Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Já estudou Filosofia da História hoje?
Vander Roberto

A dinâmica evolutiva da espécie humana dentro da História está amparada pelo Filosofia da História. Impossível pensarmos numa sociedade que tenha alçado voos maiores em diversas áreas sem um processo reflexivo e crítico que determinasse novos horizontes no decorrer do tempo. Isto nos parece óbvio não sendo tão fácil como isto tenha ocorrido diante de estruturas já aceitas. Perguntar o quê move uma sociedade para o processo evolutivo e quando isto passou a ocorrer já estabelece o princípio que somos um produto histórico em constante aperfeiçoamento e evolução.

A Filosofia da História é a mola propulsora das revoluções mentais e históricas visando colocar o ser humano em patamar novo, indicando aquilo que foi e precisa ser mudado, apresentando uma reflexão profunda que gere resultados evolutivos capazes de eliminar o obsoleto (obsoleto não é velho) gerando novas opções mais racionais que atendam uma sociedade. Eu diria que neste nível, absorvemos novas posturas, regramentos, leis, dotadas de racionalidade, capazes de colocar seres humanos em novas alternativas em busca do melhor.

Não podemos falar em Filosofia da História sem criticidade pois esta traz o passado diante dos nossos olhares, mostra os problemas que não devam novamente ocorrer, alcança o profundo e emerge com soluções outrora não vistas, indicando que a capacidade de raciocinar o vivido trará modelos mais assertivos para a melhoria social. O foco central, portanto, desta área é conduzir o humano para revoluções, sejam individualizadas no seu cotidiano e no seio social determinando novos caminhos.

Grande parte da submissão humana está na ausência da Filosofia da História como resposta ao entregue em certos períodos e isto ainda é visto diante da passividade nas tomadas de decisões políticas atuais. O ressurgimento das cinzas do Nazismo em pleno século XXI mostra que temos problemas na criticidade desta forma política, uma carência de Filosofia da História em assentos escolares e dentro da representação política atual. O momento pede ratificação da Democracia e isto só será efetivamente bem defendido quando argumentamos tendo base sólida da Filosofia da História, não aceitando o submisso que nos é imposto e partindo para a revolução, não permitindo a perda de direitos universalmente constituídos.

Evidenciamos que a Filosofia da História aponta coisas mal resolvidas que impactam o cotidiano. Ela dará a resposta e a devida solução amparada em critérios lógicos indicando novas possibilidades, estendendo um leque de opções bem melhores que o proposto atualmente embasados em estudos mais técnicos e refinados. Se o colocado não nos serve, compete à Filosofia da História mostrar o melhor que possamos seguir, sem abrirmos mão daquilo que é benéfico no presente. Ao ser humano não resta outra alternativa ao não ser clamar pela revolução proposta e dinamitar os males crônicos que venham repetir-se.

Isto adentra nova postura, ações práticas e não somente direcionada para terceiros eleitos, criando um ambiente capaz de revolucionar não pelo derramamento de sangue, método obsoleto e não mais usado, mostrando que a verdadeira revolução será feita pela Educação bem aplicada em alto nível técnico e acadêmico, ou seja, gente preparada para entender e dialogar de fato com uma população demandante que anseia por melhorias ainda básicas que deveriam ter sido resolvidas. Importante é a capacidade de escuta direcionando para projetos mais reais que atendam o público e não embates em microfones que pouco ajudam quem mais necessita.

Nesta linha, a Filosofia da História emerge e dá resistência contra a má Política. Ela ensina que não podemos aceitar a passividade, ao contrário, ela estimula a criticidade daquilo que não aceitamos, propondo dentro da legalidade uma nova mudança bem racional e serve como instrumento de ataque contra extremistas e gente de má-fé que ocupa o poder ou queira nele permanecer além das regras democráticas. Cabe ao espírito humano adentrar esta área do saber, ocupar-se das suas análises mais fecundas e aplicá-las com juízo que demanda o momento. É isto.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 54916


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Conclusão sobre a Eurocopa e Copa América 2024 Vander Roberto
Artigos Os conflitos paulistas e reflexões atuais Vander Roberto
Artigos Fechamento do Café Girondino em São Paulo Vander Roberto
Artigos Estupro é crime e não opção! Vander Roberto
Artigos Testei o Debian LXDE para 32 e 64 bits Vander Roberto
Artigos Já estudou Filosofia da História hoje? Vander Roberto
Artigos O estudo da História é vital para não ser escravizado Vander Roberto
Artigos Análise da obra: "História do Brasil: uma interpretação" Vander Roberto
Cartas Carta para Sophie Scholl nº 2 - Junho/2024 Vander Roberto
Cartas Carta para Sophie Scholl - Junho/2024 Vander Roberto

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 146.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
Minicurso sobre a redação no ENEM - Isadora Welzel 79695 Visitas
URBE - Darwin Ferraretto 58139 Visitas
QUE SE... - orivaldo grandizoli 55357 Visitas
81 anos da prisão e morte dos Rosas Brancas - Vander Roberto 55346 Visitas
Nua, totalmente indefesa - rodrigo ribeiro 55292 Visitas
Lançamento do livro - Alberto Kopittke 55238 Visitas
amor feito desejo... - natalia nuno 55230 Visitas
A Magia dos Poemas - Sérgio Simka 55198 Visitas
A FORMIGUINHA - Jonas de Barros Vasconcelos 55182 Visitas
Quente - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 55173 Visitas

Páginas: Próxima Última