Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
ROBERTA 12 NOVEL HOT
DE PAULO FOG
paulo azambuja

Resumo:
BOM

- Por que?
   - Não leve a mau.
   Ele pede um táxi e logo o veiculo sai com ele.
   - Tchau.
   - Tchau.
   Roberta entra no quarto, toma um banho e quando sai ouve um leve bater na porta.
   - Oi.
   - Oi, me desculpe é que eu estou sem absorvente...
   - A sim, pode pegar na gaveta do meio.
   - Obrigada. Helana abre a gaveta e desta tira uma necessárie e pega 2.
   - Obrigada.
   - Nada somos mulheres e temos nossos segredos e nos ajudar.
   - Pois é.
   - Então agora eu tenho uma tia?
   - Olhe não precisa me considerar, vou entender perfeitamente.
   - Claro que quero, sabe sempre senti falta de uma amiga aqui.
   - Pois então quando quiser falar de coisas nossa, entende, é só me chamar.
   - Sim. Risos.
   Helana vai até a porta quando Roberta.
   - O Tiago ficou aqui?
   - Sim ele está no quarto de Hermes.
   - Do Hermes?
   - Sim.
   - Helana.
   - O quê?
   - O Ti não fala contigo sobre o ocorrido?
   - Não, é como se nada tivesse acontecido, entende, o médico disse que ele bloqueou ppor parte de suas lembranças, agora é só dele retorna-las ou não.
   - Mais e os ataques?
   - Diminuiram bastante, eu fui a pouco no quarto dele e lhe dei o remédio.
   - Ele vai ficar bem?
   - Ele está bem, só que vai ter de fazer desses e ainda aceitar o que eu acho que ja aceitou, as sequelas que golpes lhe deram.
   - Olhe eu espero de coração que ele melhore logo.
   - Eu sei, todos nós sabemos, obrigado.
   Helana agradece e sai do quarto, Roberta senta em frente ao espelho e escova seus cabelos.
   - Ti por que você foi tão mau comigo, mais ainda assim não consigo ter ódio por ti, ao contrário, ainda o amo.
   Ela desliga a luz e adormece em sua cama.











                            34



      Logo cedo, Mercedes ajuda no preparo do café da manhã, Helana liga para o táxi e quando este chega elas se despedem de Rebeca.
    - Tchau Rebeca.
    - Tchau Mercedes.
    Roberto vem a elas.
    - Onde vão?
    - Bem, desculpe, não quis te incomodar, mais temos de ir, ainda tenho de fazer as compras do salão.
    - Eu as levo.
    - Não precisa já chamamos um táxi.
    - Certo. Roberto vai até o motorista lhe pagando e o dispensando.
    - Roberto.
    - Onde já se viu, sairem assim sem que as levasse.
    - Esta certo nos leve então.
    Helana sorri e Roberto traz para si Mercedes e a beija ali, Rebeca olha a cena porém não demonstra qualquer reação, Roberta chega ali já em uniforme escolar.
    - Vai para a aula?
    - Sim, Helana você estuda?
    - Eu não terminei.
    - Por quê?
    Mercedes explica que a filha decidiu sair para ajudar no salão.
    - Então esta decidido vamos fazer sua matricula hoje mesmo no colégio de Roberta.
    - Mais.
    - Sem mais, assim que tem de ser. Roberto é taxativo e Roberta concorda.
    - Sim tia, agora seremos colegas de colégio.
    - Parece que sim.
    Toca o celular de Roberta e ela atende logo desliga.
    - Quem era?
    - O Murilo.
    - Este garoto acorda bem cedo, bom sinal.
    Roberta olha para Helana.
    - E o Ti?
    - Ele já foi, Nestor mandou busca-lo bem cedinho.
    - Ah sim.
    Roberto chama Hermes que para o carro e assim todos entram, Rebeca o carro dobrar a alameda, tira seu celular do bolso e faz uma ligação.
    - Oi.
    - Oi.
    - Sua amiga passou a noite aqui.
    - Quem?
    - Mercedes.
    - Aquela trouxa dos infernos.
    - Pelo jeito ela não é tão boba assim.
    - Maldita.
    Mônica desliga e quebra alguns objetos de sua mesa, quando entram a secretária e 2 seguranças.
    - Aconteceu algo senhora?
    - Sim, aconteceu, aquela infeliz existe.
    Todos ali ficam sem entender.
    Ivan tem seu cabelo pintado por uma senhora profissional, no outro sofá Kalinka tem suas unhas tratadas e pintadas.
    - Bem que tem razão filha, ás vezes mudar faz bem.
    - Claro que tenho pai, esse negócio que homem não se cuida é cooisa do passado.
    - Dessa vez vou concordar. Toca seu celular, ele atende e fica em raiva desligando.
    - O que foi pai?
    - Aquela bruxa da Mônica.
    - O que ela quer?
    - O que mais do que fazer inferno.
    - Vai ajuda-la?
    - Desta vez eu preciso.
    Roberta desce junto do avô com Helana, Mercedes ficou no salão para as compras deste.
    Helana conhece as instalações do colégio e ainda pôde assistir 1 aula em sua nova turma com a juda de Roberta preenche as fichas de matricula, Roberto faz os devidos pagamentos.
    - Ainda esta semana precisaremos conversar Helana.
    - Sobre o quê dr?
    - Falaremos depois, por hora, fico contente que tinha gostado do colégio.
    - Claro que sim, afinal vou poder ficar mais tempo junto de minha nova amiga Roberta.
    - Não se esqueça ela é sua sobrinha.
    - Bem é que....
    - Sobre isso falaremos melhor depois.
    - Sim dr.
    - Quando quiser poderá me chamar de pai.
    Helana baixa a cabeça, cruza as mãos ao peito, Roberto entende e entra no carro.
    Roberta vem até ela.
    - Olha, já estou ficando com ciúmes.
    - Por quê?
    - Os rapazes não falam de outra, só você.
    - Pare com isso Roberta, o que eu preciso é de estudo, olhe eu vou fazer de tudo para aproveitar essa oportunidade.
    - Que bom.
    - Mais tem um problema.
    - Qual?
    - Eu trabalho num atacado perto de onde moramos, entro no serviço ás 13 horas em ponto e saio ás 21 horas.
    - Nossa.
    - Como vou fazer para chegar no horário?
    - Fique tranquila falarei com o Hermes.
    - O seu motorista?
    - Pare ele é da família, também é seu.
    - Olhe eu não quero causar qualquer problemas para vocês, darei um jeito.
    - Nada disso, ja te disse, fique tranquila ja tenha por solucionado.
    A moça balança a cabeça em afirmativo.
    

