Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Alegres Transformações
Charles Haddon Spurgeon


Título original: Joyful transformations

Por Charles Haddon Spurgeon (1834-1892)
Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

"Tornarei as trevas em luz perante eles, e aplanados os caminhos escabrosos. Estas coisas lhes farei; e não os desampararei.. "(Isaías 42:16)

Na busca da santidade o peregrino é muitas vezes cercado de trevas; enquanto no caminho do mal o viajante fica deslumbrado com um brilho de luz. É o caminho do tentador fazer o caminho descendente o mais atraente possível com o esplendor fulgurante do prazer carnal. O pecado está rodeado de um brilho fascinante que encanta o inábil buscador do prazer e o conduz à sua própria destruição. Olhe para o palácio de água de fogo, dedicado ao demônio da embriaguez; é mais brilhante do que qualquer outra casa na rua! Veja como brilha com lâmpadas abundantes, e espelhos, e latão polido! Ricas de cores são as flores que florescem na boca da cova da velha serpente. Como as sereias da velha fábula clássica encantavam os marinheiros com suas canções, de modo que, sob o feitiço de sua música, eles viraram as proas dos seus navios para as rochas de destruição, mesmo assim o pecado constrange os filhos dos homens a fazer naufrágio de suas almas. O mal parece estar rodeado cada vez mais de uma luz que deslumbra e fascina, mesmo quando o brilho da vela atrai a mosca para a sua destruição.
Quanto ao caminho da justiça e da verdade, do texto aparecem nuvens turvas que frequentemente repousam sobre ela, e o caminho parece áspero e torto, caso contrário não era necessário dizer: "Eu tornarei as trevas em luz diante deles"; nem era necessário que uma mão divina interferisse para tornar reto o torto. Irmãos, o dia do mal começa com uma manhã lisonjeira e se transforma em uma noite tenebrosa, mas o dia de Deus, o dia do bem, começa na tarde, como os dias primitivos da criação, a tarde e a manhã foi o primeiro dia. Nós, que seguimos o Senhor Jesus, temos a nossa primeira noite, e o nosso dia ainda não amanheceu, cujo sol nunca mais se porá. Deus guarda para nós o melhor vinho para o final, enquanto no banquete de Satanás eles apresentaram o melhor vinho, e depois o que é pior; sim, as borras são espremidas no fim para os ímpios da terra para beber. Quanto aos justos, eles têm suas amostras de absinto aqui, antes do alto festival começar, para lhes dar apetite para os banquetes, onde os vinhos bem refinados saciam suas almas.
Nosso assunto é sobre a grande promessa de Deus que, embora seu povo às vezes se envolva em escuridão, suas trevas serão transformadas em luz. Diante do avanço da fé, as coisas mais terríveis perdem o terror. Usaremos esta verdade apenas em referência aos crentes primeiro e, em seguida, transformá-la-emos brevemente num encorajamento para buscadores sinceros.

I. Primeiro, ao dirigir-me ao crente, tocarei o sino do texto novamente, ele tem uma doce voz prateada: "Tornarei as trevas em luz perante eles, e aplanados os caminhos escabrosos.”
Crente, observe que diante de você muitas vezes está uma escuridão sombria. Nessa escuridão façamos essas observações reconfortantes - primeiro, que grande parte da escuridão é de sua própria imaginação. Como sentimos mil mortes por temer uma, também sentimos milhares de aflições no medo de dores que nunca virão. Provavelmente a maior parte de nossas enfermidades nascem, se nutrem e se aperfeiçoam, inteiramente em um cérebro ansioso e imaginativo. Muitas de nossas dores não são tecidas no tear da providência, mas são puramente caseiras e o padrão de nossa própria invenção. Algumas mentes são especialmente férteis em autotortura; elas têm a faculdade criativa de tudo o que é melancólico, desanimador e miserável. Se fossem colocadas nas ilhas mais brilhantes dos abençoados sob céus sem nuvens, onde as aves mais belas cantassem uma melodia perpétua e a terra fosse rica em cor e perfume, não ficariam contentes até terem imaginado para si um chiqueiro sétuplo, um Infernal Tártaro, um vale de morte. Seu engenho é estimulado até pelas misericórdias de Deus; e o que faria os outros se alegrarem faz com que tremessem, para que o gozo não durasse muito tempo. Como certos pintores, eles se deleitam em pesadas pinceladas de sombras.
Meu irmão, você pode, talvez tenha diante de sua mente, naquela manhã, o que parece uma grossa parede de horror, e ainda assim não passa de uma nuvem. Esperando, você imagina que o problema irá aumentar, mas arrancando coragem e avançando para enfrentar o horror imaginário, você ainda vai rir de si mesmo, e de seus medos tolos, e me pergunto como é que você nunca poderia ter sido lançado em nada em tudo, e afligido por aquilo que não tinha existência exceto em seus sonhos. Eu me lembro bem, uma noite, tendo estado pregando a Palavra em uma aldeia rural, eu estava caminhando para casa sozinho ao longo de um caminho solitário. Não sei o que é que me afligiu, mas estava preparado para me assustar, quando de repente vi algo em pé na sebe, espantoso, gigantesco e com os braços estendidos. Certamente, pensei, uma vez que me deparei com o sobrenatural; está aqui algum espírito inquieto que executa sua marcha da meia-noite debaixo da lua, ou algum demônio do abismo. Deliberando comigo um momento, e não tendo fé em fantasmas, eu tomei coragem e decidi resolver o mistério. O monstro estava do outro lado de uma vala, bem na sebe. Saltei a vala e encontrei-me agarrando uma árvore velha, que alguém se esforçara para colorir com um pouco de cal, para assustar os simplórios. A velha árvore serviu-me de uma boa lição, pois aprendi a manter-me em dificuldades e a encontrá-las desaparecendo.
