Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
ESPESSOS REFLEXOS 17 PENULTIMO CAP IND 14 ANOS
DE RICO FOG E IONE AZ
paulo ricardo a fogaça

Resumo:
BOM


                     Sariel surge em uma mata em zona urbana, junto com ele 9 feras, 3 servos do calabouço.
   - Se fizerem o que te ordenei, lhes darei a liberdade.
   - Sim mestre.
   As feras seguem com os servos para os pontos já ditos por Sariel, nisso ele ouve um breve soar de trombetas.
   - O maldito.
   A comitiva do bispo segue em velocidade reduzida, todo o entorno é vigiado por soldados do exèrcito bispal, Lucrécia deixa cair do carro algumas flores de lótus que são na realidade, bombas com água benta.
   O anão segue ao lado do bispo junto de 5 cardeais, 1 deles ficara no começo da cidade liderando alguns de sua crença em rezas e mantras.
   Longe deles, segue por uma outra via o caminhão blindado sendo escoltado por 8 motos e 10 carros de segurança.
   Estér ali dentro adormecida devido a uma forte quantidade de cloroform que lhe foi dada em frutas e carnes.
   Jonas surge em um viaduto e profere um rito, logo a estrada é agravada de forte tremor e o piso inicia a ruir.
   Chamas são soltas do centro da terra e o lugar torna-se pior que uma caldeira.
   - Pare o veiculo, temos que achar uma outra rota. O motorista para e inicia-se a manobra, dando de cara com Jonas e uma Linfa.
   Jeniel passa ao longe e profere um curto rito sem ser ouvido e logo o céu escurece e trovões são ouvidos, criaturas aladas de grande velocidade adentram ao ambiente e os carros de segurança são destruidos.
   - Acho que já fiz mais do que realmente deveria. Em sua frente surge uma espécie de carruage guiada por cavalos demoníacos cujo são aparentes a carcaças dos reais, ele entra nessa e fecha a portinhola, com um mero bater de dentro para fora a carruagem desaparece no ar.
   O veiculo com o bispo aumenta a velocidade e logo Félix o avista, Luiza toca uma flauta e os pneus explodem, o carro capota e tiros são dados, mais os soldados são facilmente eliminados por uma Linfa e Celine, Elza e Nelson ainda não apareceram até que Félix abre o carro e se defronta com bonecos, o bispo lhe pregara uma peça.
   A igreja fora toda rodeada por soldados e fiéis, o bispo já dentro do lugar, confere com Lucrécia os documentos que foram escondidos no subsolo dali.
   - São as mesmas?
   - Sim bispo.
   O bispo inicia um rito em rezas e escritos nas paredes, os cardeais proferem rezas antigas e logo sinetes são tocados, um grande sino faz ecoar por toda a cidade, logo os habitantes entram num transe saindo de seus lugares indo para a igreja, aos poucos o quarteirão é tomado de pessoas, alguns com armas em punho.
   - Ficou lindo, meu segundo exército.
   - Sim bispo. Lucrécia olha pela janela a multidão formada ali, o bispo tem seu traje trocado com auxílio de alguns rapazes, logo em túnica branca e estola vermelha ele caminha para a porta.
   O telhado e redor da igreja tomado por soldados do exército.
   - Cadê a maleta?
   - Aqui bispo. O anão entrega a mesma ainda presa a sua mão por algemas, sem qualquer aviso o bispo faz sinal para Lucrécia que lhe dá uma espada, ele corta no punho assim liberando a maleta, o anão cai ao chão em gritos de dor e logo é levado por soldados ao fundo da igreja onde é ouvido tiros.
   - Bom fiel este pequeno.
   - Sim bispo. Lucrécia olha para o bispo que não demonstra qualquer arrependimento pelo que ocorrera ali.
   O céu escurecido com fortes raios e trovões, o bispo olha para o alto e se volta para entrar na igreja quando uma forte luz invade o lugar, quando esta cessa todos ali estão mortos menos o bispo e Lucrécia.
   - Olá.
   - Semanta, não sabia que fora convidada.
   - Pois é, acho que não, mais optei por vir.
