Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
SUSSURROS 23 TERROR
DE PAULO FOG E IONE AZ
ricardo fog

Resumo:
BOM

Amanda vem com a seringa até Aparecida, nisso a luz é apagada, um grito abafado, quando acesa, ali no chão, Amanda com um corte profundo no pescoço, sangue esguinchando.
    - Sua pilantra.
    Ao lado de Aparecida, a garota infernal sorri com uma espécie de fio preso a uma pulseira e seguro com a outra mão.
    Amanda morre ali em segundos, ainda no quintal da casa, jaz a velha e o rapaz do mesmo modo.
    A policia científica e papiloscopistas ali realizando seus trabalhos, investigadores a conversarem com os vizinhos, ninguém ouvira nada, conforme são liberados os corpos seguem em sacos para o veiculo do IML.
    - Mais quem fizera isso?
    - Nossa chance são as câmeras de trânsito e as daqui da residência.
    - Bem, eu soube que havia 4 câmeras.
    - Não, são 5.
    - Cinco?
    - Sim, ela havia pedido para instalar uma no outro quarto.
    - Por quê?
    - Logo saberemos.
    - Ja tem em posse as imagens?
    - Sim.
    Na sala o disco é colocado no parelho e tudo que chama a atenção dos policiais e de Celso é Amanda abrindo o armário e retirando deste 1 livro e um embrulho.
    - Mais onde estão estes objetos?
    - Isso é outro mistério.
    - Podem contar comigo.
    - Sim sr Celso, vamos precisar bastante da sua ajuda.
    - Suspeitam de alguém?
    - Sr Celso, no momento todos.
    - Tem razão.
    - Sr Celso, nos acompanha a delegacia?
    - Claro, agora se quiserem.
    - Sim.
    Nisso Mauro chega com Pedro e outros 2 homens.
    - Não Celso, sem advogado, é burrice.
    - Mais Mauro eu não devo.
    - Sabemos disso.
    Pedro se apresentas para os policiais e todos seguem para a delegacia.
    Ali no hospital, Aparecida esta em choque toma medicamentos por via soro, uma enfermeira do lado, Áurea e Laura ali também.
    - Quando iremos saber o que houve?
    - Assim que ela se estabelecer.
    - Meu Deus deve ter sido horrível para ela.
    - Com certeza, quem diria que aquela tal de Amanda fosse uma criminosa.
    - Será Laura?
    - Tudo indica.
    - Verdade.
    - Mana, como aquela velha e o rapaz iriam entrar na casa sem causar alvoroço devido ao alarme.
    - Pois é mana.
    - Vamos rezar?
    - Sim.
    Elas pedem licença a profissional ali e seguem para a capela do lugar onde iniciam suas rezas.
    Celso presta depoimentos por quase 30 minutos, depois é a vez de Mauro e logo Pedro também, todos acompanhados por advogados.
    - Muito bem senhores, por agora é isso, peço-lhes que deixem atualizados seus endereços e contatos.
    - Sim dr.
    Na saída da delegacia, Pedro olha para a rua.
    - Se eu estivesse com ela.
    - Fique tranquilo sr Pedro, d. Cida vai ficar bem.
    - Assim espero, eu não me perdoaria.
    - Tenha fé.
    - Mauro, você tem um irmão de ouro.
    - Sim dr, Celso é um verdadeiro Lord.
    - Obrigado filho.
    - Nada dr Pedro.
    Cida adormecera com a ação dos medicamentos em seu sonho ela vê a Polônia fria, ela fugira de uma zona militar durante a guerra fria, se tornara desertora em terras f gélidas, corre por ruas de pedras e bate em portas até que um velho relojoeiro lhe dá guarida em sua loja.
    Ali ela tem sua primeira refeição após dias em fuga, batatas e um caldo de peixe, ela come se fosse um manjar dos deuses.
    A enfermeira confere a pressão, mede a temperatura e anota tudo em um prontuário, Áurea e Laura entram ali e fala a moça que descanse um pouco, elas ficarão por algum tempo, após alguns recusos por parte da profissional ela decide por sair.
    - Mana olhe como ela dorme tranquilamente.
    - Graças a Deus.
    Celso desce do carro frente a fábrica que ficara fechada e sobe para o apartamento onde toma banho, abre o refrigerador e pega um refri em lata, bebe e come uma porção de carne frita que esquentara no micro.
    Logo batem a porta, ele vai até a esta, ao abrir.
    - Você.
    - Oi Celso.
    - O que quer?
    - Vai me convidar?
    - Entre.
    - Obrigada.
    A garota infernal ali na frente dele, sentada, microsaia jeans, blusinha preta, tiara no cabelo, unhas em cor âmbar, traz no pescoço uma gargantilha com pingente de letra C.
    - Vai diz o que quer?
    - Estou com fome.
    - Vou preparar algo.
    - Que bom.
    Celso prepara outra porção de carne frita para ela, refri e copo.
    - Obrigada.
    - Agora fale.
    - Me deu trabalho.
    - O que te deu trabalho?   Nisso ele sente tipo uma corrente elétrica a percorrer seu corpo.
    - Foi você?
    - Lógico, quem mais.
    - Cara.
    - Sabia que ia dizer isso.
    - A policia.
    - Nunca terão provas.
    - Será?
    - Faço muito bem meu trabalho.
    - Trabalho?
    - Quero que me ajude.
    - Em quê?
    - Espere eu terminar, afinal esta delicioso.

    01012018..........................................


Biografia:
escrevo para trazer a tona meus sentimentos anseios desventuras talvez.
Número de vezes que este texto foi lido: 66


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas O OUTRO LADO DO SUCESSO ricardo fog
Crônicas TE AMO MÃEZINHA MUITISSIMO ricardo fog
Contos SUSSURROS TERROR FINAL ricardo fog
Contos AVISO ricardo fog
Contos ROBERTA NOVEL HOT 2 P2 ricardo fog
Contos ROBERTA NOVEL HOT 2 ricardo fog
Contos SUSSURROS 24 TERROR PRÉ FINAL ricardo fog
Contos ROBERTA NOVEL HOT HÉTERO 18 ANOS ricardo fog
Contos MARCOS 21 NOVEL GLS ricardo fog
Contos SUSSURROS 23 TERROR ricardo fog

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 85.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183183 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 152120 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 151516 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128628 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67647 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 66369 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 59779 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 59679 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57843 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53798 Visitas

Páginas: Próxima Última