Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
E agora, POETA...
E agora, POETA...
helena Maria Rabello Lyra

Resumo:
Poeta que em sua essência cantou o amor...
                        Nossa homenagem, Pedro Bueno Lobato

Na fala aberta
De sobreviver
Há, sobretudo, a circunspecção
Dos olhos
Fechados.
Há qualquer desperdício
De carne viva,
De amar com flama,
De sorver a boca
E dizer que ama
Pedro Bueno

Tenho encantamento por belos textos. A palavra ilumina-me o espírito.
        Em alguns de nossos momentos deixo o olhar passear à procura de episódios que possam desencadear o processo verbal.
        Observo tudo e a todos, imagino situação especial. Vejo vocábulos que se arrumam e ficam interessantes em suas orações... Alinham-se as palavras fraternamente em estruturas frasais... Quanta fantasia...
        Transformo o comum em fantásticas realidades... Não sou escritora, mas admiro os que possuem esse dom. Confesso certa inveja dos que de maneira única registram, em crônicas, os fatos a que eles assistem ou registram sentimentos vividos, suas subjetividades.
Tenho um amigo poeta que me envia alguns de seus textos para comentários. Sente prazer em ler como as suas emoções chegam a seus leitores. Escritor inteligente, personalidade afável e sorridente. Escreve lindas poesias, deixa-me, pois, tímida, no retorno de minhas humildes palavrinhas.
        Essa cordialidade virtual foi-me apresentada por um concreto e correto amigo.
        Intelectual amizade, na troca de e-mails. Vejo-o como admirador dessas técnicas “novidadeiras” da comunicação.Já me falou das filhas, da senhora mãe e também de seus carinhos.
        Em “Eu sou mais eu” texto surpreendente, podemos observar muito da personalidade desse autor, enquanto faz considerações a conversas em salas de internet.
          Não o conheço pessoalmente, mas sei que possui um sorriso solto e franco. As crônicas desse amigo é leitura prazerosa. Sua imaginação descansa em linhas subjetivas.Seus versos sinônimo do BELO
          A telinha faz parte de seu profissionalismo, de seu lazer, de seus momentos de inquietação...
          Entender os conceitos da internet, nas comunicações é indispensável para os compromissos, hoje.
        Qualquer que seja o caminho, nas navegações tudo fica mais próximo, além de ser para os usuários uma aprendizagem constante, nas notícias de fatos que fazem a curiosidade do mundo.
Todos nós estamos sob o efeito dessa autoridade, que se torna cada vez mais imperiosa e tira o sono dos que ainda resistem as novidades.
A comunicação via internet é desespero para alguns, mas os que por ela vivem apaixonados é progresso, marca de futuro. Para os primeiros significa saudade de um tempo que não volta mais. Tempo das distâncias, das cartas, dos bilhetes, de todas as formas ingênuas de comunicação.
           Que no futuro tal paixão seja instrumento de transformação das fraquezas em grandeza de espírito. Que saibam os usuários dessa máquina incrível cultivar as boas relações com refinamento e arte.
Navegar é um passa-tempo, em que a faculdade imaginativa se faz necessária e enfeita a objetiva realidade. Entretanto qualquer sala de amistosos bate-papos é inferior às relações das convivências vistas e tocadas, nos carinhosos abraços, nas lágrimas e sorrisos, que nos acompanham. Enriquecedor são os amigos desse universo, perto de nossos corações. São eles que fazem da internet, momentos de intensa satisfação na troca dos e-mails.
           Conversas apenas virtuais sem definições amigas, sem honestidade, pura fantasia. É fuga da solidão dentro da própria solidão...
Quando essas conversas possibilitam maior cordialidade entre os verdadeiros afetos, aproximando-os nas ausências, a telinha é mágica e faz dos momentos comuns, tempo exclusivo, particular enriquecendo de alegrias a vida, tornando-a mais saudável.
           Talvez, eu seja de uma geração que amigos além dos importantes predicados são as fraternas presenças... Virtuais, apenas, quando são amigos de nossos amigos. O poeta faz parte dessa exceção que há de existir sempre em comportamentos humanos.
             Muitas palavrinhas para dizer no finalmente. Você é especial...!
             O poeta é um psicólogo nas fraternas amizades.
              Quem sabe, um dia, eu possa transformar em promessa verbal a beleza que existe no mundo. Talvez...
            Num tempo distante, uma filha de onze anos entregava ao pai um fino caderninho. Olhava-o assustada, mas corajosa afirmara, naquela ocasião :“nunca serei professora de português, nunca escreverei uma linha”...
            Naquele todo caderninho, com letrinhas cansadas ficara registrado para sempre “PERÍODO SE ESCREVE COM “O” E COM ACENTO”

   Atavismo
           Pedro Bueno Lobato
Não há nada de mim
em minha filha Bárbara
Exceto um certo jeito de sorrir
que eu conservo e o silêncio de antes
e depois, um silêncio só,
cheio de presságios




HM



Biografia:
Bacharel em Letras- UFES Licenciada em Letras -Portugês- Francês Professora aposentada do Centro Federal de Educação Tecnológica( CEFETES) Ex professora concursada da Rede Estadual de Ensino-ES ex professora de Literatura Brasileira do Colégio Martim Lutero- ES Professora de Língua Portuguesa Curso Dinâmico- Central de Cursos preparatórios para concursos Estaduais e Federais.Professora de Língua Portuguesa da Escola Contec- ES
Número de vezes que este texto foi lido: 24217


Outros títulos do mesmo autor

Crônicas Transgressão do Dever helena Maria Rabello Lyra
Crônicas E agora, POETA... helena Maria Rabello Lyra
Crônicas O mundo infantil helena Maria Rabello Lyra
Crônicas Era uma casa grande helena Maria Rabello Lyra
Poesias Navegando helena Maria Rabello Lyra
Poesias helena Maria Rabello Lyra
Poesias Helena Maria Rabello Lyra
Crônicas Helena Maria Rabello Lyra
Poesias Helena Maria Rabello Lyra


Publicações de número 1 até 9 de um total de 9.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2017
 
  Textos mais lidos
A Dama e o Valete - Talita Vasconcelos 182609 Visitas
PÃO E CIRCO - Tércio Sthal 147176 Visitas
Era uma casa grande - helena Maria Rabello Lyra 146729 Visitas
E assim foi a nossa história... - Nandoww 128175 Visitas
Esse mês de Julho... - Nandoww 67254 Visitas
Transgressão do Dever - helena Maria Rabello Lyra 64174 Visitas
Carta a um amor impossível - Carla (Fada) 58400 Visitas
ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O HINO NACIONAL - Fabbio Cortez 57591 Visitas
Fazendo amor - Milena Marques 57328 Visitas
Há uma urgência do amor.. - Sabrina Dos Santos 53405 Visitas

Páginas: Próxima Última