Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
OPINIÃO:PÚBLICA ou PUBLICADA
Tânia Du Bois


     Não concordo quando se referem à opinião publicada como se fosse a real versão da opinião pública. Thomaz Albornoz Neves opina, “O que percebo da realidade / veda minha percepção / da realidade".
     Perco muito tempo tentando acreditar na opinião da mídia, que se encontra conflitante com a visão do público. Nesta linha encontro o livro A Corrupção da Opinião Pública, de Juarez Guimarães e Ana Paula Amorim.
     Gosto de pensar que a opinião pública, em determinados momentos, marca posição para ser ouvida e não permite a imposição da mídia, havendo até discordâncias; mas, dentro das possibilidades, ouvimo-la para trazer à tona a verdade. Segundo Umberto Eco, “... a única força que move o intelecto... é a verdade”.
     Acredito que o respeito pela opinião pública deve ser exercido pela vida, porque mexe com o viver, cujo sentimento está vinculado a todos. Hannah Arendt reflete, “... é com palavras e atos que nos inserimos no mundo... A ação é a fonte do significado da vida humana”.
     Pergunto-me em quantas bobagens publicadas acredito sem analisar serem falsas ou verdadeiras. Fico à mercê da mídia, entre tantas possibilidades, na dúvida de cada fato ou versão exposta como especulação.
     Encontro de um lado o poder das palavras na opinião publicada e, de outro, a expressão da vida revelada pela opinião pública, como demonstra Hilda Hilst, “... Nem sempre há de falar-nos um poeta. / E ainda que minha voz não seja ouvida / Um dentre vós, resguardará (por certo) / A criança que foi...”
     A “verdadeira” opinião pública estremece com a persistência da opinião publicada em desafiar diferenças entre o verso e o reverso do fato. Nas palavras de Hilda Hilst, “... Meu dizer é de bronze / E essa teia de prata / A mim mesma me espanta”.
     A opinião pública não está em busca de flores e sim de respostas honestas, visto o descrédito da opinião midiática. Márcio Almeida retrata, “Alívio //... um jornal sem a convivência com o poder...”
     Para manter a opinião do público, e a vida no campo do bem estar e do respeito, é importante ter presente a crítica em relação à opinião publicada, com a abrangência da pluralidade do olhar: nem tão de perto que não possa ver o todo, nem tão de longe que possa perder o rumo das palavras. Hilda Hilst completa, “que mistério tão grande te aproxima / Deste poeta irreal e sem mágica? / De onde vem este sopro que me anima / a olhar as coisa com o olhar que as cria...?”.


Biografia:
Pedagoga. Articulista e cronista. Textos publicados em sites e blogs.Participante e colaboradora do Projeto Passo Fundo. Autora dos livros: Amantes nas Entrelinhas, O Exercício das Vozes, Autópsia do Invisível, Comércio de Ilusões, O Eco dos Objetos - cabides da memória , Arte em Movimento, Vidas Desamarradas, Entrelaços,Eles em Diferentes Dias e A Linguagem da Diferença.
Número de vezes que este texto foi lido: 28691


Outros títulos do mesmo autor

Artigos O BELO É SENTIR O HOJE Tânia Du Bois
Artigos Mestre BEZ BATTI: TRADUZINDO A ASPEREZA DA PEDRA Tânia Du Bois
Artigos O SIGNIFICANTE EM CARMEM PRESOTTO Tânia Du Bois
Crônicas “O QUE VALE É A AMIZADE” Tânia Du Bois
Artigos O TEMPO NÃO APAGOU Tânia Du Bois
Artigos A CIDADE DE JOÃO NINGUÉM Tânia Du Bois
Artigos O QUE FAZ VOCÊ FELIZ? Tânia Du Bois
Artigos COMO O AVULSO DAS LUZES DO SOL Tânia Du Bois
Artigos ERA UMA VEZ... O UNIVERSO DA IMAGINAÇÃO Tânia Du Bois
Artigos PORTAS ABERTAS Tânia Du Bois

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 331 até 340 de um total de 340.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
O grama - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 0 Visitas
A PORTA - VALTENCIR EVANGELISTA PIRES 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior