Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
I see dead people voting
Rafael da Silva Claro


Nisso, que apelidaram de eleições norte-americanas, vale tudo. As autoridades eleitorais fingiram que o processo foi um sucesso; o povo pró-Biden não dando importância à bagunça; a imprensa, dispensando o discurso da imparcialidade, se apressando em comemorar a vitória, como se fosse também da imprensa. E é.

A imprensa dos Estados Unidos da América (EUA) e as empresas Facebook e Twitter fizeram grande esforço para “abafar” (esconder) ou minimizar, pelo menos até as eleições, o escândalo Hunter Biden (filho de Joe Biden). O jornalismo fez “vistas grossas” para as evidências de fraudes que favoreceram o candidato do Partido Democrata. Depois, não conseguiu disfarçar sua preferência, e torcida, no que chamou de “nossa vitória”. Há uma força-tarefa nebulosa para tachar Trump como um maluco alaranjado que não aceita a derrota. Ele é apenas alaranjado. De resto, eu vejo alguém indignado com fraudes continentais.

Já sei, o Donald Trump deve ser um sujeito intragável. Além disso, ele deve ler o boletim econômico para seu netinho dormir. Mas, antes da maldita pandemia, ele fez um ótimo mandato. O Joe Biden tem uma cara de vovô legal, mas essa não é a característica de um bom governante. Nem o Trump foi o tirano que previam - e esfregavam as mãos - que fosse, nem Joe Biden é o pretendente ao fictício Trofeu Madre Teresa de Calcutá.

Joe Biden está no Senado norte-americano desde 1973. Ele já foi a favor e contra guerras, portanto, não se enganem: os EUA serão a mesma nação imperialista. Ou seja, combaterá implacavelmente a imigração ilegal, inclusive de quem acha que o controle recrudesceu na gestão Trump. Biden não é o que chamamos de progressista, o coletivo que está por trás dele.

A Constituição dos Estados Unidos da América começa com a frase “We, the people” (Nós, o povo). Significa que lá, de fato, o poder emana do povo. Isso pode parecer estranho aqui onde o Supremo Tribunal Federal “rasga” a Constituição, e o Congresso (Câmara e Senado) legislam em causa própria. Onde o povo é soberano, ninguém chega mudando as coisas. A Carta diz o que o governo não pode fazer. Isso evita aventureiros e ditadores.

Tradução do título: Eu vejo pessoas mortas votando (referência ao filme O Sexto Sentido, adaptada aos milhares de eleitores de Biden.


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 33761


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios Seus problemas acabaram Rafael da Silva Claro
Ensaios Carrefour Rafael da Silva Claro
Crônicas Futebol “du bom” Rafael da Silva Claro
Ensaios Pandemia Eleitoral Rafael da Silva Claro
Ensaios I see dead people voting Rafael da Silva Claro
Ensaios Zona eleitoral americana Rafael da Silva Claro
Ensaios 2 em 1 Rafael da Silva Claro
Ensaios Obrigado não Rafael da Silva Claro
Ensaios O Conto da Vacina Rafael da Silva Claro
Ensaios Fatos & Fotos Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 70.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 34363 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 34292 Visitas
LÍRIO - Alexsandre Soares de Lima 34284 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 34263 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 34263 Visitas
Como posso desenvolver uma campanha de marketing - Antonio 34259 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 34255 Visitas
A Carta Gelada - José Rony de Andrade Alves 34247 Visitas
A TRISTEZA E O SIM DA VIDA - Alexsandre Soares de Lima 34247 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 34237 Visitas

Páginas: Próxima Última