Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
JEZEL 6 VINGANÇA
DE PAULO FOG E IONE AZ
ricardo fog

Resumo:
EXCELENTE

Na sala de âmbar, Hélida serve-se de chá, a oitava xícara que toma de frutas selvagens.
- Não me canso de apreciar este aroma e o paladar.
- É realmente bom.
Diz Nefany aos nervos em espera de Merlin que quer ve-la, logo abre uma porta vermelha e Merlin vem junto de 3 magos de pele morena clara.
- Quer me ver?
- Sim me acompanhe. Nefany vai junto deles até a sala onde os outros magos fecham a porta deixando-os a sós.
- O que quer mestre?
- Sem rodeios, quanto esta ganhando de Moraz?
- Como assim?
- Não me faça de imbecil, a única tola que não sabe dar valor a vida e aos outros é tu.
- Assim esta a me ofender...
- Pare com isso, Nefany você nunca teve principios e tampouco soube se valorizar, arrumou Omar graças a virtude das Ninfas, virtude esta que roubaste do pequeno pelegrino que passava pela vila de Gordy a miserável vila de Gordy.
- Tudo bem ja chega, não precisa ficar esfregando na minha cara tudo de houve.
- Diz logo.
- Mais de 1000 der's.
- E mais o quê?
- Só isso.
- Não, diz logo.
- O poder astral e o controle dos vales de Sálvio.
- Ainda quer vingança?
- Sim e sempre vou querer, eles me tiraram tudo.
- Não Nefany, quem lhe tirou tudo foi Vladimir 4º, pai de Moraz.
- Não pode ser.
- Então veja. Merlin olha para a parede e esta torna-se um reflexo de água saindo deste um espelho vertical preso a este reflexo, ela vai até este e vê parte de sua infância em extrema pobreza colhendo frutas selvagens e recolhendo restos e até ferventando carnes ja passadas quase podres para comer em Gordy.
Ali lágrimas saem de seus olhos e ela grita horrorizada quando vê sua mãe e sua irmã sendo violentada e mortas por Vladimir enquanto seu pai assiste a tudo sem poder fazer nada tendo 2 espadas no pescoço e 1 no umbigo prestes a adentrar seu corpo, após o ato ali Vladimir ordena para que matem todos, Nefany vê os corpos sendo desossados ali, esquartejados, seu pai tendo uma espada atravessada no umbigo e 2 na garganta, ela grita em profundo pavor devido a tamanha crueldade e ali ao canto um menino de tez clara, olhos azuis que oscilam para um verde escuro
cabelos em cachos escuros, filho de senhorio feudal se alegra ao ver o sangue jorrar e limpa o seu rosto dos respingos com um lenço branco que traz o escudo de seu clã.
- Moraz. Nefany diz com todo seu ódio e cai de joelhos diante ao espelho que ainda lhe mostra quando Vladimir compraste a guarda dali e ainda colocara em cena roupas e um anel do principado do Valles de Sálvio.
- Por que, por que isso tudo teve de acontecer?
- Por que sua mãe mantinha um romance com Vladimir.
- O que quer dizer?
- Moraz é seu meio irmão.
- Não.
- Sim, você tem um irmão e ele é Moraz. Nefany rola no chão aos gritos, choros, berros rasga parte de suas vestes e profere diversas maldições tão antigas que todo ambiente é tomado por uma névoa negra e se sente a presença de escravos do limbo mais Merlin com apenas um toque em seu anel de pedra ônix faz tudo desaparecer.
Ela se aclama e olha para Merlin ainda a limpar seu rosto das lágrimas.
- Por que contou tudo isso?
- Nefany, o que esta para acontecer é algo muito importante e tremendamente forte.
- O que eu tenho haver com isso?
- Tudo, sei que colocaste traves de desbloqueio e tramas de acesso no leito de Jezel.
- Eu não o fiz...
- Não queira me enganar já lhe disse.
- E daí?
- Agora é a hora, temos de saber se podemos contar contigo?
- Ainda não sei.
- Sinto muito.
- Como assim?
Merlin tira uma vara de sua veste e profere um rito celta e todo lugar é tomada por forte ventania que se torna um ciclone e suga Nefany que tenta por tudo fugir mais sem sucesso, Merlin sai da sala que retorna ao normal sem Nefany.
- E então mestre?
- Tentei, mais ela ainda não entendeu a razão de tudo.
- Vai ter tempo?
- Sim ela terá um bom tempo no reino de Hury.
- Mais aquele lugar é terrível.
- Fique calma Hélida logo ela vai ter sua posição definitiva.
- Como sabe?
- Sou Merlin e conheço bem o astuto de um feitiçeiro de grau tão inferior.
- E Omar?
- Este já não podemos contar mais.
- Por que?
- Com certeza foi ter com Moraz, ele ja fez a sua escolha, a pior de todas. Moraz termina de castigar 8 escravos de pele clara deixando-os serem picados por víboras e os vendo implorar por cura até ele diluir 3 gotas de seu sangue em uma mistura de ervas em água quente e dar a eles que retomaram suas energias vitais.
- Obrigado sr.
- Nunca mais se esqueçam eu sou o seu grande amo.
- Sim.
- Saiam. Eles saem levando em seus corpos marcas das presas das serpentes, Murana entra ali e lhe diz que Omar quer ve-lo.
- Diga a ele que ja vou, sirva para ele o licor persa.
- Sim.
Omar sentado num banco em estofado de pele de onça parda com almofadas em tecido egipicio.
- O que foi Omar?
- Não trago boas noticias.
- Diz logo, eu saberei se são tão más assim.
- Nefany esta neste momento na presença de Merlin.
Moraz contorce todo o corpo e seus olhos ficam de um vermelho vivo.
- O que me diz?
- Ela foi junto de Hélida, Jezel e outras para Balt's lá Hélida resolveu que todas deveriam ir para o castelo de Merlin.
- Aquele Palácio imundo.
- O fato é que estão lá.
- Como sempre Hélida tentando me derrubar.
- Ela quer que o despertar ocorra sem problemas.
- Mais vai acontecer é o que todos queremos.
- Sim.
- Quanto ao bloqueio?
- Foi anulado, Nefany fez tudo como combinado.
- Deve ter feito, mais com certeza Merlin já reforçou e com Hélida a frente só me resta ajir com mais ação.
- Ação?
- Isso não lhe diz em nada, pode ir.
- Sim.
Omar sai dali mais ao passar pela porta Murana o para, Moraz logo atrás dele.
- Pensando bem, acho que tenho outro serviço agora para ti.
- O quê...
Moraz faz Omar adormecer e quando este acorda só vê uma lâmina vindo ao seu pescoço.
Ali na casa de Hélida em meio ao roseiral amanhece, um grande poste de madeira ali com o corpo de Omar preso nele faz as serviçais gritarem em desespero.
Hélida é chamada e retorna deixando Jezel e as outras aos cuidados de Gildez no Palácio de Merlin.
- Quem fez isto?
- Não sei senhora.
- Claro que não sabe. Hélida move os braços e o tronco desaparece cai em em seus braços e encontra preso a este 3 papéis amarelos com runas diferentes.
- Omar foi morto por Moraz. Vanda empalidece.






   " E ASSIM QUE A NOITE SURGIR DIGA AS BRUXAS PARA QUE FIQUE BEM PERTO DE SEUS CALDEIRÕES E NUNCA OFEREÇA POÇÕES DE AMOR OU FORTALEÇA TENRAS AMIZADES. POR QUE ESTAS MESMAS SERÃO AS RUINAS DE SEUS DOMÍNIOS NESTE MUNDO. AINDA QUE OUÇAM O CHORO DOS BEBÊS CORTEM OS DEDOS MAIS NÃO SAIAM AO SOCORRO, POR QUE TUDO QUE SE LAMÚRIA E ENTRISTECE PODE SE TORNAR UM FAMIGERADO ALIMENTO. "



     1989 -   Jezel ali em sono profundo é dado por Jocâ um retrato de Elisio que faz a bebê mesmo que inconsciente sorrir, isto faz Hélida gritar aos nervos.
- Ja te disse que não teste a humanidade dela.
- Por que?
- Os bruxos são delicados, sensíveis porém altamente vingativos.
- O que tem haver?
- Quando sorri, você sabe que aquele se torna?
- Um grande desconforto.
- Sim e com este já são mais de 11.
- E agora?
- Ja chega Jocã, sua visita fora bem proveitosa mais acho que ja esta na hora.
- Entendo, devo partir.
- Sim.
Após um forte abraço ele assovia e um gavião pousa na área, ele diminui de tamanho até ficar um pouco maior que um sapo e a ave o leva.
Hélida profere um tiro e todo jardim muda dando um lugar para frondozas árvores africanas e patos passeiam por entre muros de trepadeiras, as roseiras crescem agora mais ao norte e bem mais coloridas, amarelas e azuis.

   02082017 -----------------------------------------------------------------------------------


Biografia:
escrevo para trazer a tona meus sentimentos anseios desventuras talvez.
Número de vezes que este texto foi lido: 295


Outros títulos do mesmo autor

Contos SUSSURROS TERROR FINAL ricardo fog
Contos AVISO ricardo fog
Contos ROBERTA NOVEL HOT 2 P2 ricardo fog
Contos ROBERTA NOVEL HOT 2 ricardo fog
Contos SUSSURROS 24 TERROR PRÉ FINAL ricardo fog
Contos ROBERTA NOVEL HOT HÉTERO 18 ANOS ricardo fog
Contos MARCOS 21 NOVEL GLS ricardo fog
Contos SUSSURROS 23 TERROR ricardo fog
Contos SUSSURROS 22 TERROR ricardo fog
Contos MARCOS 20 NOVEL GLS ricardo fog

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 83.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2018
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 183166 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 152069 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 151206 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128619 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67635 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 66358 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 59687 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 59647 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57825 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53786 Visitas

Páginas: Próxima Última