Metade das nossas aflições são apenas espantosas porque não sabemos o que são; e se, na fé, esperamos pacientemente, elas serão apenas leves e transitórias. Assim, ao perseguir a escuridão da nossa imaginação obscura, Deus muitas vezes faz da escuridão luz diante de nós.
Muito da escuridão que realmente existe é exagerada. Há alguma causa para o alarme, mas não a metade da causa para suas imagens extravagantes. "Todas estas coisas são contra mim", diz Jacó: "José não está, Simeão não está, e agora você vai me tirar Benjamin." Havia algo nessa queixa. José não estava com seu pai, Simeão foi mantido como refém no Egito; mas o velho tinha imaginado que José foi devorado por uma fera maligna, e Simeão foi dado para ser escravo perpetuamente em uma terra estrangeira. Seus medos tinham aumentado o problema que existia. E, crente, provavelmente isto sucede com você. Você verá que a carga que parece agora ser muito pesada para você levantar, será levada facilmente sobre os ombros que a graça divina fortalecerá se você tiver apenas confiança suficiente para se aventurar na tarefa. Essa cruz não é feita de ferro, é apenas de madeira; pode ser pintada com cores de ferro, mas ferro não é; ela já foi carregada, e uma muito mais pesada, já foi carregada por outros homens antes. Tome a sua cruz diariamente, e vá em frente com o seu Mestre, e você vai descobrir que as montanhas encolhem para montículos, gigantes são vistos como sendo apenas anões, dragões são apenas morcegos e corujas, e o próprio leviatã um inimigo derrotado.
Lembre-se também de que, em muitos casos, os problemas desaparecem no momento em que esperamos que sejam esmagadores. Enquanto estamos antecipando-os, eles parecem bloquear o caminho completamente, e não deixam nenhuma porta de fuga, mas em nosso avanço em direção à solução deles, eles não estão lá afinal, eles fugiram diante de nós. Vejam o exército de Israel - eles escaparam do Egito, mas são perseguidos pelos homens de faraó. Eles chegam a um lugar onde eles estão fechados em ambos os lados por montanhas, enquanto os carros do Egito estão na retaguarda. Como é possível escapar? Eles estão enredados na terra, o deserto os encerrou. "Adiante," grita o profeta, "adiante, exércitos de Deus!" Mas como podem avançar? O Mar Vermelho cruza bem no seu caminho; mas antes mesmo dos pés dos sacerdotes tocarem as águas do mar as profundezas são divididas, as águas se erguem como um montão, porque Deus fez um caminho para o seu povo através do coração do mar. Nenhuma estrada melhor poderia ser desejada do que aquela que encontraram na cama arenosa do mar. O problema, que certamente parecia insuperável, tornou-se objeto de triunfo inesperado; o canto de Miriam e as vozes das filhas de Israel tinha nele uma exultação maior do que jamais poderiam ter conhecido se não tivessem podido clamar em voz alta: "Cantai ao Senhor, porque ele triunfou gloriosamente: o cavalo e o seu cavaleiro Ele jogou no mar."
Irmãos, suas provações podem, em um caso parecido, desaparecer assim que você chegar a elas; você não sabe que plano Deus tem em mente. Ele tem um arco não utilizado que será a flecha da libertação do Senhor para você. O Senhor tem um contraplano para os complôs de seus inimigos. Você vê, senão apenas uma parte de seu plano, você ainda não descobriu a totalidade de seus recursos; e quando ele revelar seu plano maravilhoso mais plenamente, você ficará em espanto e até bendirá seu nome pela provação, porque ele forneceu tão nobre oportunidade para revelar a você a fidelidade e o poder de seu Deus. A mesma coisa que aconteceu no Mar Vermelho aconteceu também com as hostes de Deus quando chegaram ao Jordão, pois o Jordão foi rechaçado e fugiu diante do Deus de Israel. Se você sofrer problemas com a angústia, você também experimentará libertação após libertação.
Pense naquele poderoso exemplo em que foi provado que Deus pode limpar os céus mais escuros, e nos dar dia por noite! Refiro-me ao caso de Ezequias. Que carta blasfema e insultante era a que veio de Rabsaqué! Que linguagem injuriosa era aquela que o tenente de Senaqueribe, de boca suja, lançava ao rei de Judá! Pobre Ezequias era um homem de espírito santo e terno, e estava muito consternado; mas quando ele espalhou aquela miserável carta perante o Senhor e se curvou em sacos, pouco sabia ele como graciosamente Deus impediria que a tristeza nunca chegasse a ele em qualquer outra forma senão na de conversa e jactância. "Portanto, assim diz o Senhor acerca do rei da Assíria: Não entrará nesta cidade, nem lançará nela flecha alguma; tampouco virá perante ela com escudo, ou levantará contra ela tranqueira. Pelo caminho por onde veio, por esse voltará; mas nesta cidade não entrará, diz o Senhor." E assim foi; e assim, ó filho de Deus, que seja com os problemas que agora bloqueiam o seu caminho - eles desaparecerão à medida que você avança.
