Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Guarabyra vai às compras *
Rafael da Silva Claro


Meu cunhado, meu irmão e eu fomos ao supermercado. Sim, enquanto as mulheres e as crianças estavam no Parque da Mônica, no Shopping Eldorado, fomos comprar algo no super..., não, hipermercado.

Até aí, tudo bem normal. Normal, até passar, empurrando um carrinho, o Guarabyra. Calma! Antes que você pergunte o que é, onde vive e do que se alimenta um guarabyra, eu explico: é o cabeludo, com aspecto de índio americano em constante estado meditativo, da dupla “woodstockiana” de rockrural/folk Sá & Guarabyra.

Nada demais encontrar alguém famoso num shopping de São Paulo. O mistério era: o que o músico bicho-grilo fazia na “meca” do consumo porco, no templo do capitalismo selvagem? Logo Guarabyra, que entoava canções singelas como Cheiro Mineiro de Flor, Estrela Natureza, Trem de Pirapora, Atrás da Poeira, Outra Vez na Estrada, Coração de Maçã, Pássaro, Harmonia e Meu Lar é Onde Estão Meus Pés.

O sujeito que eu imaginava encontrar num lugar bucólico, uma estrada poeirenta de São Tomé das Letras, em Visconde de Mauá ou em qualquer lugar mais de acordo com quem cantava coisas da natureza, não num centro de compras, no bairro de Moema. Definitivamente, naquele ambiente era mais provável encontrar o Alex Atala, a Paola Carosella ou a Palmirinha.

A maior decepção era que o músico, que eu sempre acreditei que, riponga que é, tomasse chá do Santo Daime no café da manhã, alimentava-se de luz solar, no máximo raízes, sementes e folhas, estaria carregando naquele carrinho uma lata de Neston, um pacote de bolacha Trakinas, um pote de margarina, um saco de Cebolitos, uma garrafa de Diet Dolly, 300 gramas de salame e um saco de pão Pullman. Logo vi que tinha razão quem botava mais fé no Sá.

Por acaso, descobri: tudo o que o hippie cantava era uma farsa, engodo para vender discos. Seu dia a dia era entre “sabão em pó que lava mais branco” e biscoito vitaminado. Descobri que o Guarabyra levava uma vida como eu, urbana. Deve ter enchido aquele carrinho com comida industrializada — cheia de glúten, lactose, sódio e colesterol ruim —, sairá guiando um automóvel — despejando gases nocivos na atmosfera —, ouvirá sua esposa reclamando que ele não trouxe fermento e que largou a toalha molhada na cama (mais uma vez).

Naquele dia, aprendi que as canções que falam de uma cabana isolada atrás da montanha são utópicas. Esse cenário apenas existe na MPB e em filme de terror. Aquele papo de “Pó da Estrada” acaba dentro de um supermercado com você empurrando um carrinho emperrado e ouvindo reclamações.


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 50290


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios L’etat c’est moi Rafael da Silva Claro
Ensaios Lula e Alckmin — Teatro das Tesouras Rafael da Silva Claro
Crônicas O Quadro Rafael da Silva Claro
Resenhas Doutor Castor Rafael da Silva Claro
Ensaios “Você me ajuda, eu te ajudo” Rafael da Silva Claro
Crônicas Instituto Médico (nada) Legal * Rafael da Silva Claro
Ensaios O Blogueiro Bolsonarista e o Empastelamento Rafael da Silva Claro
Ensaios Bastidores do Brasil Rafael da Silva Claro
Crônicas Guarabyra vai às compras * Rafael da Silva Claro
Ensaios Pizza em Nova York Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 166.


escrita@komedi.com.br © 2022
 
  Textos mais lidos
The crow - The Wiki World - The Crow 60312 Visitas
ENCONTRO DE ALMAS GENTIS - Eliana da Silva 57396 Visitas
Ano Novo com energias renovadas - Isnar Amaral 56967 Visitas
Na caminhada do amor e da caridade - Rosângela Barbosa de Souza 56866 Visitas
Caçando demónios por aí - Caliel Alves dos Santos 55709 Visitas
NÃO FIQUE - Gabriel Groke 55685 Visitas
saudades de chorar - Rônaldy Lemos 55580 Visitas
Entrevista com Larissa Gomes – autora de Cidadolls - Caliel Alves dos Santos 55350 Visitas
Coisas - Rogério Freitas 55105 Visitas
1 centavo - Roni Fernandes 54708 Visitas

Páginas: Próxima Última