Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Um último clichê
Ítalo Grimaldi

- Então é isso? Este é o fim.

- Vejo que aceitou bem. A maioria não aceita assim.

- O que posso fazer? Ajudaria em algo eu resistir?

- O destino seria o mesmo, inevitavelmente. Poderia, talvez, prolongar o sofrimento por mais algum tempo, mas o destino certo e imutável é este.

- E haveria como postergar isso eternamente?

- Muitos tentaram. Todos jazem em seus túmulos.

- Isto é profundo.

- Seus túmulos também.

- Tenho direito a últimas palavras?

- Em geral este direito é negado à maioria. Contudo, por estar sendo um dia bem tranquilo, pode dizer suas últimas palavras.

- À minha família. Lamento não ter sido tão presente quanto gostaria. Meus filhos, minha esposa... Um pai de família não é avaliado por sua conta bancária ou pelos presentes que dá aos seus, mas pelo amor que dedica àqueles que ama. Infelizmente, por muitas décadas coloquei meu emprego à frente da minha família, enganando-me e fingindo acreditar que dinheiro e presentes fariam de mim um pai e um marido honrado. Peço aos meus filhos e à minha esposa perdão.

- Grandes homens morreram de repente e tragicamente sem jamais terem tido a chance de dizerem suas últimas palavras, sem jamais poderem deixar ao mundo sua mensagem final. Você, contudo, teve esta sorte e me presenteia com um dos discursos mais clichês que eu já ouvi em anos neste trabalho.

- Ora, são minhas últimas palavras!

- E por que justo estas? Sua família nem está aqui para te ouvir.

- Escolhi estas porque lamento não...

- Ah, por favor... Você se reconhecia ser um pai de família ausente e escolheu se manter assim por livre e espontânea vontade. Mas tudo bem, eu não te julgo porque este nem é o meu trabalho. Eu apenas recolho o que me pedem para recolher. Julgamentos ficam a cargo de quem pode julgar.

- Ora, mas de qualquer forma não venha dizer que minhas últimas palavras são clichês!

- Você pode me agradecer. Esta discussão toda te poupou daquelas terem sido suas últimas palavras. Suas últimas palavras estão sendo de revolta com o anjo da morte. Ainda não é original, mas melhorou.

- Ah, por favor! Se minhas últimas palavras foram clichês, isto indica que este problema todo envolvendo as famílias é muito comum e não sai de moda!

- Meu caro... Modéstia à parte, sou eu quem não sai de moda.

E desferiu o golpe de foice.


Biografia:
Número de vezes que este texto foi lido: 37


Outros títulos do mesmo autor

Contos Um último clichê Ítalo Grimaldi
Contos Index Librorum Prohibitorum Ítalo Grimaldi
Contos O homem de Havana Ítalo Grimaldi


Publicações de número 1 até 3 de um total de 3.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182605 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 146723 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 146531 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128169 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67251 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 64171 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 58370 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 57582 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57315 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53400 Visitas

Páginas: Próxima Última