Reflita, mais uma vez, que onde isso não ocorre exatamente, e a provação realmente chegar, ainda assim o Senhor tem uma maneira de fazer cessar as provações do seu povo quando chegarem ao seu ponto culminante. Como o mar, quando atinge a marca mais alta do dilúvio, não pode avançar mais, mas após uma pausa por algum tempo para desfrutar a plenitude de sua força, deve então retornar ao seu refluxo, assim com nossas mágoas mais desesperadas, elas atingem o ponto projetado, e então elas retrocedem. Veja Abraão, Deus tinha mandado que ele sacrificasse seu filho. Abraão provavelmente confundindo o significado do Senhor, pensava que ele deveria matar o filho da promessa. Prossegue ao monte Moriá, empilha o altar, leva com ele a madeira, amarra seu filho, e o coloca sobre o altar; mas, assim que desembainhou a faca e está prestes a cumprir o ato de solene obediência, sacrificando o que lhe era mais querido, ouve-se uma voz: "Não ponhas a mão sobre o rapaz, nem lhe faças nada, agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, teu único filho.” No momento em que Deus intervém; mas marque quando isso ocorre - isto é, quando o patriarca provou a completa renúncia de sua própria vontade e entregou tudo à vontade de Deus, então a libertação veio.
Assim será com você, ó crente provado! Quando a provação for submetida ao seu próprio coração, e você deixar de lado sua obstinação, e já não estiver murmurando, e se rebelando, então Deus tirará as brasas da fornalha, porque o ouro está purificado. Essa é uma grande história da confiança de Alexandre em seu amigo e médico. Quando o médico lhe tinha misturado uma poção para a sua doença, uma carta foi colocada na mão de Alexandre, advertindo-o a não beber o remédio, pois estava envenenado. Ele segurava a carta numa das mãos e a taça na outra e, na presença de seu amigo e médico, bebeu o líquido e, depois de ter esvaziado a taça, pediu a seu amigo que olhasse aquela carta e julgasse Sua confiança nele. Alexandre tinha fé inquebrantável em seu amigo, que não admitia dúvidas. "Veja agora," disse ele, "como eu confiei em você." Esta é a garantia que o crente deve exercer em relação ao seu Deus. O copo é muito amargo, e alguns dizem-nos que provará ser mortal; que é tão nauseante que nunca sobreviveremos ao mesmo. A incredulidade sussurra em nosso ouvido: "A sua tribulação virá a esmagá-lo". Beba, meu irmão, e diga: "Se ele me matar, contudo vou confiar nele". Não pode ser que Deus seja infiel à sua promessa, ou despreocupado da sua aliança. Sua provação, então, cessará quando culminar: ele fará da escuridão luz diante de você quando a hora mais escura da noite chegar.
Irmãos, há uma reflexão muito encorajadora sobre a adversidade que está diante de nós, a saber, que todos as provações de nossa vida de peregrinação foram previstas por Deus, e podemos confiar nisso que foi antecipado. Muitas cidades assediadas foram capturadas porque o cerco não era esperado e, portanto, armazéns de provisão e munição não foram guardados para o dia mau. Mas Deus, que estabeleceu sete anos de comida no Egito contra os sete anos de fome que ele previu, cuida em guardar os seus santos contra emergências vindouras. Quão prontamente Moisés poderia ter estado preocupado com o comissariado das tribos no deserto! "Como se alimentará um tal exército, onde encontraremos água? Deus pode fornecer uma mesa no deserto?" Mas com a fé simples Moisés levou o povo escolhido para o deserto, e eis que os céus caíram com uma chuva de abundância, e a rocha cintilante deu seus riachos refrescantes, de modo que o exército não conheceu falta durante quarenta anos, embora eles não tivessem tido colheitas em todo esse espaço de tempo.
Recordemos mais uma vez que, se a provação vier sobre qualquer um de nós em toda sua força, e de nenhuma maneira Deus mitigar a fúria da tempestade, ainda temos sua promessa para ela, e podemos descansar confiantemente, portanto, nisso, que como os nossos dias nossa força será. Acho que já lhe disse antes que ser livre de problemas não seria uma coisa desejável, pois a vida de um homem que não tem provação é tranquila, pobre de incidente, desinteressante, ignóbil, estéril; mas a vida de um homem que fez negócios em grandes águas, tem algo nobre e viril nela; e considerando que a graça é sempre proporcional à provação, penso que seria prudente escolher a provação, por causa da obtenção da graça que é prometida com ela. Eu notei em uma vitrine na semana passada, uma invenção de interesse singular. Um pequeno fio de metal, com um disco circular em cada extremidade, foi suspenso por uma linha, e continuou sem cessar a oscilar entre duas pequenas baterias galvânicas, primeiro tocando uma e depois a outra. Um pequeno cartão informou-me que este pedaço de metal tinha continuado a mover-se para lá e para cá entre as duas baterias por mais de trinta anos, e tinha durante esse tempo percorrido mais de seis mil milhas. Todo o mecanismo estava tão fechado com uma caixa de vidro que nada era susceptível de ser perturbado, e assim manteve o mesmo teor de seu caminho. De um lado para outro, de um lado para outro, por trinta anos, e essa foi toda a história monótona.
As vidas calmas dos homens são muito mais ou menos da mesma ordem, eles foram para o negócio na segunda-feira de manhã e para casa à noite, o mesmo na terça-feira e todos os dias do ano; sem lutas terríveis, sem tentações ferozes, sem vitórias graciosas, sem experiências divinas de amor celestial; toda a sua vida interior pobre de interesse, porque estão livres de toda provação. Mas, olhe para o homem que está sujeito a provações, temporais e espirituais, e familiarizado com as dificuldades de toda sorte! Ele é como a massa de ferro na proa de uma embarcação galante, que atravessou o Pacífico e se banhou no Atlântico; tempestades se precipitaram sobre ela, uma miríade de ondas quebraram sobre ela; ela viu os terrores de todos os mares, e brilhou na luz solar de ambos os hemisférios. Tem servido sua idade gloriosamente, e quando velha e desgastada com ferrugem, um mundo de estórias a cerca.
Se as nossas provações se multiplicarem, lembre-se de que a graça abundante será dada com elas, e a provação e a graça misturadas tornarão nossas vidas sublimes, impedirão que sejamos meros gado e nos darão parentesco com aqueles que através de muita tribulação ascenderam aos seus tronos no céu. A batalha e a tempestade, a luta e a vitória, a depressão e a elevação, e tudo o mais que nos atinge numa vida variada e cheia de acontecimentos, ajudarão a tornar o nosso descanso e glória eternos mais doces para nós. Deixemos essas reflexões sobre as sombras esperadas, confiando incontestavelmente na promessa de que o Senhor iluminará diante de nós, de alguma forma, a escuridão, e não nos deixará em falta na hora da necessidade.
Por um minuto ou dois, mais particularmente convido-lhes ainda, filhos de Deus, a insistirem na promessa, para que o Senhor torne em luz a sua escuridão. Quanto tempo a Onipotência poderá levar para realizar isso! Demora muito tempo para criar luz; devemos formar empresas e erguer máquinas antes que possamos transformar a noite de nossas grandes cidades em um dia parcial; mas amanhã de manhã, por mais negra que tenha sido a noite anterior, o grande Pai das Luzes iluminará toda a nossa nação em poucos minutos e fará com que cada onda do mar, e cada gota de orvalho da relva brilhe com brilho prateado.
Deus ordenará ao sol que faça o seu curso, e o mundo é iluminado e as sombras fogem. Como perfeitamente o trabalho é feito! A iluminação é incomparável na glória pródiga. Todos os nossos meios de iluminação são pobres quando comparados com a luz solar; e tão escassos que precisamos medir seus pés cúbicos e distribuí-los por ouro, enquanto o Senhor derrama sua iluminação infinitamente superior em oceanos sem medida sobre a colina e o vale, o campo e a cidade, alegrando a casa de campo assim como o palácio, a asa do besouro, bem como o filhote da águia. Assim também o nosso Pai celestial pode facilmente transformar as mais profundas tristezas de seu povo nas alegrias mais sublimes, e não precisa ofender os filhos dos homens com o trabalho para alcançar seu propósito de piedade; sua própria mão direita, seu próprio Espírito de graça, pode derramar uma plenitude de consolação em um momento.
Observe para o seu conforto algumas das maneiras pelas quais o Senhor do Amor dissipa a meia-noite da alma. Às vezes ele remove todas as sombras pelo sol de sua providência. Ele faz brilhar a prosperidade na janela da cabana, e os pobres se enriquecem; ele levanta o mendigo do monturo e o coloca entre os príncipes. As asas dos anjos têm cura para os enfermos, e o homem que se atira longamente na sua cama sai para respirar o ar puro, por tanto tempo negado.
Somente o grande Árbitro de todos os acontecimentos faz a roda da fortuna, e os mais baixos são os mais elevados - os últimos são primeiros e os primeiros últimos. Ele pode fazer o mesmo por qualquer um de nós, tanto no que é temporal quanto no que é espiritual, se assim lhe parecer bem. Ele tem que ordená-lo assim, e nossa pobreza será trocada por abundância. Nosso Senhor muitas vezes alegra o seu povo com a lua de sua experiência, que brilha com a luz emprestada, mas ainda com um brilho calmo e tranquilo, amado pelos filhos da tristeza. Ele nos pede que recordemos os dias antigos, e o nosso espírito procura diligentemente; descobrimos que ele nunca deixou o seu povo, nem a nós mesmos tem sido traiçoeiro. Lembramo-nos quando estávamos em um caso semelhante ao presente, notamos que estávamos bem sustentados e, finalmente, livrados, e por isso somos encorajados a acreditar que hoje será como no passado, e ainda mais abundantemente.
Frequentemente nosso Pai celestial alegra seus filhos por uma visão de Jesus indo adiante. Esse desfiladeiro entre rochas pendentes é tão escuro. Eu, uma criança pobre e tímida, me afasto dele; mas como minha coragem é restaurada quando vejo Jesus carregando a lanterna de seu amor e indo adiante de mim para a escuridão espessa! Ouça! Ouço-o dizer: "Sigam-me;" e enquanto ele fala eu percebo uma luz fluindo de sua pessoa sagrada; cada espinho de sua coroa brilha como uma estrela; as joias de seu peito lampejam como lâmpadas e suas feridas reluzem com esplendor celestial. "Não temas, diz ele, porque em todas as tuas aflições fui afligido, fui tentado em todos os pontos como tu, embora sem pecado". Quem pode dizer o incentivo dado ao herdeiro do céu pelo fato de que o Irmão mais velho passou por toda a passagem escura que leva ao repouso prometido! Deus teve um Filho sem pecado, mas nunca teve um filho sem castigo. Aquele que sempre fez a vontade de seu Pai, teve que sofrer. Coragem, meu coração, coragem; pois se Jesus sofreu - se esse sofrimento que rasga seu coração, primeiro foi sentido por ele, você pode ser de bom ânimo.
