Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Memória de esperar
Sergio Ricardo Costa




Mil mundos
Eu andarei
Em meio à multidão,
Terrenos que perdi
Em coisas por fazer
E pessoas por encontrar.

O que pode acontecer
Sem sua inquietação,
Demora de esperar,
Mistura-se sutil
Na parte exterior,
A arte interior
De quebrar o coração,
Mil mundos eu andarei.

E mesmo imundo eu andarei.

E mesmo nu eu andarei.

E mesmo sem querer eu andarei
A minha inquietação
De ser como estou
E de estar como nada.

Têm donos o suor
Do medo a piorar,
Contrário há tanto dia
Que pode acontecer,
Há mesmo convicção
Naquilo que não é.

Procura se distanciar
Da fera da solidão,
Irmã no dia-a-dia,
Nem pensa como ser:
Mas pede o coração
A ao menos
Um de seus
Irmãos sem perceber.

Memória de esperar
Até que sem saber,
Que o pano se fechou
Na noite tumular,
Meus braços
                         Já estão
Sozinhos, apesar
Do homem não saber
A aguda sensação
Por último,
Ou um céu
Por hoje ou amanhã,
Lembra-se de que uma vez
Me deixa sem razão
A vida interior:
Mais não permitirei
Que venha ao coração
A simples percussão,
Do único a cair
Deixando-se cair.

— Se tentas levantar
Ao flanco como quem
Ao som da traição
À toa levantou
Afrente a enfrentar
Seus braços e, então,
Daquilo que se faz
(Naquilo que não é)
Num sonho se passou
Inteiras gerações
De ti a explodir
Sem uma direção
No peito do herói
Acima dos seus pés.

No peito, corrói,
A cisma de que és,
Menos que os peixes e
Menos tem os peixes
Que supor que água seja ar.


Biografia:
-
Número de vezes que este texto foi lido: 1809


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Há mais tormentos em ser que em esperar Sergio Ricardo Costa
Poesias No silêncio milenar Sergio Ricardo Costa
Poesias Parceiros pelos pares de pênis Sergio Ricardo Costa
Poesias Restrições em concluir Sergio Ricardo Costa
Poesias Alma, esta coisa suja protegendo os corpos Sergio Ricardo Costa
Poesias Pano, linha, pano... Sergio Ricardo Costa
Poesias Nem sei que o mundo Sergio Ricardo Costa
Poesias A aproximar-se se desfaz Sergio Ricardo Costa
Poesias É como dor que a flor cresce Sergio Ricardo Costa
Poesias A cor do eu acordou em mim Sergio Ricardo Costa

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 208.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185698 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 164401 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 163892 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130810 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117927 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81140 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69976 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 65204 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 60536 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55916 Visitas

Páginas: Próxima Última