Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
O genioso fidalgo Dom Quixote da Mancha
Batalha de Roncesvalles
Carlos Alê

Resumo:
Quixote conta a Sancho como foi a derrota dos Doze Pares de França


- E ali nos Pirineus
a garganta escarpada
foi o cenário perfeito
para aquela emboscada
que por uma felonia
tinha sido planejada

Sancho Pança escutava
com bastante atenção
o relato entusiasta
que fazia seu patrão
da batalha derradeira
do cavaleiro Roldão

- Subiram os doze pares
ao lugar mais elevado
da penedia e viram
todo o vale ocupado
pelas tropas sarracenas
que ali tinham chegado

- Uma grande epopéia
desvendava seu enredo
Vislumbrando a figura
dos pares sobre o rochedo
os sarracenos sentiram
um arrepio de medo...

- E Roldão estava pronto
pra lutar mais uma vez
com os maiores rivais
do exército francês
Seu amigo Oliveiros
apelou pra sensatez:

- Não podemos enfrentar
a falange estrangeira
que agora está cercando
esta região inteira
Eles tem cinquenta mil
somente numa fileira

- E Roldão deu a resposta
instigado em seu brio:
- Os doze pares armados
lutando horas a fio
seriam suficientes
pra render duzentos mil

- Se a falange inimiga
é aqui mais numerosa
nossa vitória será
ainda mais grandiosa
pra honrarmos a milícia
da nação mais valorosa

- Sem ainda concordar
com seu amigo Roldão
Oliveiros alertou
que o biltre Galalão
tinha tudo planejado
pra fazer a traição:

- Que evite a cilada
peço a nosso comandante
Carlos Magno ao menos
não está muito distante
Você pode avisá-lo
tocando seu olifante

- Mas Roldão a Oliveiros
nesse ponto foi conciso:
- Chamar o imperador
eu sei que não é preciso
e não tocarei a trompa
para dar qualquer aviso

- Nós somos numa peleja
osso duro de roer
e soldados mais altivos
inda estão para nascer
Hoje vamos ver o mouro
debandar ou se render

- Oliveiros repetiu
seu pedido ao comandante
refletindo ser melhor
que tocasse o olifante
uma vez que o soberano
não estava tão distante:

- Peço a nosso capitão
que escute o que digo
Como é mais numerosa
a falange do inimigo
não precisamos expor
nossos homens ao perigo

- E o conde desprezando
o exército mourisco
respondeu que na peleja
não corriam nenhum risco:
- Hoje vão se enfrentar
o trovão e o corisco

- Se estão em maioria
não precisamos saber
No final desta peleja
muito tempo vamos ter
pra contar e recontar
quantos vieram morrer

- Mesmo tendo que travar
uma luta encarniçada
minha guarnição fará
com a lança e a espada
cada mouro se render
ou bater em retirada

- No lugar do olifante
para dar algum alerta
tenho minha Durindana
e pagão que ela acerta
ou suplica a rendição
ou se aparta e deserta

- Terminada a discussão
decidiram por lutar
O exército dos francos
depois de se equipar
foi descendo pelo vale
para os mouros atacar

- Percebendo o avanço
dos franceses no terreno
rei Marcílio na batalha
comandante sarraceno
ordenou o contra-ataque
com apenas um aceno

- E Roldão saiu na frente
seguido pelos demais
Golpeava com a lança
assombrando seus rivais
Nenhum mouro escapava
das estocadas fatais

- Chefiando a vanguarda
o paladino de França
desde o primeiro golpe
mostrou a sua pujança
Derrubou vários pagãos
mas quebraram sua lança

- Só então ele sacou
sua arma Durindana
e no cavalo Baiardo
avançou pela savana
visando desbaratar
a milícia mauritana

- Sarracenos acossaram
o bravo duque Buzim
que brandindo sua arma
disse a eles assim:
- Mais de um é pelotão
e a todos vou dar fim!