Melhor ainda é o conforto derivado da grande verdade de que Jesus está realmente presente nas aflições diárias dos crentes. Jesus bate à minha porta e diz: "Venha comigo do Líbano, minha esposa,: olhe do alto de Amana, do alto de Sinir e de Hermom, das covas dos leões, das montanhas da Leopardos!" Olho adiante da janela para a noite fria e triste, e eu lhe respondo: "A noite é negra e desolada, e eu tirei o meu casaco, como o porei? Eu lavei os meus pés, como vou contaminá-los. Eu não posso levantar-me e segui-lo." Mas o Amado não deve assim ser recusado; ele bate outra vez, e ele diz: "Sai comigo ao campo, vamos nos alojar nas aldeias, e ali te darei os meus amores". Vencido por seu amor, eu me levanto, e vou com meu noivo celestial. Se as gotas de chuva caem impiedosamente em cima de mim, contudo é muito doce ver que sua cabeça também está cheia de orvalho. O vento uivando balança suas roupas, assim como as minhas; seus pés pisam os mesmos lugares do que o meu; e todo o tempo ele me chama de seu amado, de seu amor, de sua pomba, de sua imaculada, e me fala da terra que está além da escuridão, e fala das montanhas de mirra e dos leitos de especiarias, o topo de Amana, Shenir e Hermon.
Minha alma se derrete enquanto meu Amado fala, e meu coração sente-se doce demais para andar com ele; pois, enquanto ele está perto de mim, a noite é iluminada por inúmeras estrelas, o céu está resplandecente de glória, cada nuvem arde como uma asa de serafim, enquanto a impiedosa explosão é incapaz de arrefecer o coração que queima em meu interior enquanto ele fala comigo pelo caminho. Depois de anos, costumamos falar uns com os outros daquela noite escura e seu maravilhoso brilho; daquele vento frio que era tão estranhamente temperado, e até dizemos uns aos outros: "Eu gostaria de passar mil noites em tal companhia, eu estaria disposto a ir a uma viagem à meia-noite sempre com aquele Amado, pois oh onde está a noite é o dia, na sua presença o sofrimento é alegria, quando Ele se revela as dores são prazeres, e a terra floresce com flores do Éden." Assim o Amado pela sua presença torna a nossa escuridão em luz.
Muitas vezes você e eu sabemos por experiência como o Senhor fez das nossas trevas luz, quando em um momento um texto da Escritura tem brilhado diante de nossos olhos como um farol. Eu bendigo a Deus, há partes deste livro precioso que eu não só retenho na minha memória, mas em meu coração. Elas foram tão aplicadas à minha alma em momentos de necessidade, que esquecê-las seria totalmente impossível; elas têm queimado o seu caminho em minha natureza interior, e tornaram-se parte integrante da minha consciência. Você não pode, por si mesmo, fazer um texto tão cheio de vida e poder apenas pensando nele, nem orando por ele, nem estudando o original, mas o Espírito Santo vivifica a palavra, assim como ele nos dirige. Uma palavra do Senhor às vezes se levantará da página, como se ela tivesse ficado ali como um anjo adormecido; ela nos agarra pela mão, nos abraça e nos reaviva, até que, maravilhados, gritamos: "Oh, palavra preciosa e inesgotável de Deus! Oh, doce palavra fresca do lábio de Jesus, como é que eu poderia ter te lido tantas vezes, mas nunca compreender a tua plenitude e preciosidade até agora?" Este é um dos caminhos do Senhor, por meio dos quais ilumina a escuridão, arrancando um tijolo do altar de sua Palavra e acenando-o como uma tocha diante de nós, para que possamos avançar em sua luz.
Assim você vê, amado, Deus pode facilmente transformar nossas trevas em luz. Agora o texto nos leva um pouco mais adiante, e fala de "coisas tortuosas". Então, cristão, por um momento, no caminho dos filhos de Israel pelo deserto, seu caminho parece ser para trás e para frente, como o caminho que serpenteia tortuosamente. O fiel Amigo dos peregrinos conhece o caminho que você toma - todos os seus passos são ordenados pelo Senhor, e no devido tempo de acordo com sua palavra, ele vai torná-los todos retos para você. Talvez o tortuoso da sua porção resida na sua pobreza. Você nunca tem mais do que apenas o suficiente. Alimentos e roupas você tem tido, mas ainda são pão seco, e vestes escassas. Tão longe de ser um lugar suntuoso, você quase conheceu a necessidade de Lázaro no portão do rico. Você alcançou até agora em sua viagem, senão uma vida de necessidade e grande aflição. Você agradece a Deus, você não se rebela, ainda você sabe bem que querer é uma coisa tortuosa.
Ou talvez você tenha sofrido alguma calamidade muito tortuosa. Seu querido marido foi levado quando as crianças precisavam de mais cuidados de treinamento, e quando o trabalho desses braços fortes era desejado para encontrar sustento para os pequenos. Infelizmente! Pobre viúva, esta foi uma perda muito tortuosa para você. Ou, talvez, o marido tenha enterrado sua amada esposa, e sinta que sua perda é irreparável - uma coisa torta que ele não consegue entender. Ele não pode adivinhar por que o Deus todo-sábio permitiu que tal mãe fosse tirada de crianças que precisavam de sua mão moldável. Se algumas outras pessoas tivessem morrido, você poderia ter compreendido a razão - elas estavam maduras e prontas; mas aqui estavam os jovens e ativos, cuja vida parecia tão necessária, e estes foram tirados de você, deixando para trás uma fonte de lágrimas perenes. Esta é a coisa torta em sua porção. Talvez durante o pânico tardio você sofreu muito severamente; você não tinha sido um dos especuladores, e não tinha aventurado além de sua profundidade, mas ainda, aliás, a queda de outros arrastou você para baixo. Você não compreende bem a razão para esse golpe pesado, é uma coisa torta completamente; você olhou para isto desta forma e dessa maneira, mas você não pode ver o porquê; você acredita que Deus é sábio, mas continua sendo uma questão de crença neste caso; você ainda não pode vê-lo como uma coisa sábia.
