Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Carta a um desconhecido 2
J.Haray

Resumo:
Não foi fruto da minha imaginação, ele existe.

Caro desconhecido,



Após conseguir depois de anos me expressar em algumas linhas sobre você, fui tomada por um certo alivio que me permitiu retornar à minha rotina, principalmente a que mais gosto, escrever. Em busca de uma informação para complemento de uma pesquisa, deparei com algo que me colocou em estado de choque, meus batimentos cardíacos diminuíram, minha boca secou e minha visão desapareceu, senti quando minha cabeça colidiu com algo duro, depois disso mergulhei em um silêncio ensurdecedor, sem contar a escuridão apavorante que me fez companhia por muito tempo.
Estar de volta a claridade e o barulho que me desorienta não foi mais confortante do que o crepúsculo anterior, continuei confusa e o mais triste foi olhar para os lados e descobrir que em um momento como aquele eu estava completamente sozinha, não suportei e chorei até não aguentar mais. Não me incomodei em continuar no chão onde adormeci. Lembro que lamentei muito não ter ninguém para conversar ou me fazer companhia, atualmente meu estilo de vida é muito desolador, mas de certa forma busquei por isso e indiretamente o culpo, pois, não consigo estar com ninguém porque busco por você em todos a minha volta e como não encontro me decepciono e acabo me reclusando.
Foi durante a madrugada que retornei para minha escrivaninha e busquei pela imagem que havia feito com que eu perdesse os sentidos, novamente passei mal, mas não desmaiei, lembro que senti uma profunda tristeza porque estando em destaque naquela imagem já imaginei que seria alguém inacessível, estava com muito medo de descobrir. Não sei exatamente quanto tempo fiquei olhando para a foto e o que mais me chamou atenção foram seus olhos, parecia que eles queriam me dizer algo, são tão lindos e expressivos, com certeza você deve usá-los como um artifício para atrair mulheres para seu lado, pois, a mim, faz com que eu perca o folego cada vez que olho uma foto sua.
Confesso que precisei de coragem para buscar informações sobre você, estou sedenta por respostas às minhas inúmeras perguntas. Primeiro, foi preciso me preparar psicologicamente, pois, eu estava próximo de descobrir alguma coisa sobre você e saber se algum dia teria a oportunidade de me aproximar e libertar esse sentimento que me acompanha desde sempre.

Meu não mais tão desconhecido, temos algumas coisas em comum e outras são desesperanças que vão me torturar pelo resto da vida. Infelizmente há duas coisas que julgo importantes.
— São 10,292 km de distância que nos separam;
— São 18 anos de estrada que percorri antes de você nascer.
Fiquei por dias, deprimida e lamentando a minha existência nessa vida que há muito me castiga. Busquei tentar entender o que estava acontecendo, pois, não tem como acreditar que o homem que espero desde sempre está do outro lado do mundo, embora eu tenha previsto isso. Foi em um grupo de pessoas que estudam e entendem do assunto que encontrei uma resposta que para mim, foi a mais plausível. Relatei em poucas palavras que sonho com você desde a infância, mas nuca o vi pessoalmente, a princípio parecia ser meu amigo imaginário, contudo quando me tornei adolescente os sonhos continuaram e me seguem até hoje, a explicação que tive é que nos conhecemos de vidas passadas, provavelmente já vivemos um grande amor e de alguma forma meu subconsciente lembra de você, lembra também dos seus carinhos e do seu perfume.
Inconformada e precisando conversar com alguém, procurei uma amiga de confiança, de certa forma ela sabia de sua existência, pois anos atrás escrevi um livro sobre o homem que eu me lembrava que era você, mas não entrei em muitos detalhes nesse livro, pois na ocasião não parecia ser importante. Quando mandei sua foto para ela, a primeira coisa que chamou sua atenção foi seus olhos, assim como eu ela ficou atônita e me animou quando disse: — “Não fique triste, pelo menos ele existe e não é fruto da sua imaginação, quem sabe um dia vocês se conheçam e daí pode nascer uma grande amizade.” — Ela tem razão, quem sabe?
Descobri que você veio ao Brasil, e se a informação for correta estávamos a quase quatro horas de distância, como isso é possível?
Não imaginava que minha busca pelo meu amado desconhecido terminaria quando visse sua foto e descobrisse o quanto é inviável nossa aproximação. De certa forma me alegro, pois, sei que não foi em um banco, semáforo, calçada, ‘shopping’ ou reunião de trabalho que deixamos de nos conhecer. Deixamos de nos conhecer por uma simples brincadeira do tempo.
Como disse em carta anterior, não cansarei de esperar por você, não deixarei de amá-lo porque está distante de mim, não deixarei de vê-lo só porque é inacessível. Continuarei acompanhando seu progresso, seus amores, sua felicidade e seu sucesso, mas saiba meu querido e não mais tão desconhecido, você continua fazendo parte da minha vida, do meu coração e da minha alma e se possível for nos encontraremos não nessa mais em outra vida e seremos tão felizes quanto fomos outrora.
Tudo o que escrevi acima é para que fique ciente que hoje iniciarei um novo projeto, vou contar em um livro como foi minha vida ao seu lado em outro tempo, irei descrever com detalhes os sonhos que você fez parte e tentarei passar ao futuro leitor o quanto o amei e ainda o amo e o quanto fui feliz em seus braços.
Meu amado não mais tão desconhecido, temo ser alvo de alguma censura e para não expor a sua pessoa, manterei sobre sigilo seu nome, sua profissão e sua terra natal, acredito que não preciso me expor tanto e muito menos usar você para que alguém diga que estou tirando proveito da sua imagem. Quero gritar ao mundo que seus olhos transmitem amor infinito, que seu sorriso é um acalento para qualquer coração e que você num todo é a cura para minhas enfermidades. Para muitos você é um ídolo e para mim que a pouco descobri sua existência e a cada dia que passa descubro um pouco mais, você é foi e sempre será meu eterno amor.






Eternamente sua,

J.Haray


Biografia:
J.Haray é o pseudônimo de Marcia Jalili, gosto de escrever desde sempre. Sou uma romântica incurável e mesmo algumas decepções na vida não fizeram com que eu deixasse de sonhar e acreditar que ninguém está imune de cruzar com seu verdadeiro amor, não importa o tempo, um dia irá acontecer.
Número de vezes que este texto foi lido: 81


Outros títulos do mesmo autor

Romance Sophia J.Haray
Cartas Carta a um desconhecido 2 J.Haray
Cartas Carta a um desconhecido J.Haray


Publicações de número 1 até 3 de um total de 3.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 69530 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55941 Visitas
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 48453 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 44678 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 44320 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43940 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 43229 Visitas
viramundo vai a frança - 43174 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 41938 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 41575 Visitas

Páginas: Próxima Última