Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Como Condenei a Mim Mesmo
Thaynan Oliveira

Resumo:
Nem Sempre Somos Tão Fortes Quanto Queremos, As Vezes, Perdemos As Batalhas que Travamos Com o Amor.

Quando eu o perdi, Realmente Não Liguei, Estava Super FODA-SE, Então Segui a Vida, Me Permiti Apaixonar Por Outra Pessoa, Não o Amava, Mas Queria Sua Companhia. Ate Que, Aquele Sentimento, Tudo o que Sentia Por Aquele Que Amei, Voltou, O Amor Que Nutria Por Ele, Era Como Um Câncer, Se Escondeu No Meu Coração, Eu Voltou Se Espalhando Por Tudo, Não Me Imaginava Amando Alguém Que Não Fosse Ele, e Foi Assim, Que Condenei Meu Coração. Tentava Apagar o Que Senti e Falhava Miseravelmente. Aquilo, Já Fazia Parte De Mim, Eu Estava Em Estado Terminal, e Foi Assim, Que Condenei o Meu Amor.
Foi Assim Que Condenei a Mim Mesmo.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 27855


Outros títulos do mesmo autor

Romance Como Condenei a Mim Mesmo Thaynan Oliveira


Publicações de número 1 até 1 de um total de 1.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2019
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 31791 Visitas
Amores! - 28454 Visitas
Desabafo - 28391 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 28320 Visitas
PSICOLOGIA E DIREITO - Francisco carlos de aguiar neto 28228 Visitas
Faça alguém feliz - 28208 Visitas
Vivo com.. - 28120 Visitas
viramundo vai a frança - 28070 Visitas
aliens - alfredo jose dias 28067 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 28063 Visitas

Páginas: Próxima Última