Possivelmente, o seu caminho tortuoso está numa família tentada em casa. Ai daqueles que têm filhos corruptos; pois mais afiado do que o dente de uma víbora é uma criança ingrata. Você tem uma filha sem a graça? Infelizmente, que provação é a sua! Você tem uma esposa mal-humorada, ou um marido rude, não cristão? Você ama a verdade de Deus, e tem um parceiro que odeia as coisas boas? Você vai para casa hoje para ouvir a voz da blasfêmia de seus parentes mais próximos?
Pior do que tudo, se você não tem outro caminho tortuoso, eu tenho certeza que você vai confessar ser um caminho tortuoso em si mesmo. Se o seu próprio coração não fosse a sua praga, tudo o mais importaria pouco; mas oh! Com o nosso orgulho, a nossa preguiça, os nossos maus desejos, o nosso temperamento irritado, as nossas dúvidas e medos, e os desânimos, o ego é a pior coisa tortuosa que necessita ser aplanada pelo Senhor, que um homem tem de carregar. Então pode ser que você tenha tentações tortuosas também. Você é tentado a palavrões; você odeia mesmo o pensamento deles, contudo a sugestão horrível o assombra; você é tentado a vícios dos quais pela graça você foi preservado, mas para os quais, como com um furacão, Satanás o faria cair.
Suas tentações abundam dia a dia, você parece ser como um homem assediado com dez mil abelhas; elas te cercam, sim, elas te cercam, e você não sabe como destruí-las. Tantos como seus pensamentos, tantas suas tentações parecem ser. Bem, estas são todas coisas tortuosas, e em um mundo tão caído como este, coisas tortuosas sempre serão muito comuns.
Agora vem a promessa, "Deus fará retas todas as coisas tortuosas no caminho do seu povo". Pode ser que elas sejam retas agora, e que a reta é apenas fazê-los parecer assim para nós; pois muitas vezes aquilo que pensávamos ser um infortúnio era a melhor coisa que poderia ocorrer-nos. Queixamo-nos de nossas cruzes, mas não são nossas cruzes nossas melhores propriedades? Quantas vezes chutamos o nosso bem mais alto! Arrancamos aquela erva no jardim que tem a medicina mais nobre em cada folha. Ó que nos seja dada a graça de saber que há muito bem real na tristeza, e que nossas provações são apenas tortuosas porque nossos olhos estão assustados.
O Senhor também pode dobrar o torto em linha reta, e o que não vai dobrar pode quebrar. Quantas vezes em uma família o ímpio Saulo foi transformado em um santo Paulo! O caráter curvado foi dobrado em linha reta; e onde o homem não se curvasse, a terrível provação de Deus tirou o cajado da casa, para que os justos pudessem ter paz e conforto! Não tenha medo, crente, o grande machado do Senhor pode abrir caminho pelas espessas florestas de suas maiores provações. Você não vê o grande Pioneiro indo adiante de você; suas saídas são antigas, e pelo nome de "O Rompedor" é conhecido, já que ele quebra tudo o que pode impedir a marcha do seu povo. Como os engenheiros no avanço de um exército, aqueles grandes velhos sapadores e mineiros que abrem o caminho para o exército, assim o Senhor abrirá um caminho para todos os seus santos, até que ele os levará à cidade celestial.
Se ele não fizer isso, ele lhe dará, poder para superar a dificuldade, ele vai encorajar você, seu servo, a seguir em frente no caminho do dever, e força será dada a você, não a sua própria, de modo que vai dizer com alguém do passado: "Por meu Deus eu tenho atravessado uma tropa, por meu Deus eu saltei uma muralha." Você deve clamar como Débora, "Ó minha alma, você tem pisado com força."
Se nosso caminho fosse sempre claro no caminho do dever, onde estaria nossa fé? Mas quando forçamos o nosso caminho para o céu através de multidões de inimigos, cortando uma pista por força principal através dos esquadrões do inferno, então nosso grande capitão é glorificado, e sua graça resplandece. Sejamos, pois, corajosos, porque o Senhor fará os caminhos tortuosos em caminhos retos no fim.
Duas lições, e depois voltarei a dirigir algumas palavras ao buscador. Uma é para o filho de Deus. Se Deus assim fará todas as suas trevas em luz, e todas as suas coisas tortuosas em linha reta, não antecipe seus problemas. Agora são trevas; mas eles se tornarão luz. Eles estão torcidos agora; bem, deixe-os amadurecer, e Deus os fará retos. Algum fruto que você recolhe de suas árvores é de tal natureza que se você tentar comê-lo no outono, seria muito azedo, e faria muito mal; mas apenas armazene-o um pouco, e verá como se torna doce e suculento! É uma pena destruir o fruto e sofrer com o seu uso prematuro! É assim com seus problemas, eles são todos trevas agora, não se meta com eles, deixe-os até que Deus os amadureça e os transforme em luz.
Certo homem é empregado em carregar sacos de farinha todos os dias. Ele carrega cem quilos cada vez, e no dia se acumula em toneladas; e tantas toneladas por dia virão a uma enorme massa em um ano. Agora, suponha que, no primeiro dia de janeiro, esse homem calculasse a carga do ano e dissesse: "Tenho toda aquela massa imensa para carregar, não posso fazê-lo", você o lembraria de que ele não tem que carregar tudo de uma vez; ele tem todos os dias de trabalho do ano para carregá-lo. Então, colocamos todos os nossos problemas juntos, e nós gritamos: "No entanto, eu vou superá-los?" Bem, eles só vêm um de cada vez, e como eles vêm, a força virá com eles. Um homem que andou mil milhas não atravessou as mil milhas em um passo, nem em um dia, mas ele tomou seu tempo e fez isso; e também devemos tomar nosso tempo, e com paciência cumpriremos nosso trabalho. Uma bela lição para todos nós é aquela palavra espere, ESPERE, ESPERE.
Nossa segunda observação é esta: creia sempre no poder da oração, pois se Deus promete tornar claras as nossas trevas, ele será interrogado para fazer isso por você; e quando você pedir a ele para fazê-lo, ele fará isso porque ele prometeu. Eu gostaria que acreditássemos na oração, receio que a maioria de nós não creia. As pessoas dirão: "Que coisa maravilhosa é que Deus ouça as orações de George Muller!" Mas não é uma coisa triste que devemos pensar isto, que é maravilhoso Deus ouvir a oração? Estamos chegando a um belo ponto, certamente, quando pensamos que é maravilhoso que Deus é verdadeiro!
Muito interessante foi a experiência de um menino em uma das escolas de Edimburgo, que assistira às reuniões de oração e, por fim, disse ao seu professor que conduzia a reunião de oração: "Mestre, gostaria que minha irmã pudesse ler a Bíblia, ela nunca a lê." “Por que, Johnny, sua irmã deveria ler a Bíblia?" "Porque se ela a lesse uma vez, estou certo de que faria bem a ela, e ela seria convertida e seria salva." "Você acha que sim, Johnny?” “Sim, sim, senhor, e desejo que, da próxima vez que houver uma reunião de oração, você peça às pessoas que orem por minha irmã, para que comece a ler a Bíblia.” “Bem, bem, isso será feito, John." Então, o professor disse que um menino estava muito ansioso que as orações deveriam ser oferecidas para que sua irmã pudesse começar a ler a Bíblia.
Foi observado que John se levantou e saiu. O professor achou muito desagradável que o menino perturbasse as pessoas em uma sala lotada e saísse daquela forma, e assim no dia seguinte, quando o rapaz veio, ele disse: "John, eu pensei que foi muito rude você se levantar na reunião de oração e sair. Você não deveria ter feito isso." "Oh! Senhor", disse o menino, “eu não queria ser rude, mas eu pensei que deveria apenas ir para casa e ver minha irmã lendo sua Bíblia pela primeira vez." É assim que devemos crer, e esperar com expectativa ver a resposta à oração. A menina estava lendo a Bíblia quando o menino foi para casa. Deus se agradou de ouvir a oração; e se pudéssemos confiar em Deus dessa forma, muitas vezes veríamos coisas semelhantes sendo cumpridas. Não diga: "Senhor, transforma a minha escuridão em luz", e depois saia com a tua vela como se esperasse encontrar a escuridão, mas depois de pedir ao Senhor para aparecer por ti, espere que ele faça isso, e a fé fará assim para vocês.
II. E agora, apenas algumas palavras, antes de partirmos, PARA O BUSCADOR.
Alguns há muito desejaram encontrar a paz com Deus, mas, querido amigo, sentimos grande alegria em ver sua ansiedade, mas estamos começando a sentir grande tristeza ao pensar que essa ansiedade deve durar tanto tempo e que você deve ser tão incrédulo que não coloque de uma só vez a sua confiança no bendito Senhor Jesus. Ele pode salvá-lo, e ele o salvará agora, se você confiar nele. Parece uma coisa muito simples descansar somente sobre ele: simples como é, é mais eficaz para a paz e alegria da alma. Estamos contristados por pensar que você tem se recusado tanto tempo a dar a Cristo o crédito que ele tanto merece.
Talvez, você esteja intrigado com alguma questão doutrinária. Você tem perguntado aos seus amigos para explicar isso e aquilo para você, e você ainda não teve tudo esclarecido. Permitam-me dizer, receio que nunca o façam, pois há dificuldades em relação à nossa santa religião, que nunca serão explicadas deste lado do túmulo e, talvez, do outro; pois se a nossa religião estivesse dentro de nossa compreensão, deveríamos sentir que ela não veio de Deus, mas sendo maior do que o nosso cérebro pode compreender, vemos nisto alguns vestígios do Deus infinito, que ao se revelar, não exibe toda a sua glória, mas apenas uma parte dela, aos filhos dos homens. Querido amigo, creia que o Filho querido de Deus pode salvá-lo e confie nele, e quando tiver feito isso, todas essas dificuldades doutrinárias, até onde elas forem importantes, desaparecerão. Ele disse isso, e você deve provar que é verdadeiro, "Eu vou fazer das trevas luz diante deles, e coisas tortuosas retas." Você deve dizer a si mesmo: "Como eu poderia ter levantado tantas objeções? Quão tolo fui por estar sempre debatendo e questionando, quando a misericórdia eterna foi livremente apresentada a mim!"