- E partiu dando espadada
tão a torto e a direito
que seu golpe fulminante
na cabeça ou no peito
desde o forte ao veloz
derrubou do mesmo jeito

- Outro grupo novamente
avançou contra Ricarte
que no grosso da ação
inda não tomava parte
pois estava ocupado
carregando o estandarte

- Sir Ricarte retirando
sua arma da bainha
desferiu um duro golpe
no que mais afoito vinha
que levando a cutilada
nunca mais comeu farinha

- Como os outros pagãos
prosseguiam atacando
manejando a espada
um por um foi derribando
pra deixar lá na Arábia
mais viúvas pranteando

- No avanço dos franceses
que lutavam muito bem
um guerreiro só caía
derrotando mais de cem
O comandante Roldão
não perdia pra ninguém

- Confirmando o paladino
sua fama de valente
com a sua Durindana
derrubava prontamente
todo e qualquer soldado
que cruzava sua frente

- Como ele precisava
atacar o rei pagão
para abreviar a luta
e forçar a rendição
quando ele o avistou
foi em sua direção

- Percebendo a manobra
vários mouros em ação
as frentes abandonavam
para atacar Roldão
No entorno do guerreiro
era grande a multidão

- Com destreza absoluta
a espada manejando
prosseguia o paladino
no terreno avançando
Sem errar golpe nenhum
ia a todos derribando

- De repente apareceu
um enorme elefante
deixando cada francês
assombrado e ofegante
com a sua aparência
monstruosa e gigante

- Montado no paquiderme
vinha o melhor arqueiro
procurando alvejar
com o seu arco ligeiro
o mais bravo paladino
só com um tiro certeiro

- Pois no alto da colina
ficou ele esperando
a passagem de Roldão
que já vinha avançando
sem o mesmo perceber
o arqueiro tocaiando

- Choviam setas francesas
no arqueiro vigilante
mas nenhuma o acertava
por estar muito distante
Foi então que Oliveiros
disparou no elefante

- O elefante africano
alvejado pelo flanco
esmagou vários pagãos
rolando pelo barranco
Quem ali não sucumbiu
saiu da batalha manco

- Eram muitos sarracenos
que rechaçavam Roldão
na defesa de Marcílio
o versuto rei pagão
promovente da falsídia
com o conde Galalão

- E no confronto direto
com o biltre rei pagão
o melhor que conseguiu
foi cortar a sua mão
que levando esse golpe
retirou-se da ação

- Com intento de barrar
a investida dos francos
os soldados sarracenos
nos penedos e barrancos
faziam pedras enormes
rolarem aos solavancos

- Os franceses atraídos
para os desfiladeiros
sem ter o conhecimento
dos terrenos traiçoeiros
sofriam grande revés
pela perda de guerreiros

- Nessa hora a batalha
foi ficando mais intensa
Cada baixa dos franceses
era uma perda imensa
que um soldado a menos
já fazia diferença

- E como se fosse pouco
ser menor seu efetivo
foi subindo pela serra
no momento decisivo
outra leva de pagãos
com impulso combativo

- Chegavam muitos cavalos
trazendo mouros no dorso
Os sarracenos tirando
vantagem deste reforço
forçavam cada oponente
a lutar com mais esforço

- Quando vislumbrou ali
seu exército minguando
acredito que Roldão
percebeu estar jogando
seu xadrez num tabuleiro
cheio de peças faltando

- Só então que abalado
disse para Oliveiros:
- Não podemos mais contar
com a fibra dos guerreiros
que a tropa vê chegar
seus momentos derradeiros

- Por ter sido vaidoso
com a força do meu braço
e dos outros paladinos
cometi um erro crasso
vendo o nosso efetivo
pelejando mais escasso

- Reconheço que eu sou
o responsável por isso
Não podemos resistir
a outro ataque maciço
Nossa tropa de elite
faz seu último serviço

- A imensidão do vale
as montanhas colossais
a profundeza dos rios
longos e torrenciais
dessa hora tenebrosa
deram todos os sinais

Número de vezes que este texto foi lido: 38


Outros títulos do mesmo autor

Cordel O genioso fidalgo Dom Quixote da Mancha Carlos Alê
Poesias V I I I - O genioso fidalgo Dom Quixote da Mancha Carlos Alê
Cordel O batente de pau do casarão Carlos Alê
Poesias I I - O genioso fidalgo Dom Quixote da Mancha Carlos Alê
Cordel I - O genioso fidalgo Dom Quixote da Mancha Carlos Alê
Cordel O fracasso da causa e a causa do fracasso Carlos Alê
Cordel A BELEZA DAS FLORES Carlos Alê
Poesias ABSTRAÇÕES ALEATÓRIAS Carlos Alê
Cordel A trágica história de Romeu Montéquio e Julieta Capuleto Carlos Alê


Publicações de número 1 até 9 de um total de 9.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185106 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 162990 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 160683 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130286 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117407 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 76484 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69497 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 63864 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 59817 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55349 Visitas

Páginas: Próxima Última