    Termina as aulas, Roberta estranha o fato de não ter visto Murilo, ela pede para Helana que fique no aguardo do motorista e segue á procura do rapaz.
    Depois de tanto rodar pelo colégio acaba por ve-lo junto de alguns amigos ao fundo da quadra.
    - Murilo.   O rapaz olha para trás e a vê, não demonstra qualquer alegria ali por ve-la, os amigos se despedem e ele coça a nuca.
    - O que foi, que te fiz?
    - Por que diz?
    - Oras, eu fiquei amanhã toda esperando ve-lo.
    - Roberta, a gente precisa conversar.
    - Bem, a Helana minha tia, vai estudar aqui.
    - Que bom.
    - Impressão minha ou você não esta legal.
    - Depois a gente se fala.
    - Não Murilo seja o que for, falaremos logo.
    - Olhe...
    Helana vem a eles corendo, cumprimenta.
    - Bem, me desculpem eu pertuba-los, eu já vou indo, o Hermes vai me deixar no trampo.
    - Tudo bem, depois eu te ligo.
    - Tá.
    Helana anota seu numero em um pedaço de papel e entrega para Roberta se despedindo deles.
    - Tchau. Após a saída, Roberta olha firme em Murilo.
    - E agora, podemos conversar?
    - Sim, vamos.
    Murilo acompanha Roberta até uma soverteria próxima ao colégio.
    Roberta olha para ele ali na sua frente, pega na mão do rapaz e traz para si, porém não sente reciprocidade por parte dele.
    - O que houve?
    - Acho melhor terminarmos.
    - Por que Murilo?
    - Eu vi você.
    - O quê?
    - Eu vi você, depois que me despedi eu voltei, vi você e aquele cara dentro do carro.
    - Como pôde Murilo?
    - O que foi agora, vai fazer de vitima. Roberta dá um leve tapa no rosto de Murilo.
    - Agora sim Roberta, chegamos ao fim.
    - Por que Murilo saiba nós não somos...
    - Não somos o quê, namorados, amantes, ficantes, me diz que porra a gente é?
    - Pare de fazer escândalo Murilo.
    - Já chega, não soou um covarde e nem tão frio quanto você.
    - O quê?
    - Isso mesmo que ouviu.
    Murilo sai dali deixando Roberta ao choro.
    Longe dali o rapaz para a moto em um posto e entra na loja de conveniência, onde compra algumas bebidas e segue para sua casa.
    Jonas termina de desligar o celular, ficou por alguns minutos em namoro com Jenifer.
    Murilo passa pelo irmão sem que este o perceba, logo Jonas termina de esquentar o almoço para eles, seus pais foram para Fortaleza em um congresso de empresários.
    - Acho que meu mano chegou.
    O telefone toca e ele atende, pedidos de entrega e Jonas escolhe os peixes e vai realiza-lo.
    Murilo vem para o comércio com as garrafas e copo, traz um prato com carne frita, come somente 2 pedaços e entra na bebida.
    Roberta tenta falar com Jenifer mais não consegue, Patricia vem a ela e as duas decidem por dar uma volta no shopping, na praça de alimentação a moça desaba em choro.
    - Meu Deus, nem sei o que lhe dizer Ro.
    - Acha que fui má?
    - Não, você só está um tanto confusa.
    - Confusa?
    - Sim, alguma vez no minimo que fosse se colocou no lugar dele?
    - Como?
    - Ro, aquele rapaz te ama.
    - Paty.
    - Sim, eu nãoo sou tão íntima de vocês, mais na real eu vi e senti o quanto ele te cuidou te olhou naquela festinha em sua casa, com sentimento, ele te ama garota.
    - Será que ele....
