Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
POLIAMOR
Ricardo Cunha Costa

POLIAMOR

-- "Tu podes me xingar, se isto te conforta.
Disse-lhe sem tirar os olhos d'ele --
-- "Vá! Eu não entendo isto que te impele..." --
Respondeu-me parado já na porta.

-- "O que quero é querer! Já não importa
Se cu, boceta ou pinto (o que se revele!)
Se índio, branco ou retinto, a cor da pele.
Só não serei feliz depois de morta!"

-- "Não sabes me causar senão assombros..." --
E ficou ali olhando os olhos meus
Com aquela frase à guisa já de adeus.

-- "Meu corpo, minhas regras." -- e dei de ombros.
-- "Teu amor, tuas negras..." -- e explodiu:
-- "Poliamor é a puta que o pariu!"

Belo Horizonte - 20 02 2018


Biografia:
Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar.
Número de vezes que este texto foi lido: 33724


Outros títulos do mesmo autor

Poesias O MONGE E A SERPENTE Ricardo Cunha Costa

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 41 até 41 de um total de 41.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
O monstro, a ciência e as reflexões - DIRCEU DETROZ 2 Visitas
ATORMENTADO - Edilson da Silva 1 Visitas
BOCA SECA - Alexsandre Soares de Lima 1 Visitas
CIPÓ E JILÓ - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas
O CAMINHO - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas
PROSTRAÇÃO - Alexsandre Soares de Lima 0 Visitas

Páginas: Primeira Anterior