   - Mesmo sabendo que poderá acabar aqui?
   - Sabe, somos milenares, a diferença é que não uso carcaças.
   - Insolente. O bispo profere um rito e retira da veste um cordão com contas de ouro e prata.
   Ao sacudi lo, a igreja é tomada por forte energia provida de rezas do cardela ainda vivo ao inicio da cidade.
   Semanta estala os dedos e logo 2 servos seus somem, reaparecendo com a cabeça do último cardeal.
   - Cadela.
   - Nossa, finalmente esta se mostrando.
   Lucrécia aponta uma arma para Semanta e atira, a bala contém água benta e trechos da escritura que faz Semanta gritar ali, mais logo recupera sua força tendo o bispo suspenso a seu poder.
   - Morra. O homem rodopia várias vezes até ser jogado ao longe, logo ele se levanta e grita, um raio lhe atinge e deste surge um anjo.
   - Miguel, finalmente saiu do disfarce. O arcanjo vem a ela e logo Rafael e Gabriel surgem ali, a guerra é feita de monstros, demônios e anjos.
   Félix chega junto de Luiza e Celine que fica amendrontada com o que vê, nada além da igreja ali, tudo fora consumado como que por uma ojiva nuclear.
   Luiza dispara a gargalhadas diante ao caos e cheiro da morte por todo o canto.
   Semanta consegue acertar Miguel 3 vezes porém logo é presa por ele que atravessa uma lança nela, em fogo ela desaparece.
   Félix vai até ele.
   - Demorou para aparecer.
   - O melhor sempre vem depois, por último.
   - Se pensa assim. Ao bater suas asas Miguel joga a Félix a certa distãncia mais o mesmo consegue se levantar e caminhar de volta ao anjo.
   - Não vai se esconder, velho?
   - Acho que não. Félix dá sinal e Luiza libera uma corrente ao ar, logo mil almas demoníacas ali, um destes consegue capturar Lucrécia que grita ao ser levada por eles até começar a ser devorada pelos demônios, Miguel ao ouvir e ver aquilo investe contra Félix que sai dele com facilidade.
   - Por que não te matei ainda?
   - Por que somos do mesmo pai.
   - Maldito.
   - Venha.
   Rafael e Gabriel segue junto de Miguel que lhes diz que o deixe só ele e Félix.
   Jeniel surge ao longe e comendo biscoitos de polvilho assiste aquilo tendo um cordão com contas de ferro na mão.
   De longe Celine avista Jeniel por um lance.
   - É o Jeniel?
   - Não, somente o efa dele, a força desse.
   - O quê?
   - Tola, você nada sabe sobre seu mundo e a alta hierarquia.
   - Aquilo é o efa dele?
   - Sim, o minimo dele.
   - Por que estava ali?
   - Boa pergunta, mais se intere disso aqui em que estamos.
   - Sim.
   Félix recebe vários golpes de Miguel que o faz cair diante ao anjo que prepara seu ápice ali quando ouve um grito, olha para o lado, Luiza tem o corpo do bispo preso nas mãos a uma adága de Jó no pescoço deste.
   - Pare, o quer pensa fazer com isso?
   - Olhe, para um alto anjo até que se faz um tanto inexperiente em alguns movimentos de guerra.
   - Vadia.
   - Cale-se e saia de perto do mestre.
   - Que mestre, ele somente usa aos trouxas como você.
   - Igual a ti, o que fez de bom aos seus e aos daqui?
   - Quem é você, demônio insolente, eu sou o alto comando, a força superior a tudo.
   - Até ao seu mestre, o Grande Criador?
   - Maldita. Rafael e Gabriel segue para contra Luiza mais Celine se coloca frente, ali tendo 3 lanças no corpo Celine grita em dor, Nelson se aproxima e ao ver aquilo cai de joelhos diante a forma em certa covarde do ataque anjelical.
   - Por quê, por que?
   Nelson solta um grito tão forte que os pássaros fogem em revoada, o céu rasga-se, Miguel estranha aquilo enquanto Félix recuperado levanta ficando ali próximo e pelas costas atinge ao anjo com a espada do jardim celestial.
   - Não, como conseguiste?