    - Vai logo e corre atrás desse homem, olha senão for eu vou. Risos.
    Roberta se despede da amiga ali, no caminho pede um carro por aplicativo, logo chega o veiculo e ela entra dizendo ao motorista onde deixa-la, dentro do carro tenta por várias vezes ter contato com Murilo porém sem sorte.
    - Meu Deus, o que aquele louco esta fazendo?
    Jonas chega da entrega e encontra Murilo ali a beber no canto do comércio.
    - Ei mano bebe para lá, não pode fazer isso aqui, os fregueses vão pensar o quê?
    - Vá se danar.
    - O que foi desta vez?
    - Me deixa em paz caralho, que inferno.
    - Olhe a boca, sou teu irmão.
    - Vá se fuder.
    - Vem vamos para dentro e ai você poderá beber o quanto quiser.
    - Já te disse, me deixe em paz porra.
    Murilo empurra o irmão este tenta ir até ele mas o rapaz joga um litro que quase o acerta, tendo cacos pelo chão todo.
    Roberta chega ali naquele momento, Jonas chora de um lado e Murilo ali entregue ao porre.
    - O que houve Jonas?
    - Ainda quero saber, será que tenho um irmão.
    - Cale a boca. Grita Murilo para ele, Roberta vai até o rapaz e lhe tira o copo com garrafa.
    - O que acha que esta fazendo, se tornando mais homem?
    - Por que diz isso sua ingrata.
    - Já chega Murilo. Roberta tem ajuda de Jonas para levar o irmão até a varanda da casa, ali deixam Murilo no sofá externo, Roberta agradece o rapaz.
    - Vou limpar o comércio.
    - Tudo bem, pode ir tranquilo eu cuido dele, a gente se desentedeu, perdoa ele tá.
    - Claro, tudo certo.
    Roberta olha para Murilo e o rapaz leva a mão no rosto dela.
    - Roberta, por que é tão cruel comigo, Roberta?
    - Pare com isso, eu só quero que me responda algo.
    - O quê?
    - O que sente por mim?
    - Amor, amor sua tola, eu te amo Roberta. Grita o rapaz ali.
    Ela o abraça e o choro dá lugar para beijos e amassos, Murilo a leva para seu quarto e ali na cama se entregam ao sexo.
    20181206.....................................


Biografia:
gosto de escrever
Número de vezes que este texto foi lido: 162


Outros títulos do mesmo autor

Romance JEZEL LIVRO 2 CAP 10 paulo azambuja
Romance AMOR SOBERANO CAP 1 paulo azambuja
Contos ROBERTA 21 NOVEL HOT paulo azambuja
Romance JEZEL LIVRO 2 CAP 9 paulo azambuja
Romance JEZEL LIVRO 2 CAP 8 paulo azambuja
Contos ROBERTA 20 NOVEL HOT paulo azambuja
Crônicas SOBRE A VIDA DE PAULO FOG paulo azambuja
Contos ROBERTA 19 NOVEL HOT paulo azambuja
Contos JEZEL LIVRO 2 CAP 7 paulo azambuja
Contos JEZEL LIVRO 2 CAP 6 paulo azambuja

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 63.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 185073 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 162961 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 160641 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 130267 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 117354 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 76469 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 69475 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 63801 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 59781 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 55325 Visitas

Páginas: Próxima Última