Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Mestre BEZ BATTI: TRADUZINDO A ASPEREZA DA PEDRA
Tânia Du Bois


     “Ao mestre João Bez Batti por traduzir a aspereza da pedra, a leveza e o brilho das esculturas.
     
           Obtém na pedra
     a coloração inercial
     do universo
     (maneiras diversas
     dos olhares:o sangue
     não coagulado da donzela
     oferecida ao sacrifício
     de estar viva: indomada)

raspa a entranha e a delimita
no estrito dever de ser pedra

     a mão que a escala
     em regras: águas libertam
     o veio indelével das manhãs

as cores se fazem apresentáveis aos olhos
menores dos interlocutores: as pedras
soam porosas em elogios - o bastante”   Pedro Du Bois

     A arte está focada em estimular a criatividade através de exclusivos sensores de imagem que disponibilizam os “olhos” para guardá-las.
Batti canaliza sua criatividade através das esculturas em basalto, o que acontece continuamente na sua produção com maior variedade e formatos. Para desenvolver o seu talento, o escultor busca experiências concretas de superação de desafios e o foco nos objetivos, sempre relacionado intimamente com a lapidação da pedra. Peças demonstram que a pedra - ritmo e movimento - exerce funções fundamentais na criação do artista.
     Batti possui o talento, a criatividade e asas para voar na imaginação, mas o traço em comum vai além, retrata o mundo em uma ampla “coleção” de imagens, traduzindo a aspereza da pedra.
     Espalhou sua criação pelo mundo e continua focado no desenvolvimento de novas esculturas, primeiro, em desenho, depois, sucessivamente, em basalto. Destaca as pedras onde revela o domínio da anatomia; apresentadas em diferentes cores e esculpidas em diferentes formas... um trabalho com traço firme e rigoroso, emocionando o espectador.
     Esse artista, que conquistou o seu espaço nas artes plásticas, confere o papel de espelho às pedras; ele as vivifica ao transformá-las em objetos de arte.
     Caro leitor, abra seus olhos e comece a planejar uma visita ao ateliê do artista, nos Caminhos de Pedra, na Linha São Pedro, em Bento Gonçalves, RS. É a oportunidade de viver o momento em que o basalto e a arte se encontram e de conhecer o escultor e as suas obras, inesquecíveis.


Biografia:
Pedagoga. Articulista e cronista. Textos publicados em sites e blogs.Participante e colaboradora do Projeto Passo Fundo. Autora dos livros: Amantes nas Entrelinhas, O Exercício das Vozes, Autópsia do Invisível, Comércio de Ilusões, O Eco dos Objetos - cabides da memória , Arte em Movimento, Vidas Desamarradas, Entrelaços,Eles em Diferentes Dias e A Linguagem da Diferença.
Número de vezes que este texto foi lido: 28637


Outros títulos do mesmo autor

Artigos O BELO É SENTIR O HOJE Tânia Du Bois
Artigos Mestre BEZ BATTI: TRADUZINDO A ASPEREZA DA PEDRA Tânia Du Bois
Artigos O SIGNIFICANTE EM CARMEM PRESOTTO Tânia Du Bois
Crônicas “O QUE VALE É A AMIZADE” Tânia Du Bois
Artigos O TEMPO NÃO APAGOU Tânia Du Bois
Artigos A CIDADE DE JOÃO NINGUÉM Tânia Du Bois
Artigos O QUE FAZ VOCÊ FELIZ? Tânia Du Bois
Artigos COMO O AVULSO DAS LUZES DO SOL Tânia Du Bois
Artigos ERA UMA VEZ... O UNIVERSO DA IMAGINAÇÃO Tânia Du Bois
Artigos PORTAS ABERTAS Tânia Du Bois

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 331 até 340 de um total de 340.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Crédito - Hélder dos Santos da Glória Duarte 0 Visitas
Meu filho - Hélder dos Santos da Glória Duarte 0 Visitas
Pantanal - Rafael da Silva Claro 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior