Login
E-mail
Senha
|Esqueceu a senha?|

  Editora


www.komedi.com.br
tel.:(19)3234.4864
 
  Texto selecionado
Zona eleitoral americana
Rafael da Silva Claro

Os Estados Unidos deram um exemplo de como não se fazer eleições. Se isso ocorresse aqui, alguém logo diria: tinha que ser Brasil. Queria ver se fosse nos EUA.

O esquema de delegados estaduais é bem justo, mas o sistema de preenchimento e entrega de cédulas é bem confuso e abre brechas para fraudes.

Aqui, em 2014, Aécio Neves ganhava a disputa para a Presidência de Dilma Roussef. De repente, por causa do fuso horário do Acre, tudo parou e, estranhamente, saiu de uma salinha Dias Toffoli com o resultado. O ex-advogado do PT, ministro do Superior Tribunal Federal (STF) e, naquele momento, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) exibiu, contente, o resultado das eleições: Dilma era a nova presidente.

Nos EUA, quando Donald Trump liderava (contrariando muitos interesses), - como tivesse entrado um João Kleber, gritando: para! para! para! - pararam as apurações. Quando as contagens voltaram, como mágica, Joe Biden iniciou uma reação rumo à vitória. Vitória que, segundo a manifestação de muitos, era o único resultado possível.

As apurações demoraram demais, como se autoridades atônitas confabulassem decidindo os rumos da democracia norte-americana. Daí em diante, foram pacotes de cédulas chegando às pressas, pelo correio, com 100% de votos para Biden - estilo eleições na Coreia do Norte -, cédulas com o carimbo apagado, cédulas encontradas no lixo, cadáveres voltando e votando - como só se veria em The Walking Dead - cédulas enviadas em duplicidade, o surgimento de cédulas em favor de Joe Biden foi bem mais célere e prolífico que o Brasil 1 X 7 Alemanha. No processo todo, houve vários outros acontecimentos suspeitíssimos. O pleito, provavelmente, deve ser judicializado. Lá, acreditem, o escrutínio é muito amador. Parece a escolha de um grêmio estudantil da 5ª série.

No Brasil, também há muita desconfiança. Se é teoria da conspiração (eu acho que não) ou tem fundamento (eu acho que sim), uma coisa é verdade: a nossa bagunça é muito mais rápida e organizada. A falcatrua é eletrônica.


Biografia:
Ensino secundário completo. Trabalhei em várias empresas, fora da literatura. Tenho um blog, onde publico meus textos: “Gazeta Explosiva” Blogger
Número de vezes que este texto foi lido: 33837


Outros títulos do mesmo autor

Ensaios Guia Politicamente Incorreto da Pandemia Rafael da Silva Claro
Ensaios Na pressão Rafael da Silva Claro
Ensaios Nadando de braçada Rafael da Silva Claro
Ensaios Dois Papas Rafael da Silva Claro
Ensaios O Clarividente Rafael da Silva Claro
Ensaios Polícia e ladrão Rafael da Silva Claro
Crônicas Retrospectiva 2020 Rafael da Silva Claro
Ensaios Espiral do silêncio Rafael da Silva Claro
Ensaios Rodrigo Maia nunca mais Rafael da Silva Claro
Crônicas Ócio criativo Rafael da Silva Claro

Páginas: Próxima Última

Publicações de número 1 até 10 de um total de 83.

  Envie este texto por e-mail
Digite seu nome:
Digite seu endereço de e-mail:
Digite o nome do destinatário do e-mail:
Digite o endereço de e-mail do destinatário:

escrita@komedi.com.br © 2021
 
  Textos mais lidos
viramundo vai a frança - 48522 Visitas
IHVH (IAHUAH) e ISV (IASHUA) - Gileno Correia dos Santos 42870 Visitas
Sem - ANDERSON CARMONA DOMINGUES DE OLIVEIRA 41915 Visitas
NÃO ERA NADA - Alexsandre Soares de Lima 40795 Visitas
Pensamento 21 - Luca Schneersohn 40438 Visitas
Os Morcegos - Nato Matos 40155 Visitas
Guerra suja - Roberto Queiroz 40026 Visitas
O Trenzinho - Carlos Vagner de Camargo 39982 Visitas
A PRAIA DO PROGRESSO - Rosângela Barbosa de Souza 39787 Visitas
MILA, A MENINA QUE MORAVA DENTRO DE UM COGUMELO - Saulo Piva Romero 39741 Visitas

Páginas: Próxima Última