Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
PULA CATRACA 4 IND 16 ANOS
DE PAULO FOG
ricardo fogaça

Resumo:
BOM


        - TAMBÉM TE AMO LINDA.
      Gerson desliga o aparelho e cai nos braços de Augusto, ali eles se beijam e o amor acontece.
    Soraia sai do tapete do quarto de Ivan, só de calcinha, caminha pelo quarto, Ivan veste uma cueca e vai até ela abraçando-a, ouve se um barulho na casa, Matilde fechara o bar e acabara de entrar, Soraia termina de vestir-se e sai pela janela do quarto.
    - Tchau.
    - Beijo.   Ela o beija e sai até o portão lateral indo para sua casa.
    - Bem boba essa tua namorada.
    - Ela não é minha namorada.
    - Olha aqui Ivan, minha casa não é motel não viu?
    - Tá bom tia.

                                       09032020..........




                 Soraia entra na casa, logo sente o cheiro de bolo assando.
    - Augusto, o q1ue houve, quem esta fazendo aniversário?
    - Recebi uma encomenda, uma família, quer o banquete completo de aniversário.
    - Sei, mais você disse a eles que bolo não é seu forte?
    - Eles sabem.
    - Sei não Augusto, acho tudo isso muito louco.
    - Louco esta ficando eu de ter de ouvi-la, se quer ajudar, lave as mãos, tem muito trabalho aqui.
    - Tá bom eu te ajudo.
    - Beleza.
    Ela lava as mãos e vem em auxilio ao primo.
    - Olhe encontrei o velho livro de receitas da vó, agora vamos pôr a mão na massa.
    - Pra agora.
    - Isso mesmo. Eles riem e iniciam o preparo dos doces, Augusto ainda fica no cuido da cobertura e recheio do bolo.
    César entra com algumas sacolas que deixa no sofá, logo recebe uma repreenda dos dois ali e leva suas sacolas para seu quarto.
    Quase duas horas depois, César ali ajuda também, porém logo ele joga o pano de copa na mesa indo para o banho e cama.
    - É estamos terminando.
    - Graças a Deus que em deu 4 boas mãos a mais.
    - Obrigado por minha parte.
    - Sabe So, tenho que arrumar alguém para me ajudar urgente.
    - O Ivan.
    - Por que ele?
    - Oras, ele é super fofo e será de grande ajuda para ti.
    - Sei não, ele não tem nada a ver com cozinha.
    - Você que pensa, Matilde já me disse que ele manda muito bem.
    - Estranho isso, por que ela mesma que me disse o contrário disso ai.
    - Por favor primo.
    - Sei que gosta dele, mais não.
    - Por que, só você pode ter um alguém especial em sua vida, eu não?
    - Ficou doida o que diz?
    - Eu vi você com outro cara no shopping outro dia.
    - So ele é só um amigo meu.
    - Será mesmo, acho que não é isso não, eu vi por alguns segundos você acariciando a mão dele.
    - Onde você quer chegar?
    - Só quero o Ivan aqui, trabalhando e ficando algum tempo perto de mim, será que é algum crime isso?
    - Tudo bem, só não diga ao César.
    - Fique tranquilo ele não sabe e nem saberá, nosso segredo, certo?
    - Tá.
    - Sabia, primo lindo esse que eu tenho e olha que bofe escandalo é aquele hein.
    - Por favor So.
    - Tudo bem, obrigado lindo.
    Soraia vai para o banho e depois sai de casa, Augusto termina ali os doces, salgados ja os embalando.
    Gerson acende um cigarro ali na cama, Leonildo sai da cama e vai para a ducha, logo retorna colocando as roupas.
    - Já vai?
    - Sim, tenho trabalho logo cedo.
    - Meu, por que só tenho namoros sérios com trabalhadores?
    - Talvez por que saiba escolher.
    - Acho que deve ser isso.
    - Igual ao outro que escolheste.
    - O que tem ele?
    - Nada, só acho que ele também seja um bom trabalhador.
    - Sim ele é.
    - Como é mesmo o nome dele?
    - Augusto.
    - Sim, você tinha me dito, não, você não me disse mais fez questão de passar na minha cara a sua nova conquista.
    - Nossa sério mesmo, ciúmes não combina com você.
    - Vá para o inferno.
    - Ele esta crescendo no ramo de salgados, acho que logo será um empresário nisso.
    - Que tudo lhe dê certo, só tenho pena por ter caído em suas mãos sujas.
    - Já chega, seu showzinho ja deu aqui, tá entendendo.
    - O que foi Gerson, tudo por medo de ficar só.
    - Nada ele é de boa.
    - De boa, uma porra, tenho certeza que ele não sabe da gente.
    - Para que saber.
    - Gerson, você foi e é muito para mim, mais já chega.
    - Eu que decido isso, se esqueceu.
    - Sério cara, já deu.
    Gerson sai rápido da cama, segura o pescoço de Leonildo com certa pressão.
    - Não me faça mostrar meu lado negativo.
    - Tudo bem, só que tens de tomar mais cautela.
    - Eu cuido disso, você só tem de me fazer assim, alegre, sorrindo.
    - Você é louco.
    - Por vocês, dois.
    - Tá, esquece e tchau.
    - Te ligo depois.
    Ivan anda na praça com Soraia, eles sentam num banco e ficam a se beijar, logo uma viatura passa pela rua.
    - Melhor irmos.
    - Sim.
    Soraia vai atravessar com Ivan, quando percebe ter deixado suas chaves no banco, ele retorna para pegar e quando atravessa vê o carro novamente com os dois dentro.
    - O cara do Augusto.
    Ela disfarça e para com Ivan num carrinho de dog, o rapaz lhe paga um lanche e eles dividem.

                                        13032020...........



   







                            5




        César desce do táxi recebendo beijos e amassos de Matilde.
    - Tem mesmo que ir?
    - Por favor Matilde, temos de ser discretos.
    - Por que não vai no seu carro da próxima vez?
    - Que carro, sabe que tive de vende-lo e.......
    Matilde entrega a chave de um veiculo para ele.
    - O que é isso?
    - Um mimo para meu bem.
    - Não posso aceitar.
    - Já aceitou, quer que eu fique sem graça aqui no táxi?
    - Obrigado, muito obrigado.
    - Esta vendo, não foi dificil, é só continuar sendo assim, meu gato gostoso, só meu.
    - Tudo bem Matilde. A mulher leva a mão a braguilha dele, faz uma cara bem safada.
    - Bem, vou indo muito obrigado.
    - Vai, tchau.
    - Tchau.
    - Te ligo quando for precisar de novo.
    - Tá e obrigado.
    - Falou gatinho da tia.
    - Falou. César desce do carro e Matilde lhe passa a mão na bunda dele.
    - Você sabe ser bem safada quando quer.
    - Não viu nadinha querido.
    César entra na casa, Ivan termina a limpeza na cozinha, Augusto embala a última bandeija e coloca no freezer.
    - Nossa, que organização aqui nesta casa.
    - Que bom que percebeste, quero que continue assim.
    - Por que, por acaso quer dizer que sou desordeiro?
    - Sempre o foi.
    - A tá.
    Ivan dispara a rir, quando Soraia entra ali.
    - Soraia.
    - Oi gente, o Ivan, e ai o Augusto tá te deixando respirar?
    - Ele é um ótimo chefe, super legal.
    - Que bom.
    Augusto vai até ela.
    - O que foi So, agora vai querer me taxar de vilão aqui?
    - Não é isso primo querido, só estou brincando.
    - Em péssima hora, não acha?
    Ela vai a ele e lhe beija o rosto.
    - Não quero que desgaste tanto meu gatinho.
    - Sei disso.
    Ivan vai a pia e lava o pano de copa e estende num varal na área de serviço.
    Soraia vai para o quarto, logo toca a campainha e Augusto atende, mais encomendas sendo entregues e outras feitas, Ivan ajuda o homem ali.
    Depois da saída do grupo que tirou os ultimos salgados, Ivan é dispensado por Augusto.
    - Amanhã ás 9, hein.
    - Estarei aqui.
    - Valeu cara.
    - Muito obrigado Augusto.
    - Tá certo amanhã hein.
    - Tchau.
    Ivan sai pela porta da frente, ali no jardim recebe um assobio, olha e Soraia lhe faz um sinal, o rapaz vai até ela.
    - Oi.
    - Oi.
    - Vai, entra.
    - Será que é certo?
    - Para com isso, vem logo Ivan.
    O rapaz entra pela janela com a ajuda dela, logo ela com ele preso a seus braços, joga-o na cama.
    - Eu estou sujo.
    - Quem quer detalhes aqui.
    - Nossa, você esta ardente.
    - Vontade de você.
    - Bem delicia isso.
    - Agora sim, começou a falar a minha língua.
    - Vou falar bem mais agora.
    Ele a pega e passa por cima dela, vai tirando sua roupa e a dela entre beijos e caricias, logo ela a vira de novo e ele a possui por trás fazendo-a gritar mais tudo sendo abafado por mãos e beijos quentes.
    Minutos depois, o casal ali em suor, Soraia abre a gaveta do criado e toma seu anticoncepcional, ali do lado dele, recebe mais beijos e carinhos.
    César ja toma do banho e perfumado, recebe elogios de Augusto que ligara o rádio para não ouvir o barulho vindo do quarto de So.
    - Parece que o casal esta em plena loucura.
    - Pois é, esta casa tá perdendo o respeito mesmo. Grita Augusto ali.
