Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Menino de rua
Condorcet Aranha


MENINO DE RUA

Condorcet Aranha
      
Manhã de um dia, um dia qualquer,
Num mundo vazio, sem mãe, sem mulher,
É só um menino, na rua, com frio,
Chutando chapinha, jogada de um bar,
Da mesa que tinha comida pra dar.

Largado na vida, perdido que entoja,
Ouvindo uma banda, de um rádio, na loja.
Que busca no sol, o calor pro seu peito,
Não vê o arrebol nem dorme num leito.

Que apenas viaja, que busca esperança,
Que a vida encoraja, na idade que avança.
Andando por ruas que não têm fim,
Ferindo-lhe a alma e o orgulho de mim.

É hora de almoço e nunca tem nada,
Carrega no bolso apenas destino,
Mantendo seu corpo em pernas cansadas,
Suado, no quente do sol já a pino.

Que vai transportando essa fome infinita,
A fome de vida, que a busca lhe irrita.
Que o faz, vencê-la a muque, forçando,
De modo a esquecê-la, pedindo, roubando.

Transgride o seu jeito, de honesto que era,
Tirando em seu peito, razões e quimeras,
Na vida que espera um milagre do mundo,
Tirar-lhe da laia, da fome, do imundo.

Na rua aonde talha, seu corpo e perfil,
Pessoa que falha, mas foi varonil,
Menino que leva na mente ilusões,
Imagem que ceva e corrói corações.
                                                                                                                      
Angústia levada por seus pés descalços,
Descrença cobrada por monte de falsos,
Caminha perdido o menino largado,
Jogado, esquecido e por nós humilhado.

Vivendo num mar de desgostos, lamúrias,
No sal da maldade, no alvo de fúrias,
Na falsa verdade, caminha o garoto,
Cobrindo a vergonha com pano já roto.



A lua que sobe e a noite que chega,
Solidão lhe consome, tristeza foi pega!
Menino surrado, cansado, com fome,
Adentre na caixa e veja se dorme.

A caixa vazia está cheia de sonhos,
São sonhos forjados por falsa esperança,
Embora sentidos lhes são enfadonhos,
Nem trazem verdades à mente criança.
                                                                                                                     
De corpo aquecido, em meio a jornais,
Por sonhos, ungido, pensando ser mais,
No pico da noite, o menino vazio,
Recebe o açoite do vento e do frio.

Tremendo encolhido com peito gelado,
De corpo vencido e sofrendo calado,
Aguarda outro dia, renova a esperança,
De ser realmente, apenas criança.

A nova manhã? Só copia o passado!
Justiça que atende apenas um lado.
Não há solução se apenas falamos,
Parados, omissos para sempre ficamos.

Queria sentir o meu peito deserto,
Olhar o menino na rua liberto,
Viver nesse mundo sem tanta heresia,
Não ter esse tema e fazer poesia.