Talvez sua escuridão hoje se origine de uma profunda depressão mental. Sua noção é que você nunca pode acreditar em Jesus Cristo até que essa depressão seja removida; mas deixe-me dizer-lhe que sua noção é ampla da verdade, pois o fato é que ê não é de todo provável você sair da sua depressão até que você primeiro acredite em Jesus. Triste como você é, o que o impede de acreditar no infinito Filho de Deus como capaz de afastar o seu pecado? Ele deve ser capaz. A morte de Cristo deve ter uma tal quantidade de mérito nela para não ser limitada. Oh! Se puderes fazer-lhe a honra de confiar nele, ainda que sejas como um pobre pavio fumegante, ele não te apagará, ainda que sejas inútil e fraco como uma cana machucada, contudo se tu podes confiar nele, és salvo. Oh, confia nele, peço-te, por causa da tua alma, descanse no sangue precioso, e tu verás a tua depressão desaparecer, as tuas trevas serão luz, as tuas coisas tortuosas serão endireitadas. "Ah", tu dizes, "mas eu trabalho sob uma carga de pecado!"
Verdadeiramente há o suficiente em teu pecado para te tornar perturbado mas foi para este propósito que Cristo nasceu e veio ao mundo, para tirar o pecado. Portanto, qual razão daquele grande sacrifício no madeiro do Calvário, se não por grandes ofensas? Não vês que é a própria escuridão do teu pecado que te faz precisar de um Salvador; não sabes que Cristo não veio para chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento? No devido tempo ele morreu pelos ímpios, como tu és. Lança a tua alma cansada em seus braços. Por que você olha ao redor para este e aquele? Por que você está enganado com "Aqui está, e lá está!" Olhando para isso e para o conforto? Venha a ele, vazio, nu, sujo, venha a ser feito tudo o que é bom através dele. "Sim, mas", você diz, "minha natureza é tão má", bem, mas sua depravação é conhecida e prevista no texto. Sua pecaminosidade, como aquilo que é torto e que é mencionado no texto, será endireitada. O Senhor pode vencer sua disposição natural. Qualquer que seja a forma peculiar de seu pecado assediante, o Espírito Santo é mais do que um fogo para ele. Embora tenha pecado muito, ele pode perdoar; e embora você sinta uma forte tentação de pecar da mesma maneira novamente, ele pode corrigir a tendência em sua natureza, e dar-lhe novos anseios que vencerão os velhos. Oh que o meu Senhor tivesse o que é devido a ele por você, e então você não duvidaria dele! Salvador bendito, Rei dos reis e Senhor dos senhores, que se dignou a sofrer e a morrer, como podem os homens duvidarem de ti? Como eles podem olhar para o teu rosto querido, e ainda desconfiar de ti? Ver tuas mãos e pés abençoados e teu lado perfurado, e ainda suspeitarem de ti? Ó pecador, lança-te sobre Jesus, e terás alegria e paz hoje.
Três coisas que quero que você observe no texto, e eu tenho feito. O que nos salva não é o que é, mas o que será. "Eu tornarei a escuridão em luz." "Eu vou fazer coisas tortuosas em linha reta." A coisa torta é realmente torta agora, mas há uma transformação prometida. Pecador, não é o que você é agora que deve ser sua salvação; você é escuro e tortuoso, mas a sua salvação lhe será dada. Você será luz no Senhor, e reto pela sua graça.
Observe, em segundo lugar, que não é o que você pode fazer, mas o que Deus pode fazer. "Eu tornarei a escuridão em luz." Não o pecador que converterá as suas trevas em luz, mas eu, Jeová; eu que posso fazer todas as coisas. Eu, que posso criar e posso destruir, "Eu tornarei a escuridão em luz diante de ti, e coisas tortuosas em linha reta."
Observe novamente, que esta obra não pode ser sua de uma só vez, mas será em breve. Ele não diz: "Hoje farei que a escuridão seja luz", mas ele ainda diz "Eu vou". Ah! Então, olhemos para o brilho que ainda não podemos ver e regozijemo-nos na retidão que ainda não discernimos; pois Deus guardará sua palavra a cada minuto, e seus eternos "deveres" e "vontades" jamais cairão no chão.
Oro para que Deus abençoe a palavra para vocês que são crentes provados, para lhes dar paz e confiança; e a vocês que o buscam, pecadores, para que confiem em Cristo e encontrem a salvação. O Senhor te abençoe ricamente, por amor de seu nome. Amém.


Este texto é administrado por: Silvio Dutra
Número de vezes que este texto foi lido: 12


Outros títulos do mesmo autor

Artigos Alegres Transformações Charles Haddon Spurgeon
Poesias Uma Lei Imutável Charles Haddon Spurgeon
Artigos Ebenézer! Charles Haddon Spurgeon
Artigos Renovando a Força Charles Haddon Spurgeon
Artigos Eu te escolhi na fornalha da aflição.” (Isaías 48.10) Charles Haddon Spurgeon
Artigos Toda a Verdade e Nenhuma Mentira Charles Haddon Spurgeon
Artigos Vida Eterna Charles Haddon Spurgeon
Artigos Terror Noturno Charles Haddon Spurgeon
Artigos Uma Igreja Sem Santidade Charles Haddon Spurgeon
Artigos Receber a Graça Não Exige Preparação Prévia Charles Haddon Spurgeon

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 224.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 181430 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 131683 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 131081 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 127240 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 66323 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 55526 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 53998 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 53419 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 52614 Visitas
Piscianas, as mulheres mais próximas dos sentimentos. - Nandoww 49836 Visitas

Páginas: Próxima Última