Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
SUSSURROS 15 TERROR
DE PAULO FOG E IONE AZ
ricardo fog

Resumo:
MELHOR

Celso entra na sala e todos ali decidem por fazer um brinde para o filho que agora é gerente de uma multinacional.
- Pietra.
- Oi.
- Vem brindar com a gente.
- Sim.
Os olhos de Pietra e Celso se cruzam e eles saem dali, em um canto da empresa aos beijos ela decide que quer ter sua primeira noite de amor com ele.
- Sério?
- Sim.
Celso fica feliz, porém é notável que ainda lhe falta algo.
- Aconteceu alguma coisa Celso?
- Não, nada.
- Pode me dizer, esta de olho em outra mulher, se é isso acho que o mais certo seria eu ser a primeira a saber assim não alimento mais esperanças, é isso?
- Não.
- Olhe Celso sei que pode acontecer isso, somos humanos e vulneráveis, não sou daquelas que fica a correr a ter crises, porém não quero ser passada para trás, só isso.
- Eu te amo.
- Eu também Celso, eu também.
Após 3 semanas de reluta, Edileuza começa a aceitar o tratamento, por se tratar de clinica mista, ela mantém contato com outros pacientes e logo se aproxima de um rapaz de seus 21 anos já na 4ª vez ali, do papo se inicia um caso, toda noite ela vai para o quarto dele com ajuda de um enfermeiro que recebe uns trocos para facilitar a entrada dela na ala masculina.
Luan é filho de politicos e tem na família apresentadores, atores, cantores, uma família bem influenciável.
- Você é bem louquinha sabia?
- Cale a boca e me faça esquecer este lugar.
- É pra já.
Ali as noites são bem selvagens, Edileuza satisfaz todos os seus desejos, o colega de quarto de Luan é um outro rapaz, Kaique, homossexual assumido, 23 anos, noivo de um deputado, só que ás escondidas.
- O que você fazia com esta gazela quando eu não havia chegado?
- Respeite o Kaique, ele é como um irmão para mim.
- Sei. Diz Edileuza com ironia.
- Olhe se continuar a gente para por aqui.
- E por falar nisso onde ele fica até tarde da noite?
- Sei lá, por algum quarto a jogar cartas.
- A sei ele adora um buraco. Luan lhe dá um tapa que faz Edileuza cair de lado.
- Seu canalha.
- Vá embora, já te disse não quero que fale mau dele.
- Tudo bem me perdoe. Edileuza abraça Luan e faz carinhos no homem que acaba por ceder e eles transam de novo.
Mauro recebe uma proposta para ficar no lugar do gerente da empresa em Milão Itália por 8 meses, depois de consultar a família ele decide por ir.
- Que maravilha, meu anjo vai para fora do país.
- Mãe eu já estou bem grandinho.
- Para a mãe o filho nunca cresce.
- Sim eu sei, você fala isso desde que éramos realmente pequenos.
Todos riem, Celso olha para aquilo a certa distância, Pietra iniciou um curso de inglês e francês por isso fica quase todas as noites longe do amor, tendo mais contato com Celso na fábrica e nos finais de semana que não viaja com a família.
- Esta triste Celso?
- Não tia.
- Olhe sua mãe faz todo aquele alarde mais ela te ama viu, a todos vocês.
- Eu sei tia.
- Então o que foi?
- Sei lá tia, acho que devo terminar com a Pietra.
- O quê?
- É tia, nossos planos são bem diferentes.
- Você acha?
- Sim tia eu acho.
- Bem...   Laura olha para Celso e fica ali em seu intimo torcendo para o sobrinho não fazer o que deseja e continue com Pietra pois todos gostam dela.
No sabado após deixarem Mauro no aeroporto de Curitiba, no carro Celso e Pietra se olham, ela também esta um tanto distante dele, quando chegam na casa de Áurea, Laura pega um táxi para seu apartamento, Celso decide ficar e passear um pouco com Pietra.
- Tudo bem, não cheguei tarde, amanhã teremos uma grande remessa.
- Sim tia.
Na praça ao som de um trailler ali bem perto eles sentam no banco, Dog's quentes, sucos naturais e a promessa de fecharem com sorvete.
- Olha precisamos conversar.
- Você quer terminar?
- Você também?
- Nossa achei que seria um tanto trágico.
- Para quê, somos adultos e temos sonhos diferentes.
- Você entende?
- Claro Celso, quando a gente ama, tem de entender, confiar e acima de tudo prever, ler nas entrelinhas certas coisas.
- Eu gosto de ti.
- Eu sei disso, nunca questionei seu amor.
- Nossa então por que a gente tem de...
- No momento é o melhor.
- Pois é.
- Amigos?
- Sempre.
- Vai continuar trabalhando com a gente?
- Olhe sobre isso fico até o fim do estágio, daqui 3 meses eu saio.
- Tem certeza?
- Sim.
- Então?
- Vamos para o sorvete logo?
- Vamos. Abraços e lágrimas nos olhos de ambos.
Ao longe a garota infernal assiste aquilo e de seus olhos lágrimas descem.
- Como tudo neste mundo, o fim, tenho pena mais tem de ser assim, Celso agora vem um daqueles e assim se inicia o fim para mim e para ti.
Celso chega no apartamento, Laura ali dormindo no sofá, bíblia na mão, tv ligada, metade de um refri pequeno a umedecer a mesa de centro.
- Tia.
- Oi filho, você chegou?
- Vai dormir no quarto.
- Tudo bem com vocês?
- Sim tia.
- Boa noite.
- Boa noite tia.   Um beijo na testa e Laura segue para o quarto, ele pega o refri, seca a mesa e apaga a luz, tv, seguindo para a cozinha onde deixa o copo e refri na pia e vai para seu quarto.
Ali ele olha para a cama de Mauro sempre arrumada, deita e fica a olhar para o teto, toca seu celular, mensagem de Pietra agradecendo a noite e desejando toda sorte do mundo para ele.

31102017 ------------------------------------.


Biografia:
escrevo para trazer a tona meus sentimentos anseios desventuras talvez.
Número de vezes que este texto foi lido: 70


Outros títulos do mesmo autor

Contos SUSSURROS 17 TERROR ricardo fog
Contos MARCOS 16 NOVEL GLS ricardo fog
Crônicas O PROFESSOR A LENDA ricardo fog
Contos MARCOS 15 NOVEL GLS ricardo fog
Contos SUSSURROS 16 TERROR ricardo fog
Contos SUSSURROS 15 TERROR ricardo fog
Contos MARCOS 14 ricardo fog
Crônicas AGORA SIM 1 ricardo fog
Crônicas A REAL SITUAÇÃO ricardo fog
Contos MARCOS 13 NOVEL GLS ricardo fog

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 63.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182605 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 146723 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 146531 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128169 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67251 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 64171 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 58370 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 57582 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57315 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53400 Visitas

Páginas: Próxima Última