Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
AO COLEGA DA CASA VERDE (O ALIENISTA- MACHADO DE ASSIS)
Flora Fernweh

Enclausurada neste cárcere denominado Casa Verde, não me sinto apenas como um pássaro enjaulado, mas como uma ave que perdeu suas asas e sua dignidade. Este ambiente em que vivemos é cruel, desumano e arrebatador, sinto-me angustiada a cada minuto que passa e encrava um relógio da mesma forma em que lágrimas perfuram as faces de muitos assolados deste recinto.
     Convivo com uma curiosidade latente em saber os motivos que trouxeram muitos para este local. A história de como vim parar aqui é a seguinte: eu estava em local público mergulhando em um livro até que os capturadores acionados pelo Dr. Bacamarte vieram ao meu encontro e indagaram-me: “Quem é você?” E subitamente, respondi: “Como poderei saber? Se hoje já não sou o que fui ontem e amanhã não serei quem sou hoje!” e sem hesitar, me levaram à força para o manicômio, este fato foi o estopim, mas já desconfiavam de meus delírios, pois anterior a isso, escrevi uma mensagem anônima, coloquei em uma garrafa e joguei ao mar, jamais saberei se alguém encontrou, talvez o próprio Dr.Bacamarte a encontre um dia.
     Suspeito que até você me considere louca, maluca, delirante por escrever demais ou utilizar recursos poéticos e de linguagem que você possa talvez não compreender. A verdade é que ainda não encontrei motivos que possam justificar minha vinda para cá, e muito menos o motivo por eu ser assim.

Escreva-me! Estou curiosa para conhecer sua história.
Obrigada.


Biografia:
Sobre minha pessoa, pouco sei, mas posso dizer que sou aquela que na vida anda só, que faz da escrita sua amante, que desvenda as veredas mais profundas do deserto que nela existe, que transborda suas paixões do modo mais feroz, que nunca está em lugar algum, mas que jamais deixará de ser um mistério a ser desvendado pelas ventanias. 
Número de vezes que este texto foi lido: 1005


Outros títulos do mesmo autor

Poesias Lampejo lírico Flora Fernweh
Contos Velório de D. Morte Flora Fernweh
Haicais Mar quente da escrita Flora Fernweh
Artigos Impactos do isolamento social à saúde mental Flora Fernweh
Poesias Enigmática nobreza Flora Fernweh
Contos Rua sem saída Flora Fernweh
Sonetos Bile negra Flora Fernweh
Crônicas Poupe-me, passado Flora Fernweh
Frases Conhecer é sofrer? Flora Fernweh
Artigos Preconceito linguístico Flora Fernweh

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 139.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2020
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 68304 Visitas
A Arte De Se Apaixonar - André Henrique Silva 55689 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 44371 Visitas
Minha namorada - Jose Andrade de Souza 44109 Visitas
Reencontro - Jose Andrade de Souza 43734 Visitas
Amor e Perdão - Amilton Maciel Monteiro 42049 Visitas
IHV (IAHU) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 41724 Visitas
haicai - rodrigo ribeiro 41335 Visitas
OS ANIMAIS E A SABEDORIA POPULAR - Orlando Batista dos Santos 41232 Visitas
TOMO TUDO - sigmar montemor 39743 Visitas

Páginas: Próxima Última