Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Solidão
Alexandre Cerejo

Solidão. Aquela sensação de vazio, aquele chamar de atenção constante da nossa alma, a procura do preenchimento humano. Mãe da angústia, do desespero e da ansiedade, acarreta, portanto, imensas consequências existênciais do ser humano. Mas afinal, o que é a solidão e qual a sua ligação com a vida? Nascemos sós, vivemos sós (como seres independentes) e morremos sós. Tudo isto desencadeia-se num universo essencialmente vazio e isolado. Tudo o que nos rodeia faz de nós seres únicos, promove a individualidade, e isso, é uma consequência da solidão. A nossa racionalidade parte da solidão e promove a solidão. O nosso pensamento é apenas nosso. Os nossos gostos são apenas nossos. Que nunca, sob qualquer circunstância, se confunda solidão com estar desacompanhado. Então, sendo algo tão natural e intrínseco à nossa existência, porque é que causa tanto desaire e insatisfação?

A solidão não é algo do qual se deve fugir ou procurar. A solidão é algo com que temos que aprender a viver. Conhecermo-nos, procurar apenas a nossa companhia, faz tudo parte de uma solidão saudável. Porém, não é fácil. Desde já, deve-se salientar que a solidão em demasia leva ao isolamento e o isolamento promove a perda de caráter e a depressão. É importante sermos felizes sozinhos, no entanto, sempre com uma parcela da nossa comunidade. É importante vivermos para além dos outros, mas nunca sem eles. Com isto não digo que se deva promover o convívio apenas por conviver, a conversa apenas para passar o tempo. Não se deve promover a fuga quer da solidão, quer dos que nos rodeiam e com quem convivemos. O importante, é abraçarmos o que somos com um braço, e quem temos com o outro, ficar feliz sozinhos sabendo que também o somos acompanhados. Promover a reciprocidade, quer com a nossa procura da felicidade, quer com a procura dos que nos rodeiam. O importante, é saber como viver a nossa vida de forma satisfatória, sem nunca nos sentirmos de fora da criação de processos inter-humanos, sem nunca realmente sentirmos a solidão como algo sem escapatória.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 123


Outros títulos do mesmo autor

Discursos Solidão Alexandre Cerejo
Poesias Perdido Alexandre Cerejo


Publicações de número 1 até 2 de um total de 2.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 184624 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 159357 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 158210 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 129874 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 106379 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 73865 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69122 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 62942 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 59273 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 54917 Visitas

Páginas: Próxima Última