Biografia:
Nome: Condorcet Aranha RG. 313.281 Órgão expedidor: Ministério da Guerra. CPF : 365568748-68 Natural de: São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro. Data: 29/01/1940. Endereço: Rua Mathilde Drefahl n° 44, Joinville, Bairro Floresta, Santa Catarina, Brasil. CEP. 89213-050. Telefone: 0XX – 47 – 3463.9813 Celular: 9973.8695 E-mails: condorcetaranha@brturbo.com.br wa.public@ig.com.br Escritor e Poeta Pesquisador Científico - Nível VI, aposentado pelo Instituto Agronômico (Campinas/SP} Governo do Estado de São Paulo. Doutor em Ciências, pela Universidade Estadual de Campinas/SP – UNICAMP. Farmacêutico-Químico, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro / RJ. Publicações Científicas: 5 livros e 60 artigos nas mais conceituadas revistas, boletins e periódicos científicos. Artigos científicos no jornal “O Estado de São Paulo”. Colaborador dos jornais “Diário do Povo” e “Correio Popular”, Campinas, SP. (poemas, contos e artigos científicos); Colaborador do “Jornal de Serra Negra”, Serra Negra, SP. (poesias, artigos científicos, análise política e charges). Colaborador com crônicas para o jornal “A Notícia”, Joinville, Santa Catarina. Publicações literárias em dezenas de antologias. Premiações em concursos literários a nível nacional e internacional. Livros solo: “Versos Diversos” poesias 2001, “Histórias do famaliá” contos/crônicas 2003, “Sonhos ou Verdades”contos/crônicas 2006. No prelo para março de 2006: “Verdades em versos” (poesias e trovas) e “Sonhos ou verdades” (contos e crônicas). Membro Titular da Cadeira n° 25, Colegiado Acadêmico, nas Áreas de Letras e de Ciências do Clube dos Escritores de Piracicaba São Paulo, Brasil. Membro no Grau Superior da Ordem da Sereníssima Lyra de Bronze, Porto Alegre / Rio Grande do Sul. Brasil Academico da Accademia Internazionale Il Convívio, Castiglione di Sicília, Itália. Membro da Casa do Poeta Rio-Grandense, São Luiz Gonzaga/ Rio Grande do Sul. Brasil. Membro Correspondente da Academia Ponta-Grossense de Letras e Artes – APLA – Paraná. Brasil. Membro Correspondente da Casa do Poeta Rio Grandense, Porto Alegre/RS. Brasil. Sócio Honorário da Associazione Culturale ZACEM, Città di Savona, Itália. Sócio da ALPAS XXI – Associação Artística e Literária Palavras do Século XXI. Sócio da APPERJ – Associação dos Poetas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro. Nome: Condorcet Aranha RG. 313.281 Órgão expedidor: Ministério da Guerra. CPF : 365568748-68 Natural de: São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro. Data: 29/01/1940. Endereço: Rua Mathilde Drefahl n° 44, Joinville, Bairro Floresta, Santa Catarina, Brasil. CEP. 89213-050. Telefone: 0XX – 47 – 3463.9813 Celular: 9973.8695 E-mails: condorcetaranha@brturbo.com.br wa.public@ig.com.br Escritor e Poeta Pesquisador Científico - Nível VI, aposentado pelo Instituto Agronômico (Campinas/SP} Governo do Estado de São Paulo. Doutor em Ciências, pela Universidade Estadual de Campinas/SP – UNICAMP. Farmacêutico-Químico, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro / RJ. Publicações Científicas: 5 livros e 60 artigos nas mais conceituadas revistas, boletins e periódicos científicos. Artigos científicos no jornal “O Estado de São Paulo”. Colaborador dos jornais “Diário do Povo” e “Correio Popular”, Campinas, SP. (poemas, contos e artigos científicos); Colaborador do “Jornal de Serra Negra”, Serra Negra, SP. (poesias, artigos científicos, análise política e charges). Colaborador com crônicas para o jornal “A Notícia”, Joinville, Santa Catarina. Publicações literárias em dezenas de antologias. Premiações em concursos literários a nível nacional e internacional. Livros solo: “Versos Diversos” poesias 2001, “Histórias do famaliá” contos/crônicas 2003, “Sonhos ou Verdades”contos/crônicas 2006. No prelo para março de 2006: “Verdades em versos” (poesias e trovas) e “Sonhos ou verdades” (contos e crônicas). Membro Titular da Cadeira n° 25, Colegiado Acadêmico, nas Áreas de Letras e de Ciências do Clube dos Escritores de Piracicaba São Paulo, Brasil. Membro no Grau Superior da Ordem da Sereníssima Lyra de Bronze, Porto Alegre / Rio Grande do Sul. Brasil Academico da Accademia Internazionale Il Convívio, Castiglione di Sicília, Itália. Membro da Casa do Poeta Rio-Grandense, São Luiz Gonzaga/ Rio Grande do Sul. Brasil. Membro Correspondente da Academia Ponta-Grossense de Letras e Artes – APLA – Paraná. Brasil. Membro Correspondente da Casa do Poeta Rio Grandense, Porto Alegre/RS. Brasil. Sócio Honorário da Associazione Culturale ZACEM, Città di Savona, Itália. Sócio da ALPAS XXI – Associação Artística e Literária Palavras do Século XXI. Sócio da APPERJ – Associação dos Poetas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro. Condorcet Aranha, Escritor,Poeta,Doutor em Ciências,Pesquisador-Científico, Farmacêutico-Químico.
Número de vezes que este texto foi lido: 29307


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Menino de rua Condorcet Aranha
Poesias Poema à consciência Condorcet Aranha

Páginas: Primeira Anterior

Publicações de número 21 até 22 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
Teia - Vantablack 102 Visitas
O ESPANTO QUE NOS ALIMENTA - Manoel Rodrigues de Abreu Matos 102 Visitas
Ela achou que estava enlouquecendo - Jesselyn Chayane Costa Santos 102 Visitas
CONFIANÇA - Alexsandre Soares de Lima 102 Visitas
COVID - Flora Fernweh 102 Visitas
Dor - Renato da Silva varella 101 Visitas
LENTAMENTE ME AMAS - Paulo Sérgio Rosseto 101 Visitas
Pensamento viajante - Denise I. Villani 101 Visitas
Lança - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 101 Visitas
Marionetes sacanas - Roberto Queiroz 101 Visitas

Páginas: Primeira Anterior Próxima Última