandeira de Mello Gerlach e o cronista e editor Alexandre Staut conseguiram!

Perdidas: histórias para crianças que não têm vez é um exemplar ímpar dentro da história recente da nossa literatura (que volta e meia, aliás, vem sendo demonizada, acusada de viver seus piores dias). Feita à muitas mãos, reflete o vazio existencial de nossa sociedade opaca, refém de uma violência urbana atroz e desenfreada, fruto de uma sucessão de desgovernos contínua.

Seus protagonistas aqui são vítimas de balas perdidas. Mais: vítimas da crueldade e da falta de compaixão da própria sociedade, mais preocupada com suas contas bancárias, iphones e status em redes sociais. E não há nada que possamos fazer de imediato, a não ser administrar a forma como essa dor, esse desalento, se processo.

Os organizadores do trabalho (por sinal, ótimo!) mesclam nomes facilmente reconhecidos do grande público nos últimos anos - como Edney Silvestre, Andréa del Fuego, Santiago Nazarian, Martha Batalha, Noemi Jaffe, João Anzanello Carrascoza, entre outros - com figuras não tão conhecidas, e nem por isso desprezíveis. Por sinal, foi uma grata surpresa conhecer pela primeira vez a obra de alguns deles (que merecem que eu corra atrás por mais!).

A violência aqui narrada se mostra em diferente facetas. Seja na forma de mensagens perturbadoras; nas vítimas que confessam pormenorizadamente suas próprias catástrofes; na própria bala perdida - causadora de tanta dor e destruição - explicando sua trajetória e desfecho maquiavélico; na desconstrução do conceito de violência (às vezes, confundido com arte); na morte quando comparada com brincadeiras de infância (como pedra, papel e tesoura). E entre poemas e contos enxutos, vamos esmiuçando a face macabra de toda essa vilania.

Termino a leitura num misto de angústia e êxtase. Angústia por, em alguns momentos, duvidar de tanta maldade e da forma simples com que ela se constrói em nossa nação cada dia mais bélica; e êxtase por estar diante de um documento muito mais verídico do que costumamos ver em nossos noticiários e no discurso de certos "especialistas em segurança pública".

Enfim... Não conheço melhor definição para Perdidas do que mosaico. Um mosaico de intenções confusas e decisões macabras, que vai apunhalando o leitor página a página.

Somos um país que se vangloria de seu próprio analfabetismo e da eterna mania de se dizer malandro, safo, acima de qualquer suspeita. Pois bem: Perdidas refaz essa visão de mundo de uma maneira um tanto sórdida, mas necessária para que acordemos dessa letargia que vem nos acometendo há mais de cinco séculos. Letargia essa com a qual nos acostumamos, pois como dizia o falecido João Ubaldo Ribeiro no título de um dos seus livros de crônicas, "a gente se acostuma a tudo".

Parte da renda do livro é destinada a uma instituição que pretende combater esse triste cenário no qual estamos inseridos. E só por isso a obra já mereceria minha atenção. Mas acreditem: Perdidas é bem mais do que isso. É um alento em meio a tanta omissão e covardia em nossa pátria, repleta de demagogos que se disfarçam de patriotas.


Biografia:
Crítico cultural, morador da Leopoldina, amante do cinema, da literatura, do teatro e da música e sempre cheio de novas ideias.
Número de vezes que este texto foi lido: 14


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Legalize it!!! Roberto Queiroz
Artigos O que andam chamando de MPB Roberto Queiroz
Artigos A tv de papel Roberto Queiroz
Artigos Uma aula de etnia Roberto Queiroz
Artigos Se eu quiser falar com Deus Roberto Queiroz
Artigos A mentira nossa de todo dia Roberto Queiroz
Artigos A lenda dos quadrinhos Roberto Queiroz
Artigos O homem que inventou as matinês Roberto Queiroz
Artigos A banda que definiu a minha geração Roberto Queiroz
Artigos O país que gostamos de inventar de tempos em tempos Roberto Queiroz

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 129.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 48745 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 39040 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 33198 Visitas
Amores! - 32073 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 32064 Visitas
Desabafo - 31695 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 31418 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 30793 Visitas
Faça alguém feliz - 30790 Visitas
Vivo com.. - 30448 Visitas

Páginas: Próxima Última