    - Vai sair?
    - Vou, quer vir?
    - Bem que poderia me deixar no mercado preciso de algumas coisas.
    - Então vamos.
    - Melhor do que ouvir esse casal sem noção.
    - Tá. Risos.
    No estacionamento pago, César aciona o alarme, um carro mais adiante responde.
    - Parece que não conhece seu próprio carro?
    - Pois é, eu comprei hoje e ainda não me acostumei.
    Eles entram no veiculo e seguem para o mercado, ao sair pelo portão do estabelecimento, Matilde se esconde atrás de uma caçamba de entulho.
    - Filho da puta, tinha que levar o Augusto.
    A mulher sai dali indo para seu bar.
    Ivan ja esta atrás do balcão quando ela chega.
    - Ivan.
    - O que foi tia, o que te aconteceu, cheguei aqui e encontrei o pingo tomando conta daqui pra senhora?
    - Fui só ter certeza de algo que fiz, mais uma vez outra furada.
    - Nossa tia nem vou te perguntar, afinal a senhora nunca diz mesmo, mais vai logo a senhora esta por cima.
    - A isso sim, sempre estou.
    - Tá bom.
    - Vai logo, entra lá em casa e tome um banho pra tirar seu cheiro de uso.
    - Como assim tia?
    - Acha que não sei, você e aquela doida da Soraia de novo juntinhos e agora no quarto dela.
    Ivan fica sem graça com o dito da tia e sai dali.
    No mercado, Augusto compra tudo que precisa e mais alguns itens para seu uso, César ganha bombons, perfumes e cigarro.
    - Deste jeito, te trago sempre, quando quiser.
    - Interesseiro.
    - Sempre.
    - Vai, diz, ganhou o carro?
    - Sim.
    - Sabia, é a sua cara, de novo com coroas?
    - O que foi Augusto, vai dar uma de santo, pra cima de mim não hein, sei muito sobre você, viu.
    - Eu sei que você sabe e respeito muito teu silencio, tô só de brinks contigo.
    - Será mesmo?
    - Estou falando sério meu.
    - Eu sei cara, só tou te zuando.
    - Ah vá.
    - Acho que agora as coisas vão começar a dar certo.
    - Agora me deixe em casa e vá sair com ela, ela merece isso.
    - Será?
    - Vai logo, cara, ela te deu um carro seja lá quem for, é um grande presente.
    - Tem razão.

                          15032020.......


Biografia:
amo ler e muito mais escrever, sou assim
Número de vezes que este texto foi lido: 68


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas A GLOBO E SEUS DEVANEIOS EM RENTABILIDADE DEPLORATIVA ricardo fogaça
Contos PULA CATRACA 7 IND 16 ANOS ricardo fogaça
Crônicas MAIS CORONA E BBB 20 ricardo fogaça
Crônicas O MEU BRASIL E NOSSO SUS ricardo fogaça
Crônicas O CORONA E O BRASIL PROGRESSO ricardo fogaça
Contos PULA CATRACA 6 IND 16 ANOS ricardo fogaça
Contos PULA CATRACA 5 IND 16 ANOS ricardo fogaça
Crônicas PANDEMIA ricardo fogaça
Contos PULA CATRACA 4 IND 16 ANOS ricardo fogaça
Contos PULA CATRACA 3 IND 16 ANOS ricardo fogaça

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 22.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 64414 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 54252 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 43122 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 42699 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 40584 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 40188 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 37625 Visitas
Amores! - 35854 Visitas
Desabafo - 35273 Visitas
Faça alguém feliz - 33685 Visitas

Páginas: Próxima Última