   - Coisas do submundo. Miguel ali sente um forte ardor percorrer por dentro e desaparece, Rafael e Gabriel duelam mais logo são vencidos, Semanta surge do alto e lança uma névoa que percorre o mundo em velocidade, fazendo vários morrerem de forma rápida, corpos são deixados ao chão, alguns conseguem sobreviver, Luiza entra na igreja mais ali se vê frente a Nicolau.
   - O que faz aqui?
   - Te parar.
   - Por quê?
   - Por que o mal não pode vencer, hoje não.
   - Olha, gostei, mais morra. Quando ela prepara para destrui-lo tem uma adága fincada a sua costa, Elza segura do outro lado.
   - Por que logo você?
   - Me desculpe, filha.
   - Nunca fui sua filha.
   - Então vá ao inferno, bruxa.
   Outra adága e Luiza é queimada ali.
   Félix entra ali neste momento quando percebe que outro movimento vem em sua direção.
   - Finalmente.
   A carreta para ali e desce Estér junto de Jonas.
   - Sabia disso.
   - Que bom. De um lance, Jonas tem Félix preso ao pescoço.
   - E agora, vai acabar comigo?
   - Não, seria óbvio. Estér se aproxima de Félix, ali ela o golpeia várias vezes e quando consegue faze-lo perder o fôlego, ela o acolhe para si.
   Preso ao abraço dela, Félix tem seu corpo todo despedaçado por dentro, quando ela o solta ele nada mais é que um velho em carcaça.
   - Feito.
   Semanta surge e os joga para longe mais logo é vencida por Estér e Jonas, o mundo sofre diversos abalos, grandes obras são destruidas reduzidas ao pó.
   Dentro da igreja, Elza e Nelson recolhem as páginas das escrituras e documentos milenares, quando conseguem sair da sacristia.
   - Obrigado por recolhe-los, agora me dê.
   Sariel estende duas lanças em direção a eles, logo estes são atingidos por estas e Sariel desaparece com os escritos.
   Nelson ali caído ao lado de Elza rasteja até ela, ao tocar nesta flui uma forte energia entre eles, Nicolau sai pelas ruas ou o que restaram destas, tudo em escombros e mortos por toda parte, alguns animais ainda resistem, cães, gatos, pássaros.
   - O que foi isso, não foi isso que o Grande Pai quis, eu sei que não foi.
   De joelhos ele roga por ajuda olhando para o céu enegrecido e podre, aos poucos, um feixe de luz vai surgindo, Estér percebe isso e decide por ir junto de Jonas, Félix ali quase sem forças é puxado para o centro da terra por garras de ferro, obra de Jeniel que usara seu cordão.
   Aos poucos o céu vai clareando e surge neste, Neu em outra forma e toda cheia de energia.
   - Luz. Logo todo o céu é tomado de forte luz e a escuridão é vencida.
   


Biografia:
amo escrever e ler
Número de vezes que este texto foi lido: 62


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas ESSAS FÉRIAS paulo ricardo a fogaça
Crônicas A MULHER O ABORTO E O LGBT paulo ricardo a fogaça
Crônicas ESSAS ELEIÇÕES 2020 paulo ricardo a fogaça
Romance PROFUNDO 10 IND 16 ANOS paulo ricardo a fogaça
Romance PROFUNDO 9 IND 16 ANOS paulo ricardo a fogaça
Crônicas A IDADE E SEUS DECANTOS paulo ricardo a fogaça
Romance PROFUNDO 8 IND 16 ANOS paulo ricardo a fogaça
Romance PROFUNDO 7 IND 16 ANOS paulo ricardo a fogaça
Romance PROFUNDO 6 IND 16 ANOS paulo ricardo a fogaça
Romance PROFUNDO 5 IND 16 ANOS paulo ricardo a fogaça

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 47.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 69529 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55941 Visitas
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 48439 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 44677 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 44320 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43940 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 43229 Visitas
viramundo vai a frança - 43174 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 41938 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 41574 Visitas

Páginas: Próxima Última