Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O LOBO E O CORDEIRO
Escritor Tércio Sthal

Resumo:
DA OBRA DE MONTEIRO LOBATO.


Numa fazenda distante,
Cercados pelos fazendeiros,
Viviam os cordeiros.

Um dia, um filhote,
Que era muito inteligente,
Chamou a sua mamãe
E disse a ela de modo contundente:

- Acho que precisamos comer
Do capim do pasto dos bois,
Já que todo mundo pode ver
O quanto eles são mais fortes
Do que qualquer um de nós.

Mas, a mamãe o orientou:

- Cada família tem o seu pasto,
O que há de errado com o nosso capim?
Um é mais fraco, outro é mais forte,
A Natureza é assim!

O cordeiro escutou,
Mas, foi e quando voltou
Para a sua mamãe disse, enfim:

- O capim de lá é bom!
Mas você está com a razão.
Eu estava enganado!
Nada tem de errado
Com o nosso capim!

Mas, mamãe, agora eu quero ir
Beber água do riacho,
Pois acho e é bem provável
Que ela seja mais saudável
Do que a água que bebemos aqui!
Nós caminhamos tão devagar,
Enquanto os outros animais
Correm rápido e sem cansar...

Acho que o fazendeiro traz
E põe em nossa água algum produto
Para nos manter calmos neste reduto.

Mas, meu filho, disse a mamãe,
Que ideia é esta? É perigoso demais
Caminhar pela floresta...

Pode até ser perigoso, disse ele,
Mas eu não sou medroso!

E, ao amanhecer, sem ninguém perceber,
Ao riacho ele se encaminhou...

O lobo viu, se aproximou e exclamou:

- Ninguém convidou você para vir aqui!
Você está bem longe de sua casa,
Pare de beber e de turvar a minha água!
No ano passado, eu já percebi
A bagunça que você fez por aqui!

- Mas, seu lobo, no ano passado
Eu nem havia nascido!
Como posso ter turvado
A água deste riacho,
Sem sequer tê-la bebido?

- Não adianta se fazer de coitado,
Nem queira me fazer de bobo...
Disse, raivoso, o lobo.
Vá beber a água onde você mora,
Antes que eu venha a expulsá-lo.
Sem olhar pra trás, vá embora!
Seus argumentos não me convencem,
Até os viajantes portam alcantis,
Para não beber, jamais,
Da água que não lhes pertence...

Se não trouxe alcantil,
O problema é seu!
Não quero ouvir nem mais um pio,
Cai fora! E pare de usar o que é meu!

Então, antes que o lobo feroz
O atacasse, ele foi embora
E não se ouviu o som de sua voz.

E, ao ver a sua mamãe, disse a chorar:

- Agora, eu aprendi a lição
Que conselhos de mãe
Ninguém deve desprezar!


Este texto é administrado por: Tércio Sthal
Número de vezes que este texto foi lido: 54883


Outros títulos do mesmo autor

Poesias CADA UM BARRA CADA UM Escritor Tércio Sthal
Contos O QUE EU TENHO A VER COM ISSO? Escritor Tércio Sthal
Contos O LOBO E O CORDEIRO Escritor Tércio Sthal
Teatro CÃES E GATOS Escritor Tércio Sthal
Teatro JOGO DE XADREZ Escritor Tércio Sthal
Contos GALOS BONS DE BRIGA Escritor Tércio Sthal


Publicações de número 1 até 6 de um total de 6.


escrita@komedi.com.br © 2024
 
  Textos mais lidos
A FARSA DA USURA - fabio espirito santo 55301 Visitas
O Senhor dos Sonhos - Sérgio Vale 55292 Visitas
Jazz (ou Música e Tomates) - Sérgio Vale 55268 Visitas
A Magia dos Poemas - Sérgio Simka 55249 Visitas
amor feito desejo... - natalia nuno 55249 Visitas
A margarida que falou por 30 dias - Condorcet Aranha 55245 Visitas
A calça preta - Condorcet Aranha 55241 Visitas
Amores! - 55232 Visitas
Menino de rua - Condorcet Aranha 55227 Visitas
A FORMIGUINHA - Jonas de Barros Vasconcelos 55211 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última