Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Azul Florescente
Airys Dhany

Resumo:
Um conto erótico.
Para maiores de 18.
Esse é um conto escrito por mim, Airys Dhany...espero que gostem!

Eu nunca gostei muito de festas, baladas, mas lá estava eu, em uma.
Fui retocar minha maquiagem no banheiro e eu ouvia o som ecoado, o som abafado de "sweater weather" o som era bom, era ótimo na verdade, quando eu menos esperei a porta do banheiro se abriu, tomei um susto mas quando me virei era ele, era somente ele, ele estava ali, o cara que eu amava estava lá, parado na minha frente com os olhos fixados em mim e eu não podia acreditar pois durante a festa eu não tinha o visto, não tive tempo de pensar, lá estava ele com seus lábios nos meus, borrando o batom que eu tinha acabado de passar.
Ele me pegou pela cintura e me colocou em cima daquela pia de mármore tão brilhante como seus próprios olhos castanhos, ele beijava meu pescoço e logo enrolada seus dedos em meu cabelo bagunçado, o vidro embaçado e a música parecia nunca ter fim.
Ele então tirou minha blusa e quando menos esperei meu sutiã já estava por cima da pia também, sua boca não só beijava bem como também sabia ser usada para muitas outras coisas, logo em seguida meu short estava desabotoado, ele tirava devagar e o short deslizava na minha pele iluminada pela aquela luz azul florescente, ele me tocava, me tocava tão bem que aquilo era uma espécie de ecstasy, ele era meu ecstasy, ele era minha droga, a única droga que eu queria durante toda aquela noite.
Ele suspirava e dizia que eu era sua e então minha calcinha também deslizou sobre minha pele azul, ele se aprofundou tão forte em mim, eu pude senti-lo de todas as formas possíveis…gemidos, grunhidos, minhas unhas arranhavam suas costas como um gato se prende ao seu nôvelo de lã.
Mais fundo, mais fundo, cada vez mais fundo, eu não me importava, aquela sensação foi a melhor que tive durante toda noite, seu beijo me embebedava mais que as bebidas, seu toque era minha droga, que droga! Eu estava com minhas pernas sobre seu braço e no vai e vem eu só podia pensar no quanto eu o amava e eu não queria perde-lo.
Naquele instante eu era dele
Naquele instante ele era meu.
Com meus cabelos e curvada para trás eu podia sentir seus lábios saborearem o mais doce sabor do meu corpo.
Era como ter todas as sensações dentro de mim e ser capaz de sentir todas na minha pele.
Era como se "dançassemos" conforme a música, e seu dedo…aaaaaa seu dedo, era como se ele estivesse tocando piano, ele sabia exatamente onde tocar e como tocar, eu era seu piano e estava amando o modo como cada ele sabia tocar cada tecla do meu corpo.
"sweater weather " ainda não havia parado de tocar…nao posso dizer por quanto tempo ficamos ali, mas posso dizer que ficamos o suficiente para saber que nós dois éramos o que importava pra ambos, nós nos amávamos, nús e crús e aquela luz azul florescente iluminou nossas peles, nosso desejo, nosso prazer.


Biografia:
Aqui são meus textos e queria mostra-los para o mundo, cartas, contos eróticos, romance.
Número de vezes que este texto foi lido: 28511


Outros títulos do mesmo autor

Cartas Borboletas No Estômago Airys Dhany
Cartas Você Mesma Airys Dhany
Cartas Nossos Traços Airys Dhany
Contos Toque Airys Dhany
Cartas Nossa Lua Airys Dhany
Cartas Depois Dele Airys Dhany
Contos Azul Florescente Airys Dhany


Publicações de número 1 até 7 de um total de 7.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
Verso cinco - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 0 Visitas
O GATO DE OZ - Saulo Piva Romero 0 Visitas
Pneu - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 0 Visitas
Amor vê - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 0 Visitas
Flúor - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 0 Visitas
Cavalos - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior