Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
A Fadinha Lili
Daniela Baez Takahashi

Resumo:
Aventuras de uma fadinha novata que decide ser fada do dente.

Lili era uma fadinha muito proativa e super agitada. Ela nunca esperava as pessoas terminarem de falar e já batia suas asinhas rapidamente para fazer o que lhe pediam. O problema é que muitas vezes não ouvia tudo o que era necessário e acabava colocando os pés pelas mãos...ou...pelas asas.
     Hoje seria um dia especial. Ela estava muito animada pois era o dia de escolher qual trabalho iria fazer no mundo das fadas. Ela já tinha mudado de idéia pelos menos umas 5 vezes, queria ser fada da luz, depois fada dos animais, da flora, da água quando finalmente se decidiu...queria ser fada do dente!
     Foi logo para a fila ansiosa para que sua vez chegasse logo.
     A fada do trabalho abriu a boca para perguntar qual era a área que ela queria trabalhar, ela não esperou sair nem uma palavrinha e já disse:
       - Quero ser fada do dente! Distribuir moedinhas para as crianças mundo a fora.
     A fada do trabalho ia então, começar a explicar que o trabalho de fada do dente não era só esse, mas não teve tempo, Lili já tinha voado para longe dali em direção a árvore-escritório das fadas dos dentes.
     Chegando lá, todas estavam muito ocupadas. Algumas com pilhas de papéis e dentes sendo catalogados, outras contato e separando moedas, outras sentadas em mesinhas estudando o mapa-múndi. Lili se dirigiu a uma fada que parecia ser a coordenadora de lá.
     - Olá! Eu sou a Lili. E você como se chama?
     - Bem-vinda Lili. Eu sou a Brigite e sou coordenadora dessa árvore. Venha, vou te levar até o seu local de trabalho.
As duas seguiram voando pela árvore. Lili estava animadíssima com tudo o que via e ia imaginando tudo o que poderia fazer ali.
     - Meninas, essa é Lili! Ela é uma novata!
     - Ola, Lili! Seja bem-vinda. - As fadinhas a cumprimentaram.
        - Estamos esperando a Sra. Blue chegar. - Disse, Predileta.
        - Ela é nossa professora. - Acrescentou, Moranguinho vendo a cara de dúvida da Lili.
        - Sente-se aqui Lili. - Disse, Predileta.
        Nesse momento uma linda fada com asas azuis muito delicadas chegou.
        - Ah! Você deve ser Lili, a novata. Muito prazer, eu sou a Sra. Blue.
        - Meninas acomodem-se. Temos muito trabalho a fazer. - Disse, a Sra. Blue.
       - Hoje iniciaremos repassando todo o processo de como trocar um dentinho por uma moedinha. – Começou Sra. Blue. Ela foi explicando que cada criança em idade de troca dos dentes de leite tem uma gavetinha na árvore, onde os dentes recolhidos são depositados e que cada bolsinha das fadinhas têm compartimentos com zíper para guardar os dentinhos enquanto estão sendo recolhidos durante a noite. As fadinhas carregam também uma caneta com tinta especial onde marcam o nome de cada criança que pegaram o dentinho.
        Sra. Blue reforçou que é muito importante serem rápidas, silenciosas e atentas e, para sempre se certificarem de terem recolhido o dente quando deixarem a moedinha.
        Nesse momento, Lili já não estava escutando nada do que a Sra. Blue explicava. Ela estava sonhando acordada, pensando e imaginando como seria voar por aí recolhendo dentes e deixando moedinhas e imaginando a alegria das crianças quando acordavam e viam que o seu dentinho tinha sido trocado por uma moedinha.
           Ah, como é bom fazer as crianças felizes. - Pensou, Lili.
           Essa noite cada fadinha novata irá junto com uma fadinha experiente recolher os dentes e deixar as moedinhas. – disse Sra. Blue. Prestem atenção nas fadas experientes, não façam barulho e divirtam-se! - Concluiu.
          Lili não se continha de tanta alegria. Era chegada a hora.
          Enquanto esperava o horário de partirem, foi passear pela árvore. Ela percebeu que quando chegou não havia notado o quanto a árvore era linda e esplendorosa. Tinha lindos tons de verdes que contrastavam com os raios de sol e com o brilho das asas das fadinhas. Definitivamente preciso desacelerar para apreciar as belas coisas da vida. – Pensou Lili.
          O sino tocou interrompendo os pensamentos de Lili. Ela se agitou pois sabia o que aquilo significava. Era hora de partir.
Lili passaria a noite com a fadinha Bela, uma das mais experientes fadas do dente. Bela repassou com Lili todas as casas que iriam, checou se estavam com todas as moedas necessárias para aquela noite e se todos os compartimentos de dentes estavam corretos.
          Assim, as duas partiram para o trabalho. Lili ficou tão emocionada que lágrimas escorriam dos seus olhos enquanto voavam.
          E noite a fora as duas voavam entrando nas casas, pegando os dentes e deixando as moedinhas. Por muitas vezes Lili se assustou quando as crianças emitiam sons ou se mexiam nas camas, porém Bela explicou que as crianças sentem a presença das fadinhas e ficam alegres e agitadas mas, raramente acordam.
        - Lili, apesar disso, você deve ficar muito atenta ao despertar das crianças. Elas não podem nos ver. – disse Bela.
Lili não parava de fazer perguntas e insistiu muito para que Bela a deixasse fazer a última casa sozinha. Bela já estava cansada com a insistência de Lili e concordou.
          Lili entrou no quarto de um menino que dormia tranquilamente. Assim que ele sentiu a presença de Lili abriu um sorriso e Lili se escondeu achando que ele tinha acordado. Mas ele estava dormindo e sonhando com ela.
          Lili pegou o dente do menino na mão e deixou a moedinha no lugar. Mas, ao invés de voar rapidamente para a janela pensou que não faria mal conhecer o menino e o quarto mais de perto já que ela era muito rápida e já tinha realizado sua tarefa. Lili, viu que na porta do quarto do menino tinha uma placa com a palavra Pedro. Esse deve ser seu nome – pensou Lili. Continuou seu voo pelo quarto e se deparou com muitos dinossauros. Levou um baita susto com um deles que estava com a boca aberta. Bateu as asinhas rapidamente e foi explorar Pedro que dormia na sua cama. Ela estava encantada. Ele dormia tranquilamente parecia um anjo. Queria ver seu rosto bem de perto. Quando estava bem pertinho, Pedro espirrou e a fadinha voou longe. Bateu na moedinha que quase caiu no chão.
        Nessa hora fada Bela estava agitada na janela chamando por Lili. Lili, venha logo. O que você está fazendo? – Perguntou Bela.
Lili voou rapidamente para janela. No caminho de volta Lili contava a Bela tudo o que havia acontecido. Bela não aprovou as façanhas de Lili. Que isso não se repita, Lili. – Disse Bela. As crianças não podem acordar e nos ver. – Completou.
          Já de volta a árvore, as fadinhas começaram a guardar os dentinhos recolhidos. Lili abriu a gaveta do Pedro que, já tinha vários dentinhos, mas quando abriu sua bolsa levou um susto! O dente do Pedro não estava lá. Ela ficou muito nervosa. Não é possível, onde foi que deixei esse dente? – Pensou agoniada.
            Batia suas asinhas de um lado para o outro. A fada Bela vai me matar –pensou. Começou a imaginar o que falaria para a fada Bela, que história inventaria e então resolveu que não adiantava mentir. Lembrou de sua mãe dizendo que por pior que seja sempre é melhor dizer a verdade.
            Lili foi até Bela e contou o que tinha acontecido. Acho que quando Pedro espirrou e eu voei batendo na moedinha devo ter deixado o dente cair e não percebi. – disse Lili. Fada Bela estava pálida. Depois de muito pensar decidiram que não havia nada a fazer a não ser esperar a noite seguinte e rezar para que Pedro e sua mãe não vissem o dentinho lá.
           Na árvore das fadas do dente tinha uma folha muito grande que parecia um gramofone. Nessa folha era possível sintonizar as casas dos humanos para ouvir a reação e conversas das crianças quando encontravam as moedinhas.
            Lili e Bela voaram para lá o mais rápido que puderam e sintonizaram a casa do Pedro na folha. Precisavam saber o que estava acontecendo.
           Pedro tinha acabado de acordar. Estava indo tomar café quando sua mãe lhe perguntou se a fadinha tinha deixado alguma coisa para ele. Foi correndo para o seu quarto e de lá começou a gritar.
          - Mamãe, mamãe! A fadinha estava maluquinha! Ela deixou a moeda e não levou meu dentinho!!!
          Lili estava muito envergonhada. Não conseguia nem olhar para a fada Bela.
        Ouviram então, a mãe do Pedro falar:
        - Coitadinha da fadinha! Deve se estar desesperada procurando seu dentinho. Ela deve ser novata e fez a maior confusão. Vamos deixar o dentinho para ela essa noite de novo. Tenho certeza que ela virá buscá-lo. – disse a mamãe dele.
          Pedro e sua irmã Sofia ficaram imaginando que Lili deveria estar procurando o dente por todos os lugares e que deveria estar muito preocupada.
        Lili e Bela se olharam e respiraram aliviadas. Lili pediu desculpas a Bela, a Sra. Blue e a todas as fadinhas da árvore. Prometeu não se distrair mais e a prestar atenção e sempre ouvir o que estivessem lhe explicando.
          Sua história passou a servir de exemplo para todas a novatas que iniciavam na árvore e, muitas vezes ela era contada pela própria Lili, que com certeza havia aprendido a lição.
          O Pedro ficou muito feliz quando viu que a fadinha tinha voltado para pegar o dentinho esquecido. Correu para contar para sua irmã Sofia e para sua família que ela tinha vindo novamente. Imaginou que ela estaria mais calma e aliviada por tudo estar resolvido.
        Ele ficou pensando que poderia ter acontecido uma tragédia, já que seu cachorro, Spider, adora comer as coisas que encontra pelo chão. Coitadinha da fadinha se o Spider tivesse comido esse dente. – Pensou, ele. E saiu alegre e feliz para brincar com sua irmã Sofia.

Número de vezes que este texto foi lido: 176


Outros títulos do mesmo autor

Infantil A Fadinha Lili Daniela Baez Takahashi


Publicações de número 1 até 1 de um total de 1.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 184664 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 159386 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 158392 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 129909 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 108164 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 74153 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69150 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 63013 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 59306 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 54944 Visitas

Páginas: Próxima Última