Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
AMAR DEMAIS CAP 2
DE PAULO FOG E IONE AZ
paulo azambuja

Resumo:
BOM

2




           Priscila ali acabara de chegar do trabalho, a casa como se ali estivesse passado um furacão.
    Roupas jogadas da porta até aos pés do vaso sanitário no banheiro sujo, garrafas, copos, latinhas, bitucas de cigarros e 3 rapazes ali caídos no tapete com marcas de vômitos.
    - Que porra é essa aqui? Ela grita ali, os 3 somente se viram para o outro lado, a porta do quarto de Sandra, sua mãe, é aberta e sai dali um homem de barba cerrada, nú, a coçar as partes baixas de seu corpo, cigarro na boca.
    - Bom dia, você é a filha daqui?
    - Vá se fuder.
    Do outro quarto sai um rapaz loiro, magro, que acende seu cigarro no do cara nú, ele de cueca simples abre a geladeira e pega 2 garrafas de cervejas, ela olha pela porta aberta, Adrian seu irmão nú de costas dorme como se ali fosse o paraíso na terra.
    - Já falei, que caralho é isso, porra?
    - Ei, mais respeito com as visitas. Sandra diz tropeçando no caminho até a filha.
    - Que droga Sandra.
    - Oi, ainda sou tua mãe.
    - Grande coisa, já lhe disse, não quero zona aqui, ainda sou eu quem paga essa porra toda, esta me ouvindo? Sandra puxa a filha pelo braço até a cozinha.
    - Bom dia.
    - Já disse. Sandra mostra um pequeno maço de notas.
    - O que é isso?
    - Bufunfa idiota, seu irmão trouxe os colegas do serviço, uns cilentes lá oficina, assei uma carne no forno, eles compraram as bebidas e ai você ja sabe, enfim aqui esta sua parte no lucro.
    - Por que não disse antes.
    - Ué, não vai continuar a criar caso, ser a puritana da família falida.
    - Pare de bobagens, só vou tomar um banho e logo você me explica melhor isso tudo.
    - É isso e pronto. Priscila pega a grana da mão de sua mãe que já retirara a parte dela e de Adrian.
    Após o café recém feito por sua mãe, agora calma, Priscila ja limpa conta a grana do ganho ali e mostra a alegria com aquilo.
    - Sei que não é muito, afinal, ontem fizera muito mais isso.
    - Uma bosta.
    - O que houve?
    - Vou lhe dizer bem rápido. Priscila conta a mãe em resumo o que houvera no hospital, a mãe espantada com aquilo leva a mão á boca.
    - Aquele canalha.
    - Não gosto que fale assim dele.
    - Vai trouxa, ele te lasca e você ainda ai toda melosa com um sanguessuga daquele.
    - Se esquece que é do hospital que vivemos.
    - Bem, isso é, mau mais vivemos...
    - Tá certo, aquele cachorro.
    - Concordo.
    - Nada, por enquanto deixe seu irmão agir um pouco afinal ele também mora aqui.
    - Será, sabe que Adrian muda o rumo de uma hora para outra.
    - Desta vez não, nós conversamos bastante.
    - Tomara.
    - Vai ver.
    Nisso entra ali em calça, descalço e sem camisa, o cara que antes estava nú.
    - Me desculpe, sou Márcio.
    - Olá Márcio, bom dia, eu e que peço desculpas, sabe aqui as coisas acontecem assim, como que um passe de mágica, entende.
    - Acho que sim, mais nada, pronto, ja esquecemos.
    Sandra levanta da cadeira, ele senta ali e ela retorna agora no colo dele.
    - Meu namorado.
    - Como?
    - Sim, estamos namorando.
    - Bom, boa sorte para vocês.
    - Então, não vai ficar brava?
    - Márcio, bem vindo a este mundo daqui, a única regra é que não prejudicamos ao outro.
    - Entendo. Os 3 ali terminam de tomar o café, logo os outros junta-se a eles, Priscila vai para seu quarto de onde sai em short, blusinha e segue para a área de serviço, lava as roupas, Adrian sai e logo retorna com mais cervejas e carne, novo assado e nova festa.

    07102018.............................


Biografia:
gosto de escrever
Número de vezes que este texto foi lido: 467


Outros títulos do mesmo autor

Romance AMAR DEMAIS 19 NOVEL LIVRE 14 ANOS paulo azambuja
Romance AMAR DEMAIS 18 NOVEL LIVRE 14 ANOS paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 12 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 11 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja
Poesias MEUS MOTIVOS paulo azambuja
Crônicas AZUL E ROSA paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 10 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja
Romance AMAR DEMAIS 17 NOVEL LIVRE 14 ANOS paulo azambuja
Poesias ESSES TANTOS EUS paulo azambuja
Contos SÓ VIVER 9 NOVEL LGBT 18 ANOS paulo azambuja

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 121.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 186194 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 167625 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 167327 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 131348 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 118366 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 81799 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 70377 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 66254 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 61188 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 56389 Visitas

Páginas: Próxima Última